bicarbonato para plantas

Elimine qualquer praga de planta com esses remédios caseiros e naturais

A natureza é perfeita e funciona como uma engrenagem que raras vezes dá defeito e, mesmo quando isso acontece, o ecossistema renova-se, recupera-se, transforma-se, absolutamente sozinho.

Em plantio de agrofloresta, a tentativa é reproduzir um ambiente mais próximo do natural, onde pragas e plantas convivam em perfeita harmonia e equilíbrio.

Mas no jardim da nossa casa ou em cultivares de vasos, vamos combinar que não dá para reproduzir o mesmo ecossistema de chão batido, pior se forem cidades grandes ou com muito movimento de veículos, elas sofrerão com a poluição do ar e a redução de insetos naturais que poderiam acabar, reduzir ou equilibrar a quantidade dessas pragas.

Então, lembre-se, insetos como joaninhas, comem fungos das plantas, são excelentes soldados nessa guerra. Não as espante ou as retire dos vasos ou jardins.

Outros besouros, alguns tipos de vespas e passarinhos também são ótimos nesse equilíbrio natural.

Tipos de pragas

As pragas mais comuns são:

PULGÕES (pretos, marrons, cinzas claros e verdes) – alocam-se nas folhas, brotos e caules.

Melhores eliminadores: joaninhas e fumo de corda.

É importante retirar esses insetos da planta com a poda das folhas infestadas ou limpando o caule. Pode ser raspando de leve com uma faquinha ou com um algodão misturado com água e álcool, na mesma proporção.

COCHONILHA (insetos minúsculos, geralmente marrons ou amarelos) – alocam-se nas folhas e fendas, sugam seiva, atraem mais fungos porque liberam uma substância gelatinosa. Parece que as folhas ficam com uma cera espalhada pela superfície.

Reagem melhor à aplicação de óleo mineral, porque possuem uma carapaça dura que impedem a penetração do produto em solução em água. O óleo impede a respiração e eles morrem. A joaninha também é um predador natural.

MOSCAS BRANCAS – (insetos brancos) – se espalham aos milhares pela planta, ao tocar, elas voam.

De difícil eliminação. Melhor forma de combater, utilizando outras plantas inseticidas, como arruda e cravo.

LESMAS E CARACÓIS – folhas e às vezes raízes.

Quando encontrá-los, retire-os do seu jardim ou vaso. Besouros e passarinhos são seus predadores naturais.

LAGARTAS – devoram as folhas, principalmente brotos. Mas fazem parte do equilíbrio natural, então, deixe as aves cumprirem seu papel como predadores naturais.

ÁCAROS – Parece que a planta enferrujou. Pode ser ácaro, parece uma aranha bem pequenininha de cor avermelhada. Gosta de flores, folhas e brotos.

MARIA FEDIDA – ataca folhas, flores e frutos.
Devem ser removidos manutalmente, não costumam infestar em grandes quantidades.

FORMIGAS – as cortadeiras são as que mais causam estragos, elas precisam de folhas para alimentar os fungos presentes nos formigueiros, esses sim, comida de formiga.

Espalhar borra de café ao redor das plantas funciona para espantar as formigas do jardim. Sementes de gergelim também são indicadas. Novamente, passarinhos e outros bichos podem fazer a contenção natural.

Remédios caseiros para eliminar pragas do jardim

Porém, fora os predadores naturais, se a coisa sair do controle, existem ótimas soluções naturais que você pode fazer em casa.

Para te ajudar nessa missão, separamos algumas receitas de remédios caseiros e naturais que podem ser usados para afastar essas pragas chatas.

Algumas dessas receitas foram passadas por moradores da região rural de Jacutinga, no município de Rio Claro, interior paulista, ratificadas por artigos públicos da Embrapa, e do Ministério da Agricultura, disponibilizados na internet.

Fumo de corda

O mais fantástico.

O fumo de corda foi o primeiro a ser citado por todos os agricultores consultados da região rural de Rio Claro.

O princípio ativo vem da nicotina contida no fumo, que funciona como um perfeito inseticida que espanta inseto.

Se o produto for manipulado corretamente, não oferece riscos à saúde humana e as plantas mantêm suas características intactas pela após exposição a ação do tempo. Normalmente em 24 horas perdem a eficácia, por isso a necessidade de reaplicar o produto.

Altamente indicado no combate de pulgões. Se utilizado no solo, pode evitar lesmas, caracóis e lagartas, mas cuidado para não prejudicar outros animais, como minhocas, por exemplo.

O fumo pode ser encontrado na forma de pó ou a solução pronta em spray em lojas agropecuárias.

Mas você pode fazer em casa.

