Tudo o que você precisa saber antes de viajar de avião com seu pet

pet-aviao

Os animais, cada vez mais fazem parte de nossa vida e de nossa família, por isso, nada mais justo e compreensível a preocupação com eles quando precisamos realizar uma viagem e optamos por levá-los conosco, seja para desfrutarmos de nossas férias ou passeio, seja por motivo de mudança de residência para outra cidade, estado ou até país.

Para orientar quem tem animais e quer viajar com eles e tem dúvidas de como fazer isso, vem este conteúdo esclarecer e orientar sobre como realizar uma viagem aérea com o pet.

Atentem para as informações a seguir e tenham uma viagem dos sonhos: você e seu pet!

 

1. Cada companhia aérea tem suas próprias regras

Em geral, as companhias aéreas têm regras comuns relacionadas aos documentos exigidos para o animal viajar de avião, como o Atestado de Saúde e a Carteira de Vacinação, com as vacinas que o pet precisa tomar antes de embarcar.

Outras informações podem ser mais específicas e diferir de empresa para empresa, como: o tipo de bolsa ou caixa de transporte usada para levar o animal; os critérios para levar o pet na cabine do avião ou na parte de cargas vivas (porão do avião) e como é feito o embarque e desembarque das principais companhias nacionais e internacionais.

2. Orientações para preparar o animal para a viagem

Uma das ações fundamentais para viajar com seu pet é levá-lo antes ao veterinário. Este profissional fará uma avaliação geral das condições do animal antes de partir. Viajar de avião pode ser estressante para o pet, mesmo se ele tiver um temperamento tranquilo. Por isso é bom ter a orientação de um veterinário para saber se há necessidade de algum calmante leve e natural, pois as empresas aéreas não permitem o transporte de animais totalmente sedados. 

Se for sair de férias e quiser levar seu animal, prefira os voos com trajetos mais curtos e sem conexão, isso diminui os riscos de desidratação, estresse e retenção das necessidades fisiológicas dele, como defecar e urinar.

3. Documentação necessária para viagem ou transporte de animais em âmbito nacional

Para viagens nacionais com o pet, é necessário providenciar alguns documentos, veja quais são:

  • Certificado Veterinário - este documento deve ser apresentado para atestar a saúde do seu animalzinho. Ele é emitido pelo veterinário e tem validade de 10 dias, por isso, se programe para não correr o risco do atestado vencer antes da data da viagem
  • Carteira de Vacinação - para viajar com o pet de avião, é necessário apresentar a careira de vacinação, com a vacina antirrábica, que é exigida para animais a partir de 3 meses de idade e precisa ser aplicada de 30 dias a 1 ano antes da viagem. Se a vacina contra a raiva estiver em dia, não será preciso a emissão do Certificado de Vacinação Antirrábica.
  • Atestado de Saúde para Viagens Aéreas - esse documento é o veterinário que expede e vem com a inscrição dele no Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV). Os atestados devem ser emitidos no máximo 10 dias antes da data de embarque, mais que isto não serão aceitos pelas companhias aéreas. Para a emissão deste atestado, o veterinário avalia as condições de saúde do animal antes da viagem.

4. Documentos necessários para viagem internacional com o pet

Caso você pretenda sair do país, seja a passeio ou mudança, e irá levar seu pet, saiba o que irá precisar para viajar de avião:

  • Atestado Sanitário
  • Carteira de Vacinação
  • Laudo de sorologia
  • CZI (Certificado Zoosanitário Internacional)
  • CVI-(Certificado Veterinário Internacional) e 
  • Passaporte 

Para viagens internacionais, a documentação necessária para o transporte de animais de estimação em voos pode variar, de acordo com o destino.

