Unha de gato - usos, benefícios e propriedades medicinais

Unha de gato, Uncaria tomentosa

A Unha de Gato é planta medicinal das espécies Uncaria tomentosa e Uncaria guianensis, uma trepadeira que cresce nas florestas tropicais da América do Sul e América Central. É importante não confundir com outras plantas também conhecidas como unha de gato, a Ficus pumila e a Acacia plumosa.

No entanto, destas duas espécies, que possuem usos semelhantes na medicina nativa das regiões amazonenses, a Uncaria tomentosa já é estudada cientificamente por sua capacidade de controlar, reduzir e até eliminar miomas e outros problemas uterinos e por ser imunoestimulante.

As propriedades medicinais reconhecidas na Uncaria tomentosa são: analgesia, antiinflamatória, antimutagênica, antioxidante, antiproliferativa, antitumoral, antiviral, citoprotetora, citostática, citotóxica, depurativa, diurética, hipotensiva, imunoestimulante e imunomodeladora. Leia aqui este comunicado da Fiocruz sobre essas duas espécies.

No Peru, a Uncaria tomentosa foi catalogada como a descoberta mais importante desde que se descobriu a quinina, árvore peruana descoberta no século XVII.

Em uso fitoterápico, as indicações para a Uncaria tomentosa são variadas.

É consagrado seu uso no tratamento de infecções crônicas, pois tonifica o sistema imunológico, especialmente quando em conjunto com outras ervas imunoestimulantes.

Fadiga crônica, fibromialgia, febre glandular e infecções herpéticas (veja este estudo sobre herpes) respondem bem ao uso da Uncaria tomentosa. No Peru já se usa a Uncaria tomentosa em tratamentos contra infecções por HIV, sendo especialmente benéfica para os convalescentes.

Como antiinflamatório, a Uncaria tomentosa tem uma forte ação no tratamento de úlceras gástricas, inflamações das articulações como artrite reumatoide e osteoartrite.

Nos tratamentos de câncer, a Uncaria tomentosa é usada tradicionalmente para a redução e eliminação de tumores, atuando como coadjuvante, em combinação com outras ervas medicinais.

Uso da Uncaria tomentosa pelas comunidades indígenas

Diversas etnias habitantes da Amazônia (brasileira e peruana) usam a Uncaria tomentosa e a Uncaria guianensis em tratamentos de asma, inflamações do trato urinário, no pós-parto, na desintoxicação dos rins, na cura de feridas profundas, na artrite, no reumatismo e dores nos ossos, na inflamação estomacal e úlceras gástricas e, nos casos de câncer.

Na Amazônia colombiana estas duas plantas são usadas para tratar também gonorreia e disenteria. Outras tribos da Amazônia peruana as usam para tratar diabetes, doenças do aparelho ginecológico e urinário feminino, hemorragias, irregularidades menstruais, cirrose, febres diversas, abscessos, gastrite e reumatismo e também, em lavagens internas, para “normalizar o corpo”.

Também é usada como contraceptivo (para este caso são usadas doses bastante fortes), como foi documentado pelo Dr. Fernando Cabieses em seu livro. Este médico, reconhecida autoridade em plantas medicinais peruanas, descreve que os Asháninca fervem 5 a 6kg da raiz da unha de gato (no Peru é mais frequente a Uncaria tomentosa) até a sua redução a menos de um copo de líquido que é tomado, diariamente, durante a menstruação, por 3 meses consecutivos, o que provoca infertilidade por 3 a 4 anos.

Cuidados no uso das uncarias

Estas plantas, Uncaria tomentosa e Uncaria guianensis, não devem ser usadas por pessoas com hipotensão severa ou tendência à hipotensão pois possuem propriedades fortemente hipotensivas (reduzem drástica e violentamente a pressão arterial podendo ser perigoso) e tão pouco por pessoas que usem medicação anti-hipertensiva pois, ocorre sinergia entre os alcalóides das plantas com os princípios ativos dos medicamentos.

Quem use as uncarias para tratamento, deverá fazer acompanhamento da sua pressão arterial e regular as dosagens para atingir o equilíbrio necessário.

Não se deve tomar cápsulas de uncarias se estiver tomando antiácidos pois, é necessário o ácido estomacal para que que seja feita a assimilação do princípio ativo e o bloqueio dos taninos e alcalóides durante a digestão.

Antes de qualquer processo cirúrgico, descontinue a tomada de uncaria uma semana a dez dias antes, pelo mesmo motivo da queda brusca de pressão arterial.

Se você for fazer uso de chá de uncaria, não tome o extrato líquido com alta concentração de taninos (cor escura) sem diluir antes. A diluição pode ser feita em água ou suco de limão (qualquer suco ácido).

Cuidado com as dosagens - dores abdominais, gastrite e diarreia ocorrem em doses de 3 a 4 gr de uncaria por conta dos taninos presentes na casca desta planta.

No site Plantas que Curam encontrei um extrato do “Estudo Botânico de Klaus Keplinger” e, através deste, diversos estudos científicos interessantes sobre as uncarias. Faço ressalvas ao site Plantas que Curam quanto às fotos usadas neste artigo, que podem levar o leitor a confusão quanto à planta que deve procurar (nenhuma das fotos lá correspondem a qualquer espécie de Uncaria).  Para estudar mais aprofundadamente sobre o uso da U. tomentosa e U. guianensis, recomendo a leitura dos artigos a seguir: Uncaria tomentosa DCUncaria tomentosa “Unha de Gato” e este artigo aqui.

Especialmente indicado para você:

setaÓLEO DE COPAÍBA - AS INCRÍVEIS PROPRIEDADES MEDICINAIS E COMO USAR

setaPLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS GANHAM NOVO INVESTIMENTO PARA O SUS

setaTRATADO DAS PLANTAS MEDICINAIS: FAÇA GRÁTIS O DOWNLOAD DO LIVRO