Método 1 – ideal para controle de pulgões, cochonilhas e grilos. Os agricultores ensinaram que é só deixar um pouco de fumo de corda (aproximadamente 200g, em 1 litro de água), esperar 24 horas e depois, peneire, dilua em mais um litro de água e borrife diariamente essa solução sobre as plantas e o solo.

Método 2 – controle de lagartas e pulgões

Esse método é indicado para plantas frutíferas e hortaliças.

Ingredientes:

  • 100g de fumo em corda (em pedaços)
  • 1 litro de álcool e
  • 100g de sabão.

Preparo: misture todos os ingredientes e deixe curtir por 2 dias.

Aplicação: para pulverizar plantas utilize 1 copo do produto em 15 litros de água.

Sementes de assa-peixe

Vernonia polyanthes Less., da família Asteraceae, mais conhecida como assa-peixe.

A semente dessa planta é um excelente inseticida por causa do seu componente, o dilapiol.

Receita:

A cada 300g de semente, misture em 1 litro de água e aguarde por uma semana, deixando em local fechado, agitando levemente a cada dois dias.

Depois é só borrifar essa solução sobre as plantas e o solo.

Cinzas com água

A queima da madeira gera uma cinza com alto teor de potássio (K) junto com outros minerais que, além de fertilizantes, servem como repelente de pragas, como insetos, pulgões e cochonilhas.

Como fazer: utilize 500g de cinza a cada 2,5 litros de água.

Deixar a mistura descansar por 1 dia.

Depois de pronto, coar e pulverizar ou regar sobre a planta.

Para coar usar saco de estopa ou peneira.

Alho e cebola

Segundo encarte produzido pelo Ministério da Agricultura, disponível no site do Governo Federal, o alho (Allium sativum) e a cebola (Allium cepa) podem servir como um poderoso inseticida por causa de sua composição, contendo substâncias como o enxofre, que podem ser utilizadas no manejo de pragas e de doenças foliares.

Essas substâncias podem ser extraídas em extratos facilmente preparados em casa.

Método 1

Ingredientes:

  • 3 cebolas picadas (350g);
  • 5 dentes de alho (20g);
  • 5 litros de água;

Modo de preparar: preparo da calda. Triture o alho e a cebola e junte num recipiente repleto com 5 litros de água, misture bem, use luvas se for mexer com as mãos.

Depois coe com pano limpo e só borrifar nas plantas.

Tem se ser utilizado no mesmo dia senão perde a eficácia.

Se for o caso, adeque as medidas e faça porções menores.

Método 2 – especial para pulgões, brocas, ácaros e conchinilhas

Nesse método utiliza-se somente o alho.

Ingredientes:

  • 1 dente de alho
  • 2 litros de água

Modo de preparo: triture o alho no liquidificador juntamente com a água.

Pulverize as plantas atacadas.

Método 3 – ideal para controle de insetos, brocas, ácaros, cochonilhas, pulgões, lagartas e vaquinhas.

Aguardar 36 horas para sair o cheiro se a solução for aplicada em plantas comestíveis, antes de  consumi-las.

Ingredientes:

  • 1 kg de alho
  • 5 litros de água
  • 100g de sabão neutro
  • 20 colheres (de café) de óleo mineral

Modo de preparar: moa os dentes de alho finamente, deixe em repouso por 24 horas em 20 colheres de óleo mineral dentro de um vasilhame.

Em outro vasilhame, dissolva 100 gramas de sabão picado em 5 litros de água, de preferência quente.

Após a dissolução do sabão, misture a solução de alho. Coe a mistura.

Para aplicar, dilua a mistura em 20 partes de água (1 litro de calda + 20 de água) e aplique.

Óleo de nim (neen)

Segundo a Embrapa, “a planta do nim (Azadirachta indica Juss.) tem mostrado acentuada atividade inseticida para várias espécies de pragas. A maioria dos resultados sobre a utilização o nim para o controle de pragas foi obtida com produtos preparados através da moagem ou da extração de óleo das sementes”.

Ainda segundo a estudo da Embrapa, a química do nim foi muito estudada nas décadas de 70 e 80, sendo que a azadiractina é o principal composto dessa planta com ação sobre os insetos, mas não o único, sendo as sementes e os frutos a sua principal fonte, além da casca e das folhas.

O nim atua sobre os insetos como repelente e antialimentar, interfere nos hormônios reguladores do crescimento, na metamorfose e na reprodução.

A árvore de nim é popularmente conhecida como árvore para-raios.

Recomendado para o controle de insetos como cochonilhas, pulgões e lagartas.

Formas de uso:

Pó das folhas: as folhas de nim são coletadas juntamente com os talos e colocadas à sombra para secar.

