Pessoas Altamente Sensíveis: será que você é uma delas?

  • atualizado: 
pessoas sensíveis

O ser humano possui como atributo de sua Alma, a sensibilidade. Porém, por causa da excessiva identificação com a materialidade, ele vai deixando de expressar essa capacidade. Entretanto, algumas pessoas são mais ligadas à sua parte emocional, chegando a ser altamente, sensíveis. Pessoas assim  percebem as coisas de uma maneira diferenciada, com mais sentimento, coração e emoção.
Neste conteúdo será explicado como isso se dá. Atente para os tópicos abaixo e descubra se é o teu caso o de ser Altamente Sensível!

1. Pessoas Altamente Sensíveis: quem são elas?

Em primeiro lugar, para se definir pessoas sensíveis é necessário entender o que é sensibilidade. Essa capacidade confere ao ser humano a habilidade de processar e perceber os estímulos externos.

  • um objeto caindo
  • o perfume de uma flor
  • o frescor da chuva
  • o calor de um dia ensolarado
  • se reunir com os amigos
  • ouvir um assunto interessante
  • se comover com uma bela canção
  • compreender o olhar de um animal
  • contemplar uma noite estrelada
  • e muito mais...

Segundo Elaine Aron, psicologa e autora do livro Use a Sensibilidade a Seu Favor – Pessoas Altamente Sensíveis, os traços que mais marcam Pessoas Altamente Sensíveis são:

  • São observadoras e prestam atenção aos detalhes, tanto no ambiente quanto nas pessoas
  • Se cansam mais fácil após realizarem sua tarefas do dia a dia, pois sentem tudo com mais intensidade e de forma amplificada: sons, formas, cores e impressões
  • Na fase infantil, podem ter sido crianças com dificuldade de se adaptar às situações, por serem assustadas, desenvolvendo medo e acanhamento
  • Se perturbam com sons muito altos, cheiros muito fortes e luzes muito claras ou fortes
  • Sentem e percebem suas emoções e as dos outros, de forma mais intensa e perceptível
  • Podem ser introvertidas ou extrovertidas, a sensibilidade tem mais relação com a forma de processar e captar os estímulos e não com a forma de se expressar
  • Pessoas sensíveis, nem sempre, desenvolvem insegurança, timidez e fragilidade e desequilíbrios psicológicos, por serem altamente sensíveis, a não ser que existam antecedentes para isso, como traumas, por exemplo.

A sensibilidade e suas variações

Existem pessoas que têm uma grau de sensibilidade mais aflorada, outras, nem tanto, por isso, é importante a pessoa se autoconhecer, para saber lidar com sua forma de ser e de expressar essa sensibilidade, reconhecendo seus limites e como poder utilizar sua capacidade sensível, a seu favor e ao de outros seres, sem perder o equilíbrio.

Estímulos internos

Os estímulos, que as pessoas sensíveis captam, não são só externos, mas internos com as emoções e sentimentos, delas mesmas e de outros seres.

Devido ao mundo emocional muito intenso, essas pessoas tendem a ficar exauridas devido ao turbilhão de emoções que têm contato, em seu interior.

2. Ser muito sensível é uma patologia ou um transtorno?

Existem pessoas que, por sentirem tudo à sua volta de forma acentuada, são hipersensíveis e fica a dúvida, isso é um transtorno, uma patologia ou um distúrbio?

Talvez para pessoas que não tenham esse tipo de sensibilidade, possa até parecer que, sim, que se trate de um problema psicológico ou coisa pior ou, no mínimo, algo exagerado.

Em contrapartida, uma pessoa hipersensível ao perceber e sentir o que a maioria das pessoas de seu convívio não dão importância, ou não se sensibilizam, se sente um ET e precisa encontrar formas de não transformar essa sua maneira de sentir em um problema para si.

Essas Pessoas Altamente Sensíveis possuem forte intuição, muita empatia, necessitam um tempo de solitude (ficar à sós), percebem as sutilezas, nuances, detalhes e enxergam aspectos que podem passar despercebidos aos indiferentes.

Situações que mexem com seus sentidos, como um local barulhento, estar em lugar com um aglomerado de pessoas e situações turbulentas afetam o sistema nervoso de uma pessoa hipersensível e até sua capacidade de pensar.

Em um sistema e uma sociedade que valoriza e incentiva a competição, a alta performance, o excesso de intelectualidade e racionalidade, a objetividade, a agressividade e condena e rotula a emotividade e a sensibilidade como fragilidade emocional, a tendência de uma Pessoa Altamente Sensível é de se sentir incompreendida e isolada, caso ela não saiba lidar e compreender sua natureza.

Para essa pessoa não se sentir anormal, em primeiro lugar, ela precisa se aceitar e entender que é normal ser assim, pois é o seu natural e se é dessa forma, algo de bom existe para adicionar a este mundo com seu jeito e capacidade, podendo expressar o seu dom.

Pessoas sensíveis têm facilidade de sentir e compreender a dor do outro, de sentir inspiração e transformar em arte. Ver a vida, de forma poética.

