Adeus a Tunga, um grande artista plástico brasileiro

Tunga

Prodígio, inquieto, provocador, transformava tudo em arte. Assim era Antônio José de Barros de Carvalho e Mello Mourão, Tunga, que começou seus primeiros trabalhos durante a infância como escultor e aos 22 anos, o artista fez sua primeira mostra no MAM - Museu de Arte Moderna.

É considerado um dos artistas contemporâneos brasileiros mais importantes, tendo sido muito premiado no país e um dos mais prestigiados no exterior. Foi o primeiro artista contemporâneo a expor uma obra sua no Museu do Louvre, em Paris.

Uma perda enorme à qual Paulo Sergio Duarte, Professor-Pesquisador e Diretor do Centro Cultural na Universidade Candido Mendes, escreve:

“É preciso formular a questão primitiva: por que nos pomos de pé? Não é o que nos distingue dos outros mamíferos? Uma energia transformada em desejo e vontade nos pôs de pé; não nos submetemos à lei da gravidade. Muitas das esculturas de Tunga se assemelham a nós mesmos, se põem de pé por uma energia interior”.

Tunga nos deixou hoje, aos 64 anos, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro enquanto lutava contra um câncer.

A arte está em tudo o que é canto! Um pouquinho de Tunga para todos:

Leia também:

LATA 65, A ARTE DE RUA QUE NÃO TEM IDADE E QUEBRA ESTEREÓTIPOS 

EDUARDO SRUR: UM ARTISTA EM PROL DO MEIO AMBIENTE

ROBERTO BURLE MARX: ORGULHO BRASILEIRO

Fonte foto: Epoca