Veja quais são estes documentos e como adquiri-los:

  • Atestado de Saúde e Carteira de Vacinação - para obter esses documentos, faz-se o mesmo procedimento descrito nas viagens nacionais. Filhotes com menos de 3 meses de vida e, que ainda não tomaram a primeira vacina, só poderão embarcar com autorização, por escrito, do veterinário.
  • Laudo de Sorologia - este documento demanda tempo e planejamento de quem quiser fazer uma viagem internacional com o animal de estimação. Esta documentação é fundamental para levar seu pet para a Europa. Para obter esse laudo, é necessário uma amostra de sangue dele que será enviada para análise em um laboratório credenciado pela União Europeia (UE) no Brasil ou  outro laboratório igualmente credenciado pela Comunidade Europeia no exterior. Essa coleta do sangue do animal deve ser feita 90 dias antes do embarque.
  • Certificado Zoossanitário Internacional (CZI) - esse documento é emitido pelo serviço sanitário oficial do país de origem. Tem a finalidade de atestar a procedência do animal e serve para validar as condições sanitárias exigidas para o trânsito internacional de animais. A validade do CZI varia conforme as regras de cada país. Esse documento pode ser obtido através das unidades do Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, localizados nos aeroportos e nas Superintendências Federais de Agricultura, de cada estado.
  • CVI (Certificado Veterinário Internacional) - para viagem internacional com animais, é necessário um documento, o CVI, que é emitido pela autoridade veterinária do país de origem, e aceito nos países de destino. Mais abaixo será especificado o órgão que realiza esse serviço. Esse documento precisa ser de acordo com as exigências sanitárias do país de destino, e deve atestar as condições e o histórico de saúde do animal.

Veja as etapas para solicitar o CVI:
  • Pesquise os locais onde o CVI é expedido
  • Agende atendimento no local selecionado
  • Imprima e preencha o requerimento para requerer o Certificado Veterinário Internacional;
  • Providencie os documentos que são apresentados neste ARQUIVO em pdf
 
  • Passaporte - para obter o Passaporte para Trânsito de Animais em Viagem Internacional deve-se recorrer ao Ministério da Agricultura,  Pecuária e Abastecimento, que desde 2004 realiza a expedição desse documento. Esse documento é permanente e substitui o CVI. Em viagens internacionais, o CVI é solicitado a cada viagem, já o passaporte serve para toda a vida do animal. Para a emissão desse passaporte animal é obrigatório a identificação eletrônica (microchip) no pet. Esse passaporte pode ser usado em viagens domésticas, substituindo o atestado de saúde animal.

A emissão do Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos é gratuita e aceita nos seguintes países: Uruguai, Brunei, Colômbia, Gâmbia e Taiwan.

O Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos é um documento expedido pelo Ministério da Agricultura e pode substituir a Microchip/tatuagem pelo Micro dispositivo implantado sob a pele do animal, que possui um código alfanumérico de identificação do pet. No microchip/tatuagem as informações do animal ficam comumente localizadas atrás da orelha dele. Após a microchipagem, ou tatuagem do animal, o tutor dele recebe uma etiqueta para ser apresentada no momento do check-in. Este passaporte é aceito em todo o território nacional e em alguns países.

Antes de agendar a viagem, pesquise se o país que você pretende ir com seu pet aceita o passaporte ou se será necessário levar a Carteira de Vacinação.

Para saber mais sobre isso confira este FOLDER.

Para se informar melhor sobre os documentos exigidos no país que você irá com seu pet, acesse o SITE do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Tanto o  CVI e como Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos são emitidos pelos Auditores Fiscais Federais Agropecuários das unidades de Vigilância Agropecuária Internacional (VIGIAGRO).

5. Como preparar o animal para viajar na caixa de transporte?

É recomendável adaptar a caixa de transporte que será utilizada para levá-lo na viagem de avião.

Para acostumar o pet à caixa de transporte, é necessário realizar um período de adaptação, para ele não ficar estressado quando for colocado nela.

Seguem algumas dicas para essa adaptação:

Habitue seu pet com a caixa de transporte. Alguns meses antes, faça exercícios de ambientação com seu pet e a caixa de transporte para que ele se acostume nela. É nela que ele irá ficar durante o voo, por isso torne a caixa de transporte um local familiar para o seu pet.

  • Deixe-a aberta e acessível em um local da casa onde o pet gosta de ficar.
  • Coloque petiscos, brinquedos e os paninhos preferidos do pet dentro da caixa, para estimulá-lo a entrar nela.
  • Vez ou outra introduza uma refeição do pet, dentro da caixa de transporte.
  • Quando ele ficar mais a vontade e confortável, comendo a refeição, dentro da caixa de transporte, feche a portinha, abra quando ele terminar de comer.
  • Toda vez que fizer esse procedimento, aumente aos poucos o tempo de permanência dele dentro da caixa.
  • Comece colocar ele dentro da caixa, em diversos momentos, principalmente quando já estiver mais habituado e tranquilo e se afaste, para ele se acostumar com a sua ausência, quando estiver confinado para realizar a viagem.

