Urucum: porquê é bom para a saúde e como preparar o chá

urucum

O urucum, Bixa orellana, é um arbusto tropical ocorrente nas regiões quentes e úmidas de floresta em toda a latinoamérica.

No Brasil é chamado de urucum, urucu, colorau, uru-uva e açafroeira da terra e, nos países da América Central é conhecido como achiote.

Em toda América Latina a semente de urucum, moída, é usada como condimento corante. Também se extrai pigmento para tingir tecidos e a indústria cosmética o usa em seus cremes.

Tipos de urucum

Existem mais de 60 tipos de urucum já catalogados pelo IAC - Instituto Agronômico de Campinas e, cada um desses tem aplicações específicas, em função dos conteúdos de princípios ativos interessantes para o uso - carotenóide e antioxidante, acelerador do metabolismo das gorduras e redutor do colesterol HDL.

O corante vermelho do urucum é usado pelos indígenas brasileiros e de outros lugares, misturado com óleos, como protetor da pele contra ataque de mosquitos e outros insetos.

Uso medicinal de urucum

Seu uso medicinal se dá através das sementes, ricas em carotenóides, e das folhas. Popularmente, o urucum é recomendado para problemas respiratórios, inflamações de garganta, sinusite, em casos de mal estar cardíaco com palpitação e em crises de asma.

Mas, muitos outros usos também se fazem como - fortalecimento dos rins, melhoria do processo digestivo, indigestão e prisão de ventre, azia e desconforto por ingestão abusiva de alimentos irritantes da mucosa gástrica. Por algumas pessoas, o chá de urucum, semente, é usado como afrodisíaco.

O urucum é usado nos regimes para perda de peso por sua capacidade de acelerar o metabolismo das gorduras, desintoxicar o fígado e, por essa razão, como hepatoprotetor, reduzir a taxa de colesterol no sangue. Os bons resultados do uso do urucum nos regimes de emagrecimento são empíricos, sem comprovação científica, até o momento.

Em muitos lugares também se usa urucum como febrífugo, anti-malárico, para tratar hepatite, disenteria e até picada de cobra venenosa - não, não é brincadeira, não: acontece que todos os venenos vão parar ao fígado, que luta para transformá-los em “inofensivos” pela degradação. Esta luta do fígado saturado de toxinas acaba produzindo uma degradação da própria víscera, uma cirrose hepática ou mesmo hepatites. Este é, também, um dos drásticos efeitos das picadas de cobra, e é aí que entra o urucum.

Porém, por ser um hepatoprotetor, ao ser consumido em excesso se torna hepatotóxico. Leia aqui.

Neste link há uma boa reportagem sobre o uso do urucum como remédio.

O que tem de bom no urucum?

● cálcio
● fósforo
● ferro
● aminoácidos
● vitaminas B2, B3, A e C
● cianidina
● ácidos elágico
● salicílico
● saponinas
● taninos

Chá de Urucum – como se faz:

Ingredientes

* 10 folhas de urucum
* 1 litro de água

Modo de preparo

Ferva 10 folhas frescas de urucum em 1 litro de água, por 10 minutos. Retire as folhas e tome o chá, 3 vezes ao dia. Este mesmo chá também pode ser usado para lavagens e banhos.

Para tratar hemorróidas com urucum: ferva a vagem seca em 1 xícara de água e tome, no mínimo, 3 vezes por semana.

Especialmente indicado para você:

setaCONHEÇA 10 REMÉDIOS NATURAIS PARA HEMORROIDAS

setaREMÉDIOS CASEIROS PARA CANDIDÍASE QUE REALMENTE FUNCIONAM

setaALECRIM: O CHÁ QUE ALEGRA A ALMA E CURA O CORPO