O importante é essa pessoa manter o seu equilíbrio, pois, como sente demais, pode buscar fuga em certos mecanismos ou vícios, para diminuir perturbações, mal-estar ou dor diante de certas situações difíceis.

E para atestar que sensibilidade não é doença, Elaine Aron em seu livro Use a Sensibilidade a Seu Favor – Pessoas Altamente Sensíveis, publicado em 1996, diz que ser sensível é algo normal e que, de 15% à 20% da população, apresenta alta sensibilidade, em diferentes graus e 22% são sensíveis, de forma moderada.

Outro aspecto interessante que vale salientar, é que nem sempre as Pessoas Altamente Sensíveis são introvertidas ou tímidas e para comprovar isso, Manuela Pérez, presidente da Associação Espanhola de Profissionais da Alta Sensibilidade, afirma que “embora existam coisas em comum, são distintas entre si e que 30% das pessoas altamente sensíveis são extrovertidas".

Manuela Pérez ainda diz que a visão social da alta sensibilidade, como fragilidade, está se modificando, cada vez mais está sendo percebida como uma força que pode ser muito útil, tanto no aspecto pessoal, como profissional e, com isso, estão se originando novos modelos de liderança que focam na empatia e na colaboração.

EMPATIA - O VERDADEIRO SIGNIFICADO. VOCÊ É UMA PERSONA EMPÁTICA?

3. Os sinais de quem é Altamente Sensível

Elaine Aron também escreveu o livro Use a Sensibilidade a Seu Favor e desenvolveu uma autoavaliação, em forma de teste, para ajudar as pessoas a detectarem se são altamente sensíveis.

Para ajudar a compreender como se manifesta a hipersensibilidade em uma pessoa, segue uma a lista de sinais e características:

I- Sente de forma profunda e mergulha dentro de si para compreender o que sente.

II- Reage de forma emotiva, se preocupando com o que os outros sentem.

III- Por sentir mais, é tida como uma pessoa que leva as coisas para o lado pessoal ou é muito sentimental.

IV- Prefere fazer atividades, que comumente são coletivas, individualmente, pois, no meio de muita gente, não se sente bem.

V- Por perceberem os vários lados de uma situação, têm dificuldade em tomar decisões.

VI- Quando uma pessoa hipersensível toma uma decisão, que dá um resultado negativo, sente de forma amplificada, podendo surgir um sentimento de tristeza e, até, remorso muito grande!

VII- São muito detalhistas, percebem 'de cara" as minúcias e os detalhes de um ambiente.

VIII- Ela trabalha bem em equipe, sendo empática e colaborativa com seus colegas de trabalho, porém, em atividades que requerem mais a racionalidade e objetividade podem não "ser sua praia."

IX- Uma pessoa hipersensível que passou por experiências difíceis ou negativas, tendem desenvolver traumas, ansiedade ou depressão.

X- Programas, imagens, noticiários e filmes com violência e cenas fortes são um veneno para uma pessoa altamente sensível, devido ao alto grau de empatia e de sentir as emoções que tem contato.

XI- Ela chora com mais facilidade e pode não ser compreendida, por isso às vezes é considerada "mole" e "fraca", mas, quando se encontra entre pessoas que a compreende, não se sente mal em expressar seu sentimento.

XII- Uma pessoa muito sensível, por perceber o sentimento dos outros, procura ser gentil, atenciosa e consciente, por ser sensível ao próximo.

XIII- Para quem é muito sensível, uma crítica pode lhe afetar demais, levando-a a se reprimir, evitando de "bater de frente" com os outros.

XIV- Pessoa extremamente sensíveis gostam de trabalhar em casa ou de serem autônomas, tendo mais privacidade dessa forma, podem se preservar de muitas interferências e influências que afetam suas emoções.

4. Alguns mitos sobre Pessoas Altamente Sensíveis

Pessoas sensíveis costumam ser vistas como frágeis, quietas, fantasiosas e distantes, mas nem sempre isso corresponde à realidade.

Desfazendo alguns mitos sobre pessoas altamente sensíveis:

I- Pessoas sensíveis não são fracas, como se costuma interpretar

Realmente, pessoas muito sensíveis, comumente, são pacíficas, diplomáticas, evitam brigas, discórdias, o que pode soar como fraqueza, por não serem agressivas e duras

A força de uma pessoa hipersensível está em sua capacidade de captar as emoções e em sua natureza intuitiva, por isso, veem e percebem as coisas que os outros não veem e deixam passar despercebido

II- Hipersensíveis não se ofendem facilmente, ao contrário, evitam magoar e ofender os outros:

Na realidade, o que mais temem é ofender alguém e, geralmente, são autocríticas, não gostam de magoar as pessoas e se o fazem sentem muito mal com isso

III- Indivíduos muito sensíveis são tímidos, mas nem sempre, pois, existem pessoas extrovertidas que são hipersensíveis

O grau de sensibilidade não está atrelado ao nível de comunicabilidade da pessoa e sim à forma como a pessoa sente a existência

IV- Alta sensibilidade não é exclusividade só de mulheres, homens também podem ser muitos sensíveis

Um homem sensível pode sofrer mais por essa condição do que a mulher, por conta dos condicionamentos sociais

Como diz o antigo ditado: homem também chora!