Depois de secas e quebradiças, separe dos talos, e use somente as folhas, com auxílio de moinho ou triturador, até obtenção do pó que deverá ser misturado à água, na proporção de 100g por litro de água.

Ao misturar o pó na água, deve-se mexer bem, para homogeneizar a mistura e, em seguida, deixar em repouso por 24 horas.

Recomenda-se não encher o recipiente até a borda, pois, com a hidratação, o volume irá aumentar e poderá transbordar.

Após esse período, coar o extrato com pano até retirar todos os resíduos, ou poderá entupir os bicos do pulverizador.

Melhor horário de usar é no final do dia.

Pó de semente: pode-se triturar as sementes e misturar o pó em água (100g a cada 1 litro), deixar por 24 horas, depois coar e usar.

Óleo de semente de neem – utilizado na dosagem de 0,5% (0,5 litro em 100 litros de água) pulverizado sobre as folhagens e frutos.

Enxofre

O enxofre foi um dos primeiros inseticidas utilizados pelo homem para o controle de pragas e doenças.

Com baixa toxicidade, se utilizado com os cuidados corretos, ele não oferece riscos.

Serve para o controle das mais variadas espécies de ácaros, pragas, insetos e costuma ser seletivo a inimigos naturais.

Modo de usar: utilize um quadradinho de enxofre a cada 1 litro de água, misture bem e borrife sobre as plantas.

Nesse caso, se se tratarem de plantas comestíveis, elas ficarão impróprias para o consumo.

Sabão

O sabão em barra tem efeito inseticida e, quando acrescentado em outros inseticidas naturais, pode ter potencializados os seus efeitos.

O sabão sozinho também pode servir como inseticida com efeito sobre pulgão e lagartas.

Modo de fazer: use 20g de sabão em barra para cada 2 litros de

Preparo: coloque o sabão em água fervente até dissolver. Espere esfriar e borrife nas plantas infectadas. Essa solução pode servir também como prevenção, porém somente deve ser usada esporadicamente.

Plantas inseticidas

Existem muitas plantas que servem como inseticida natural espantando muitas variedades de insetos.

No caso de jardins em solo, vale a pena investir em plantas que atraiam, seja para abrigo ou reprodução, insetos que se alimentam das pragas.

Algumas plantas são conhecidas por essa ação repelente de insetos, como o alecrim, hortelã, tomilho, sálvia e gergelim.

Já para serem usadas na forma de extrato, as campeãs são cravo-de-defunto e urtiga.

Flores de cravo-de-defunto

As flores de cravo-de-defunto servem para jardins de chão.

Se plantadas em meio às hortaliças principalmente, conseguem ao mesmo tempo atrair e espantar pragas.

Como inseticidas, na forma de extrato, elas podem ser misturadas com água, na proporção 500g para cada 1 litro de água. Deixar descansar por 76 horas, e depois borrifar essa mistura nas plantas.

Urtiga

A urtiga é um poderoso inseticida contra os pulgões e ajuda a planta a aumentar a resistência.

Deve ser feito um extrato com a urtiga fresca, para borrifar nas plantas.

Ingredientes: 100 g de urtiga fresca e 3 litros de água.

Preparo: colocar a urtiga na água por dois dias ou então deixar curtir por quinze dias.

Aplicação: a primeira forma de preparo é para aplicação imediata sobre as plantas atacadas. Para uma segunda aplicação, deve-se diluir o extrato em uma parte da solução concentrada para 10 partes de água.

Citronela

O óleo de citronela é um excelente repelente natural.

O extrato das folhas também pode servir como inseticida.

Modo de fazer: macere 200g de folhas secas e rasuradas de citronela em 1L de álcool com concentração de 70% durante 10 dias em um frasco tampado e escuro.

A cada dois dias, agite a mistura.

Após, passe o líquido por um filtro de papel ou pano limpo e o acondicione em um recipiente hermético.

Pulverize o extrato nas plantas. Ele serve para o combate a pulgões e fungos.

Talvez te interesse ler também:

Como usar o bicarbonato de sódio para evitar fungos nas plantas

Horta comunitária em Paraisópolis: uma ajuda aos moradores desempregados

Para o controle de pragas, prefeitura de Belo Horizonte doa joaninhas para hortas e jardins

20 plantas que vão te ajudar a repelir os insetos da casa e pragas do jardim

Sobre Juliane Isler

Juliane Isler
Juliane Isler, advogada, especialista em Gestão Ambiental, palestrante e atuante na Defesa dos Direitos da Mulher

Veja Também

Museu etnobotânico: plantas contarão histórias e práticas de religiões africanas

O Jardim Botânico de Salvador (BA) vai passar a contar com um acervo especial: um …