Nobel da Paz 2016: Juan Manuel Santos, presidente da Colômbia

Nobel Paz 2016

Uma guerra civil que dura mais de meio século na Colômbia e que está finalmente em vias de ser combatida, levou o presidente colombiano a receber o Nobel Prize 2016.

Apesar de o povo colombiano ter votado NÃO ao referendum sobre um acordo de paz entre o governo e as Farc, “isso não deve ser entendido como um não para a paz. O dissenso popular foi pronunciado contra uma formulação específica do acordo, portanto, enfatizamos a importância de Santos em conduzir agora um diálogo maior, para um novo aperto de mãos que encontre um base ampla e, portanto, um grande apoio. Instamos todas as partes, todos partidos, a fazerem suas contribuições.” Lê-se no site oficial do prêmio.

Mas o prêmio dado ao Presidente “também deve ser visto como uma homenagem ao povo colombiano que, apesar das grandes dificuldades e abusos, não perderam a esperança de ter uma justa paz, e à todas as partes que contribuíram para este processo. Este tributo também vai, não menos importante, aos representantes das inúmeras vítimas da guerra civil.”

O Presidente Santos foi o responsável pelo início das negociações que culminaram no acordo de paz entre o governo colombiano e os guerrilheiros das FARC e vem trabalhando continuamente para que este processo avance. 

Mas a luta continua

Ao atribuir Prêmio da Paz deste ano ao presidente Juan Manuel Santos, o Comitê quis incentivar todos aqueles que estão se esforçando para alcançar a paz, a reconciliação e a justiça na Colômbia. A esperança é a de que nos próximos anos o povo colombiano possa colher os frutos do processo de pacificação em curso para depois poderem avançar nos outros desafios urgentes a serem enfrentados como, o fim da pobreza, da injustiça social e da criminalidade relacionada às drogas.

A guerra civil na Colômbia é uma das mais longas guerras civis nos dias de hoje e é também o único conflito armado remanescente nas Américas.

Leia mais sobre o Prêmio Nobel:

YOSHINORI OHSUMI VENCE O NOBEL EM MEDICINA COM SUA TEORIA DA “RECICLAGEM” DAS CÉLULAS

PRÊMIO NOBEL DA PAZ 2015: VENCE O QUARTETO DE DIÁLOGO NACIONAL DA TUNÍSIA