Cuidados com o pet, antes e durante o embarque

Além da questão burocrática, é necessário pensar em outra questão de vital importância: o bem-estar do animal de estimação.

Antes de fazer a viagem, solicite ao veterinário orientações sobre como preparar o pet para realizar a viagem com calma e segurança. Outro detalhe importante é  preparar a caixa de transporte deixando-a bem limpa, para evitar desconforto para seu pet e incomodo durante o voo, além do que até para não correr o risco de não poder embarcar por causa da má-condição da caixa.

Lembre de reforçar a identificação de seu animal colocando nele uma coleirinha com identificação.

É preciso atentar para o fato que o animalzinho não tem noção do que sejam filas, check-in, aeroportos e aeronaves. Todas essas novidades podem agitá-lo, de forma a comprometer a saúde dele.

Avalie a real necessidade e condições de levar seu pet com você.

Se é o tipo de viagem que dá para deixá-lo com alguém familiar ao pet, que você confie e que, dessa forma, ele não irá ficar tristonho, então deixe-o em casa.

Caso contrário, se é preciso levá-lo, chegue com antecedência ao aeroporto, pois, o check-in com seu pet será feito, pelo menos, duas horas antes do embarque. 

E é um tempo que dá para seu pet fazer as necessidades dele ou até dar um petisco para ele ficar ambientado com o local.

6. Pet viajando na cabine

Medidas das caixas para transporte de animais, para viajar na cabine, de acordo com as regras de cada empresa aérea:

A caixa de transporte deve ter espaço para que o animal se mova e possa dar a volta em torno de si, mudar de posição e tombar para o lado, tendo espaço para ele se movimentar, de forma confortável. Além disso, a caixa deve ter abertura para a circulação de ar.

A caixa precisa da identificação do tutor do animal.

Veja os critérios de cada empresa para a caixa de transportes:

LATAM

As medidas máximas da caixinha são 36 cm de comprimento, 33 cm de largura e 19 cm de altura para caixas rígidas e 36 cm de comprimento, 33 cm de largura e 23 cm de altura para caixas tipo sacola.

GOL

A caixa transportadora deve ter dimensões máximas de 24 cm de altura x 43 cm de profundidade x 32 cm de largura, para caixas flexíveis e 22 cm de altura x 43 cm de profundidade x 32 cm de largura, para caixas rígidas.

AZUL

Nesta empresa em opção de usar dois tipos de caixa: a rígida ou a flexível, tipo sacola.
As dimensões da caixa transportadora (flexível ou rígida) devem ser de, no máximo, 43 cm de comprimento x 31,5 cm de largura x 20 cm de altura.

AVIANCA

A caixa de transporte deve ser de plástico rígido ou tecido resistente, fechada e com ventilação, adequada à necessidade do animal, com  dimensões máximas de 25 cm de altura, 26 cm de largura e 40 cm de comprimento.

7. Requisitos das companhias aéreas para viagem de animais na cabine

Antes de especificar as regras de cada companhia aérea, com relação ao embarque na cabine, é bom salientar que existem raças de cachorros que não podem viajar de avião em certas empresas aéreas.

As raças caninas que possui braquicefálicos (focinho curto ou achatado) possuímos restrição para viajar, porque tem dificuldades de respirar durante o voo, em 2001, um cachorro “Pug” foi a óbito por essa questão.

Se seu pet é de uma raça com essas características, antes de viajar com ele verifique, se ele pode viajar.

Veja os critérios de cada companhia aérea para viagem do pet na cabine:

LATAM

O peso total para o transporte de animais em voos somando a caixa de transporte não deve passar de 7Kg.
O transporte de animais na cabine é na classe Econômica e é permitido viajar com 1 cachorro ou 1 gato.
Quantidades maiores de cachorros ou gatos, só poderão ir no compartimento de carga do avião.
Outras espécies de animais só poderão ser transportadas pela LATAM Cargo.
A idade mínima do animal para viagem é de 8 semanas e, em viagens para os EUA, 4 meses.
Saiba mais aqui no site da LATAM.