V- Afirmar que os muito sensíveis são desequilibrados e extremistas, não corresponde à realidade

Indivíduos hipersensíveis em condições favoráveis e ambientes hamônicos, são pessoas saudáveis, criativas, amistosas, transformadoras e solidárias

VI- Pessoas sensíveis preferem só ficar em casa e em ambientes quietos, não é bem assim

Existem pessoas muito sensíveis que gostam viver situações novas e aventuras e ter contato com outras culturas, fazer viagens e estar com a Natureza, pois tudo isso faz bem às suas emoções.

5. Será que você é Altamente Sensível? Faça o Teste

A psicoterapeuta Dra. Elaine Aron fornece exemplos de como um indivíduo altamente sensível se comporta:

Sente-se incomodado com excesso de luzes, cheiros fortes, tecidos grossos, ou muito barulho.
Se atrapalha quando tem muito o que fazer, em pouco tempo.
Evitam filmes e programas de TV violentos.
Precisam se retirar de dias acelerados, dar uma pausa, ficar em um lugar onde possam ter privacidade e tranquilidade.
Priorizam organizar a vida, evitando situações que lhes agridam e façam mal.
Percebe e sente satisfação em sentir aromas, sabores, sons ou obras de arte que lhe proporcionam boas sensações e prazer.
Tem vida interior profunda e rica.
Na infância, pais ou professores o tratavam como um tímido.

6. Quer detectar seu grau de sensibilidade? Faça o teste!

Realize esse teste abaixo.
Respondendo V (de verdadeiro) e F (de falso).
Depois, conte quantos verdadeiros respondeu e veja o resultado ao final do teste.

1. Fico oprimido com excesso de informações sensoriais V F
2. Percebo detalhes e sutilezas do ambiente. V F
3. O humor das outras pessoas me afeta. V F
4. Costumo ser muito sensível à dor. V F
5. Em dias muito agitados, sinto necessidade de me recolher, ir para a cama, um quarto escuro ou qualquer lugar onde possa ter alguma privacidade e afastar-me do excesso de estímulos. V F
6. Sou particularmente sensível aos efeitos da cafeína. V F
7. Luzes ou cheiros fortes, tecidos ásperos ou sirenes me perturbam facilmente V F
8. Tenho uma vida interior rica e profunda. V F
9. Sons altos demais fazem com que me sinta desconfortável. V F
10. A arte e a música me comovem. V F
11. O meu sistema nervoso, por vezes, fica abalado e procuro a solidão para me acalmar. V F
12. Sou consciencioso V F
13. Eu me assusto com facilidade. V F
14. Sinto-me atordoado quando tenho que fazer muitas coisas em pouco tempo. V F
15. Quando as pessoas estão desconfortáveis, em um ambiente, eu percebo o que precisa ser feito para torná-lo confortável (como trocar os assentos ou alterar a iluminação). V F
16. Se alguém pede para eu fazer muitas coisas ao mesmo tempo, me aborreço. V F
17. Tento evitar erros e esquecimentos. V F
18. Evito filmes ou programas de TV violentos. V F
19. Sinto-me abalado quando há coisas demais acontecendo à minha volta. V F
20. Muita fome provoca fortes reações e mexe com minha concentração e meu humor. V F
21. Mudanças em minha vida me perturbam demais. V F
22. Percebo e aprecio fragrâncias, sabores, sons e obras de arte suaves e refinadas. V F
23. Acho desagradável muita coisa acontecendo, ao mesmo tempo V F
24.Tenho com prioridade organizar em minha vida, de modo à evitar situações caóticas e incômodas. V F
25. Me Incomodam estímulos intensos, como sons altos e cenas caóticas. V F
26. Quando estou a ser observado fazendo algo fico nervoso e isso afeta meu desempenho e acabo não fazendo direito as coisas. V F
27. Quando era criança, meus pais e professores, me achavam sensível e tímido. V F

Conte as respostas verdadeiras.

Se você respondeu verdadeiro em mais de 14 perguntas, você é altamente sensível.
Observação: Este teste é mais uma forma de sinalização e não pode avaliar, com precisão, todos os aspectos psicológicos que envolvem um ser humano.

Referências do teste: The Highly Sensitive Person – Dra. Elaine Aron

7. Lista, em vídeo, com Joyce Elisa, de 21 aspectos positivos de se ter alta sensibilidade

Neste vídeo do Canal Despertar, Joyce Elisa explica as qualidades que podem ser desenvolvidas ou se expressam em Pessoas Altamente Sensíveis.

Se você tinha dúvida sobre esse aspecto que envolve nossa humanidade, com todos estes esclarecimentos, deu para aumentar sua percepção sobre sensibilidade, não é mesmo?

E então, você se considera uma Pessoa Altamente Sensível?