Os efeitos do cigarro nos bebês durante a gestação: imagens de alta definição

efeitos do cigarro nos bebês durante a gestação

Imagens de alta definição, feitas por um sistema de ultrassom em 4D, sugerem os efeitos nocivos do tabagismo durante a gravidez, refletidos nos pequenos movimentos faciais dos bebês, conforme sugere uma nova pesquisa.

Pesquisadores das universidades de Durham e Lancaster disseram que os resultados deste estudo piloto evidenciam a necessidade de se investigar mais profundamente sobre as evidências dos malefícios do cigarro sobre os fetos durante a gestação.

Observando as imagens, os pesquisadores descobriram que os fetos cujas mães eram fumantes apresentaram uma taxa significativamente maior de movimentos da boca e se tocavam mais os seus rostos com as mãozinhas. Ao se aproximar do momento do nascimento, os fetos se moviam menos e isso poderia significar, de acordo com os pesquisadores, um atraso no desenvolvimento do sistema nervoso central.

Os investigadores sugeriram que os motivos destas imagens podem ser atribuídos ao fato de que o sistema nervoso central fetal, que controla os movimentos em geral e, em particular, os movimentos faciais, não se desenvolveram no mesmo ritmo e do mesmo modo que se desenvolveram nos fetos de mães que não fumavam durante a gravidez.

Os pesquisadores observaram 80 ultrassons em 4D, para avaliar os toques e os movimentos sutis da boca, em 20 fetos. Os exames foram feitos em quatro diferentes intervalos entre as 24ª e 36ª semanas de gravidez.

Quatro dos fetos pertenciam à mães que fumavam uma média de 14 cigarros por dia, enquanto os restantes 16 fetos estavam sendo gerados em mães que não eram fumantes. Todos os fetos foram avaliados clinicamente e nasceram saudáveis e com peso normal.

Em comum com outros estudos, a pesquisa também mostrou que o estresse e a depressão materna também têm um impacto significativo sobre os movimentos fetais, mas o aumento dos movimentos da boca e os toques foram ainda maiores em bebês cujas mães fumavam.

A autora principal, Dra. Nadja Reissland, do Departamento de Psicologia da Universidade de Durham, disse que os "padrões dos movimentos faciais do feto diferiu significativamente entre os fetos de mães que fumavam em comparação com os de mães que não fumavam (…) a exposição à nicotina, por si só tem um efeito sobre o desenvolvimento fetal, para além dos efeitos da estresse e depressão.

Imagens fetos de mães fumantes

A pesquisa foi publicado na revista Acta Paediatrica.

Você tem dúvidas que fumar durante a gravidez prejudica o bebê?

Leia também: Fumo passivo danifica a artéria de crianças

Fonte fotos: dur.ac.uk