Na Coréia do Sul, adolescentes viciados em Internet são tratados em centro de desintoxicação digital

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

O nível de conectividade digital na Coréia do Sul é um dos mais altos do mundo. Por isso, os adolescentes desse país se encontram viciados em smartphones e estão sendo encaminhados para centros de desintoxicação digital!

Essa alta conectividade sul-coreana tem desencadeado o vício na Internet. Para se ter uma ideia 95% da população adulta possui smartphone, além disso, mais de 98% dos adolescentes sul-coreanos usaram um smartphone em 2018 e muitos estão apresentando sinais de dependência digital.

De acordo com o Ministério da Ciência e Tecnologia da Informação e Comunicações (MSIT), no ano passado, cerca de 30% da população sul-coreana, na faixa etária entre 10 a 19 anos foi classificada como “superdependentes” de smartphones, o que significa que isso está gerando um problema sério para crianças e jovens.

Segundo pesquisa do governo sul-coreano feita no ano passado, o país tem quase 20% da população, que corresponde cerca de 10 milhões de pessoas com sério risco de dependência da Internet e este problema vem crescendo. 

Os fatores que predispõem a Coréia do Sul à essa realidade são: as pressões sociais, como excesso de trabalho e estudo com pouco tempo para relaxar e falta de lazer lúdico e ao ar livre. Uma informação que exemplifica isso é que em 2015, apenas 46,3% dos estudantes sul-coreanos de 15 anos relataram praticar esportes antes ou depois da escola.

O Dr. Lee Jae-won, um psiquiatra que trata do vício em smartphones, disse ao CNN que quando os seres humanos estão estressados, eles reduzem a dopamina no cérebro, levando-os a buscar outras formas de satisfação e, como os adolescentes não têm outras maneiras de aliviar o estresse, eles usam seus smartphones.  

Nesse contexto, esse problema que a Coréia do Sul vem apresentando já virou uma questão de saúde pública e, por isso as autoridades vêm buscando formas de solucionar essa situação.   

Para evitar que esse quadro piore e cause ainda mais prejuízos para a formação das crianças e adolescentes – relacionados com a saúde, como relacionamento em família, com a convivência social e com os estudos – em 2007 foi criado um programa para tratamento desintoxicante digital, que em 2015 se expandiu incluindo o vício em smartphone.

Em 2019, o Ministério da Igualdade de Gênero e Família realizou 16 acampamentos em todo a Coréia do Sul envolvendo cerca de 400 alunos do ensino médio.

Para efetivar esse serviço, existem escritórios regionais de educação que prestam serviços como: aconselhamento na escola; pesquisas de triagem de casos de dependência digital; disciplinas preventivas; e, para casos graves, campos de dependência; sendo que a maioria desses serviços são financiados pelo governo, tanto à nível nacional, como municipal.

Um dos campos financiados pelo governo nacional é o Centro Nacional para Tratamento de Vício em Internet, destinado aos jovens que habitam a três horas ao sul de Seul e atende adolescentes muito dependentes da Internet e de smartphones.

Estes jovens são encaminhados ao Centro pelos pais ou professores e todos os dispositivos tecnológicos desses adolescentes são apreendidos quando chegam para o programa de desintoxicação, com duração de duas à quatro semanas.

Através desse tratamento, os jovens são ajudados a encontrar um novo hobby, com a apresentação de muitos outras opções de passar o tempo livre de maneira mais saudável com gincanas, atividades artísticas, esportes, serviços voluntários, jogos lúdicos, piscina, contato com a Natureza e meditação.

Cada cidade tem uma instituição que trabalha com o Ministério da Igualdade de Gênero e Família e, após o acampamento desintoxicante digital no centro de recuperação, os jovens recebem contínuo acompanhamento e aconselhamento da mesma. 

Devido à porcentagem de adolescentes dependentes da Internet e smartphones estar aumentando, essas organizações estão se expandindo para prevenir que isso se agrave.

E para endossar o quanto a dependência digital é prejudicial, a Organização Mundial de Saúde-OMS considera o vício em jogos digitais uma doença que requer prevenção e tratamento”. 

Ainda segundo a OMS, com o tempo, os viciados em internet podem se tornar socialmente isolados e sofrer sintomas de abstinência, incluindo “sentimentos de raiva, tensão, ansiedade e / ou depressão.

A Coréia do Sul é só um exemplo do que está acontecendo também em outras nações, por isso, é importante que cada o governo dê a devida atenção à esse assunto para detectar casos de dependência digital e fornecer terapia adequada para os diagnosticados com esse problema.

Assim, poderá prevenir problemas futuros de adultos com transtornos psicológicos e de saúde com dificuldade de interagir socialmente e prosperar profissionalmente afetando o coletivo e desencadeando prejuízos para a Nação. 

O exemplo da Coréia do Sul é um gancho para repensarmos como está o nosso grau de conectividade digital.

Será que já passamos dos limites?

Talvez te interesse ler também:

ANTES SÓ DO QUE MAL ACOMPANHADO: OU EU OU O CELULAR!

PRECISANDO DE UMA PAUSA MENTAL? NÃO USE O CELULAR

SÍNDROME DO PESCOÇO DE SMS: UM FUTURO DE CORCUNDAS PELO USO DO CELULAR

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Professora, alfabetizadora, formada em História pela Universidade Santa Cecília, tem o blog A Vida nos fala e escreve para GreenMe desde 2017.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Instagram
Siga no Facebook