O professor que todos os dias faz 10 minutos de elogios aos seus alunos especiais

Ensinar a auto-estima às crianças com deficiência, focando todos os dias nas suas qualidades e nas coisas que elas fazem melhor, para que elas aprendam a olhar para si mesmas, e também para os outros, com outros olhos: este é o objetivo de Chris Ullman, um professor de Jacksonville, Flórida, que começa suas aulas, todas as manhãs elogiando um por um de seus alunos.

Ulman é responsável há três anos por uma classe de crianças com várias patologias, que vão do autismo à síndrome de Down, dos distúrbios neurológicos às lesões cerebrais graves. Já há algum tempo, e com a permissão dos pais das crianças, o professor vem documentando seus dias na escola por meio de vídeos postados na página Facebook do Special Books by Special Kids.

"Eles todos vêm de experiências de segregação no sentido de que eles sempre foram separados das outras crianças" - conta Ulman falando de seus alunos - "Mas agora participam das atividades escolares, dançam na frente de centenas de outras crianças e participam dos debates”.

Segundo Uhlman, esses avanços dependem de uma abordagem educativa diferente, baseada principalmente na empatia e na autoestima. Todas as manhãs, o professor abre suas lições exprimindo para cada um de seus alunos, a sua satisfação de vê-los ali e felicitando-os pelas suas realizações, sejam elas educativas, desportivas ou de qualquer outro gênero. O importante é que o aluno se sinta valorizado, compreendido e, portanto, incentivado a fazer o seu melhor, aprendendo ao mesmo tempo, a reconhecer e a se sentir feliz também com as realizações e os sucessos de seus companheiros.

"Meu trabalho é o de inverter a abordagem psicológica das crianças e ajudá-las a ter auto-estima." - explica Ullman - "Lembrar das qualidades que elas têm, faz com que elas saiam do foco do que não podem fazer e entrem no foco do que elas podem e sabem fazer.As crianças ficaram muito mais sociais e melhoraram também suas habilidades comunicativas, verbas e não-verbais, melhoraram notavelmente.”

"Em vez de me concentrar nos déficits, eu me concentro no talento. Em vez de falar sobre paz, amor e harmonia, eu lhes mostro a paz, o amor e a harmonia. A realidade de uma criança é modelada sobre as suas experiências nos primeiros anos de suas vidas. Se elas têm um professor sórdido e cansado, vão pensar que o mundo é sórdido e cansado. Mas se um professor lhes mostra paz, amor e harmonia, isso, para elas, será a norma."

A idéia de Ulman era publicar um livro que iria contar as histórias, a rotina escolar e o progresso de seus alunos, através de seus olhos e dos pais da criança. Mas depois de receber cerca de cinquenta NÃOs dos editores, ele decidiu usar a mídia social para se comunicar com o mundo e ajudar as pessoas a se identificarem com seus alunos em uma melhor compreensão das suas realidades e necessidades.

“Pode-se perdoar a ignorância." - conclui Ulman - "mas não há desculpa para a falta de empatia."

Leia também:

PESQUISA AFIRMA QUE SUCESSO ESTÁ ASSOCIADO AO ESFORÇO, E NÃO À INTELIGÊNCIA

ABC AUTISMO: O APP AUXILIA NA ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM TRANSTORNO DE DESENVOLVIMENTO

O ESTUDANTE QUE INVENTOU UM CARRINHO DE BEBÊ PARA AS MÃES COM DEFICIÊNCIA

Fonte fotos: Special Books by Special Kids