Espírito olímpico: órgãos doados pela família de Henze salva 4 vidas

Stefan-Henze

Uma notícia triste chocou os Jogos Olímpicos Rio 2016 esta semana. Nessa segunda-feira, faleceu Stefan Henze, 35 anos, medalhista olímpico e membro da comissão técnica do time de canoagem da Alemanha.

A morte de Henze foi decorrente de um acidente que o ex-atleta sofreu em um táxi ao retornar da Vila Olímpica. No táxi estava, também, Cristian Katini, cientista esportivo da equipe alemã. O choque pelo falecimento de Henze foi ainda maior porque o taxista fugiu deixando os dois alemães na Avenida das Américas, na Barra da Tijuca, sem prestar socorro.

Katini não sofreu ferimentos graves, mas Henze passou por um procedimento cirúrgico neural, mas não conseguiu sobreviver.

O time alemão de canoagem manifestou-se nas redes sociais para homenagear o companheiro: "Estamos profundamente entristecidos. Descanse em paz, Stefan, você permanecerá para sempre em nossos corações".

Henze foi campeão mundial em sua categoria, em 2003, e ganhou a medalha de prata em Atenas, em 2004. Nesta Olimpíada, ele integrava a comissão técnica de canoagem de seu país.

A família de Henze autorizou que os órgãos do ex-atleta ficassem no Brasil para doação. "Coração, fígado e os rins foram transplantados com sucesso. Assim, ele salvou quatro vidas", disse a porta-voz Roberta Nápolis, da Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro, à agência de notícias alemã SID.

Especialmente indicado para você:

LIXO ATRAPALHA COMPETIÇÕES OLÍMPICAS: VERGONHA

SÉRIE MOSTRA O LEGADO QUE NÃO SE CUMPRIU: A BAÍA POLUÍDA NA RIO 2016

Fontes e foto: terra e dw