GOL

Com relação ao limite de peso, o animal mais a caixa devem ter o peso total de, no máximo, 10 quilos.
É permitido o embarque de somente um animal por passageiro e até 4 no voo.
A solicitação desse viagem deve ser realizada pelo passageiro, no mínimo, três horas antes de voo domésticos e 24 horas de voo internacional.
Uma dica é que prefira os assentos localizados na janela e coloque o pet sob o assento da frente.
O check-in precisa ser realizado até duas horas antes do embarque.
O tutor do animal deve apresentar os documentos do animal, antes do embarque.
Para saber mais detalhes entre no site da GOL.

AZUL

É permitido levar somente um animal na cabine.
Cada voo pode ter, no máximo, três animais.
É necessário que o animal tenha, no mínimo, 4 meses de idade e estar limpo e saudável.
O peso máximo do animal + a caixa de transporte deve ser de até 5 quilos.
Na Azul, é permitido embarque na cabine de um pet por cliente, sendo no máximo três pets por voo.
A Azul não realiza transporte internacional de pets e não transporta animais no compartimento de carga.
Entre no site da AZUL para saber mais informações.

AVIANCA

Esta companhia não faz o transporte de fêmeas no cio, animais não-desmamados ou ainda em amamentação.
Para apresentar a documentação, o tutor do animal deve entrar em contato com a companhia aérea, um dia antes do embarque do animal.
Para transporte na cabine, a Avianca  aceita apenas animais domésticos, cães e gatos, e  só  podem viajar na classe econômica.
O limite por voo na cabine é de 3 animais, sendo 1 por pessoa.
A idade mínima exigida para embarque é de 8 semanas, por conta do risco de desidratação causados pelo transporte aéreo.
Nos casos de pets, de raças pequenas, com idade inferior a doze semanas, mais vulneráveis à desidratação, é necessário apresentar certificado veterinário, atestando que estão em condições de serem transportados no avião.
O limite de peso do animal + caixa de transporte é de 10 kg.
A Avianca não faz transporte de animais no compartimento de carga.
Saiba mais no site da AVIANCA.

8. Transporte de animais no compartimento de carga

Caso o peso do seu pet exceda o que é extipulado na regra da companhia aérea para a viagem do animal na cabine, ele terá que viajar no compartimento de carga, onde o ambiente possui a mesma temperatura e pressurização da cabine de passageiros.

9. Cheque e observe o bem-estar do animal durante a viagem

Mesmo que o animal vá na cabine, o pet ficará o tempo todo dentro da caixa de transporte.
Nesse caso, para deixá-lo mais confortável e seguro, uma dica é colocar dentro da caixa, uma peça de roupa com seu cheiro, ou um objeto ou brinquedo preferido dele, dessa forma, ele sentirá certa familiaridade com a situação, apesar de estar fora de seu ambiente costumeiro.

10. Animais de assistência emocional ou física

Cães-guia ou animais de assistência emocional, podem viajar na cabine do avião, sem qualquer custo, mas o tutor precisa apresentar a documentação médica referente à necessidade que possui (emocional ou física).

Nas regras de cada empresa aérea há informações a esse respeito. 

Para obter esse serviço e poder viajar com seu animal, como seu acompanhante na cabine do avião, o tutor precisa ter documentação que preenche os requisitos de comprovação como, por exemplo, declaração de um especialista  (psicólogo ou médico).

Para os viajantes que residem nos EUA, existem sistemas que fazem o registro de animais de estimação que, além de serem amigos e parte da família, são considerados oficialmente, animais de suporte emocional ou físico do tutor.

Para saber mais, acesse os sites do ESA - Registro Oficial de Animais de Apoio Emocional e Service Dog-Certificado de cães de serviço.

11. Organize-se para fazer uma boa viagem com seu pet

Atualmente, o transporte de animais de estimação em aviões é uma algo comum, pois, os pets são considerados entes das famílias.

Para a viabilizar a sua viagem com seu pet e para que tudo corra bem, planeje e se organize com tempo hábil, não deixe tudo para a última hora.

E para você que pretende viajar de avião com seu pet... BOA VIAGEM!

Talvez te interesse ler também:

QUE TAL UMA MOCHILA PARA LEVAR O CACHORRO PARA PASSEAR?

FÉRIAS: 7 COISAS PARA SABER ANTES DE VIAJAR COM ANIMAIS DOMÉSTICOS

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!