Quebra-pedra: conheça um pouco mais dessa plantinha tão comum

  • atualizado: 
quebra-pedra

Muita gente conhece, e usa, o quebra-pedra para problemas renais e hepáticos. Juntei aqui algumas informações boas - estudos científicos - do seu uso na medicina popular.

Quebra-pedra é o nome comum de diversas espécies do gênero Phyllanthus, usadas no Brasil e em grande parte do mundo. Conheça um pouco mais dessa plantinha tão comum nos nossos jardins, campos e beiras de estrada.

Só no Brasil existem 4 espécies vegetais conhecidas como quebra-pedra. Outros nomes comuns são erva-pombinha ou arrebenta-pedra (em espanhol seu nome é chanca-piedra, que tem o mesmo sentido).

Os nomes comuns se referem a ação de quebrar, desfazer as pedras de oxalato de cálcio que se formam nos rins das pessoas propensas a este tipo de cálculos renais. Mas, esta planta também é bom remédio contra hepatite - tanto que os EUA patentearam seu uso para poderem fabricar um medicamento específico contra a Hepatite B.

As quebra-pedras dos campos brasileiros

Phyllanthus acutifolius - alcança até 70 cm de altura e suas raízes são usadas na medicina popular contra a icterícia. Suas folhas são usadas para casos de pedras na bexiga e rins.

Phyllanthus niruri - este é o quebra-pedra que foi patenteado pelos estadunidenses para a fabricação de medicamento contra Hepatite B.

Phyllanthus amarus - apresenta substâncias anticancerígenas e anti-inflamatórias (estudo). Também é usado na medicina Ayurveda para tratar problemas de estômago, do aparelho genitourinário, do fígado, rim e baço. Age como adstringente, estomacal, hepático, diurético, febrífugo e antiséptico. Também é indicado contra gonorréia, menorragia, problemas gastrointestinais - diarréia e disenteria -, febres intermitentes, oftalmopatias, escabiose, úlceras e feridas (confira nos seguintes estudos caso deseje aprofundar, aqui e aqui).

Phyllanthus tenellus - esta espécie é mais identificada com o nome de erva-pombinha e reconhecida como diurética. Indicada para cálculos renais.

FITOTERÁPICOS APROVADOS PELA ANVISA (DOWNLOAD MANUAL)

A quebra-pedras é uma das 71 espécies indicadas, usadas e distribuídas pelo SUS para os problemas mencionados pela medicina popular pois, seu uso empírico já teve comprovação científica suficiente, razão pela qual também é bem aceita pelos médicos que a conhecem.

MEDITAÇÃO, REIKI, ARTETERAPIA: CONHEÇA AS TERAPIAS ALTERNATIVAS OFERECIDAS PELO SUS

Posologia e sobredosagem

Mas, como toda planta medicinal, a sabedoria está na dose usada e esta é diferente, para cada tipo de recomendação.

Indicações de dosagem:

Adultos: 10 a 20ml de tintura divididos em 2 ou 3 doses diárias, diluídos em água; 2g de erva seca (1 colher de sopa para cada xícara de água) de raízes em decocção até 3 vezes ao dia, com intervalos menores que 12h.
Crianças: posologia por peso corporal: 0,4ml/Kg/dia com intervalos menores que 12h.

Mas, é preciso ter cuidado com a sobredosagem já que, doses muito altas podem ter sério efeito purgativo.

Chá de quebra-pedra

cha de quebra pedraFonte foto: plantasmedicinaisefitoterapia.com

Para fazer um bom chá de quebra-pedra para tratar problemas renais recolha uma planta de porte médio, fresca e pique-a bem (corresponde a uma colher das de sopa de planta seca triturada) para cada xícara de água que for preparar.

Ferva por cinco minutos. Abafe. Tome morno após coar, até um máximo de 3 xícaras ao dia, até a expulsão das pedras (porém, outros indicam que não se deve ultrapassar as 3 semanas de tomada sem interromper por 1 semana, pelo menos).

Esta receita de chá de quebra-pedra também é indicada como diurético, em casos de cistite, ácido úrico, inflamação da bexiga e micção dolorosa.

Leia mais sobre plantas medicinais:

setaCANDIDÍASE: 5 ERVAS QUE PODEM ACABAR COM ELA

setaCONHEÇA 10 REMÉDIOS NATURAIS PARA HEMORROIDAS

setaEQUINACEA: USOS, BENEFÍCIOS E CONTRAINDICAÇÕES