Catadores de sonhos, documentário da vida dos catadores no lixão de Aurá, Belém

O lixão do Aurá, em Belém, foi considerado o segundo maior lixão a céu aberto do Brasil. Foi fechado em 2015 pela Prefeitura Municipal, que assinou um Termo de Ajustamento de Conduta - TAC, com o Ministério Público Estadual. O documentário "Catadores de Sonhos", de Mujica Salinas, produtor da Grito Filmes, é lindo, comovente, envolvente. A luta dos catadores, por trabalho, pão e dignidade, é forte, vencedora.

Os catadores do Aurá, mais de mil e oitocentas pessoas que lá buscam o que ainda é reaproveitável - do lixo para a vida. Este grupo de pessoas lutou contra o fechamento deste lixão, sua única forma possível de sustento digno nesta sociedade imensamente desigual e, em uma greve de 24 horas, se mantiveram dignos.

Afinal, a ação do catador é necessária à sociedade, porque então eles não podem ser considerados trabalhadores, se trabalham, e terem, como os outros trabalhadores, direitos sociais respeitados?

O documentário registrou a luta desses trabalhadores do lixo que mudou a agenda da política nacional de resíduos sólidos brasileira, denunciando a opressão do estado e os verdadeiros interesses que movem algumas das políticas públicas.

O catador de lixo é um trabalhador do pesado, que ajuda, e muito, a sociedade brasileira, na política de reaproveitamento e reciclagem. Você pode até pensar que isso é sujeira, que o mundo branco e “limpo” não precisa dessa ajuda. Mas precisa, sim!. Afinal, enquanto não conseguirmos construir uma sociedade justa e equitativa, em que cada um tenha de acordo a suas necessidades reais, teremos lixo, e desperdício, o que onera a vida de todos.

No documentário  os “Catadores de Sonhos” cantam seus momentos, afirmam sua perspectiva de manter esse trabalho e se organizam em associação, respeitando suas necessidades e lutando por seus direitos.

O filme é lindo! As falas emocionam, as imagens mostram uma crua realidade que também tem suas belezas, nas cores vivas dos contrastes sociais que se desaparelham num lixão. Dentro da sujeira de um lixão, na vida dessas pessoas, a luz se mantem, e a dignidade se afirma. Veja abaixo o documentário, em sua versão integral, agora livre na internet.

Nos "finalmentes", a Prefeitura Municipal de Belém, responsável pelo Lixão do Aurá, informou que o o lixão foi fechado em atendimento ao disposto na Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305) e que deverá ser transformado em Aterro Sanitário. Os catadores que atuavam no Aurá deveriam ganhar qualificação, emprego e renda dignos trabalhando na coleta seletiva domiciliar. 

E a transparência, fundamental nas ações governativas de todos os níveis, nos permite comprovar que, sim, os catadores do lixão do Aurá alcançaram seu objetivo final de luta: serem considerados como classe trabalhadora com direitos sociais respeitados. Veja aqui no portal da Prefeitura de Belém. 

Fontes: entrevista aos diretores, Homero Flávio Fortunato e Ursula Vidal Fortunato, do documentário “Catadores de Sonhos”, feita pelo midiacoletiva.org 

Leia também:

seta

FAO PRETENDE REDUZIR PERDAS DE ALIMENTOS NO BRASIL

seta

A IMPORTÂNCIA SOCIAL E AMBIENTAL DO TRABALHO DOS CATADORES

seta

LIXO: PROBLEMAS E RESPONSABILIDADES