Ela foi salva de um câncer de mama, graças à sua gata Missy!

  • atualizado: 
Angela Tinning e Missy

Angela Tinning tem 45 anos, trabalha como diretora financeira de uma escola; vive em Lemington, Newcastle na Inglaterra, com sua gata Missy. Esta mulher foi diagnosticada duas vezes com câncer de mama em tempo de evitar o pior. E isso ocorreu graças à sua gata.

Saiba, nesta matéria, como isto aconteceu!

1. A Mudança de comportamento da gata

O diagnóstico precoce do câncer faz toda a diferença, porque se descoberto no início há maiores possibilidades de recuperação e cura.

Angela foi salva do câncer, por duas vezes, graças à sua gata.

Nas duas vezes que isto ocorreu, a gata de Angela vinha apresentando um comportamento mais carinhoso do que o habitual, se aproximando com frequência do peito dela.

A felina não costumava apresentar esse comportamento, por ter um temperamento arisco, por isso era de se estranhar a mudança.

Ela deitava no peito de Angela, tocava sempre na mesma área, que ao ser tocada apresentava dor, este fato foi um alerta para Angela, que havia se dado conta de que algo estava errado.

Da primeira vez, dois anos atrás, a gata de Angela vinha tendo atitudes incomuns, se aproximando e tocando no peito dela e ao toque doía.

Angela foi ao médico e ao ser examinada foi informada de que células pré-cancerígenas foram encontradas e ela teve que fazer uma cirurgia para removê-las.

Dois anos depois, Angela notou que Missy estava se comportando de maneira incomum novamente, como da primeira vez.

O peito de Angela ao ser tocado por Missy revelava a doença com a sensação de dor, isso despertou nela a suspeita de que algo não estava bem.

Foi então que Angela decidiu procurar aconselhamento médico novamente, para saber o que estava acontecendo e, ao passar pelos exames médicos e biópsia, lhe fora dada a notícia devastadora de que ela estava com câncer de mama.

Angela teve que passar por uma mastectomia e cirurgia reconstrutiva.

O câncer foi detectado cedo, mesmo sem aparentes sinais e, graças à Missy, Angela percebeu e foi diagnosticada a tempo. Quando Missy pulou em seu peito, foi o aviso, se ela tivesse esperado, provavelmente o tumor já estaria em uma área muito grande.

Angela considera Missy sua heroína e por isso propôs o prêmio "Gata Heroína", premiação essa concedida pelo National Cat Awards.

angela missyFonte foto

2. A campanha de Angela para o tratamento do câncer de mama

Angela está chamando as pessoas para angariar fundos e promovendo o grande evento, Outubro Rosa, para apoiar a instituição de caridade Breast Cancer Care, através da qual ela fez o seu tratamento.

Para Angela, a Instituição Breast Cancer Care, lhe deu todos os cuidados, apoio e informações para o seu tratamento e recuperação.

O dinheiro arrecadado com o evento Outubro Rosa ajudará o Breast Cancer Care a transformar e melhorar a vida de pessoas afetadas pela doença, como foi com Angela.

3. A percepção aguçada dos animais

Se Angela não tivesse descoberto logo o câncer de mama através de sua gata, talvez não estivesse bem, ou estivesse viva para contar essa história, pois o tumor poderia ter se espalhado pelo corpo dela.

Este fato de um amigo peludo "diagnosticar" a presença de um tumor ou doença em um ser humano, não é a primeira vez que acontece.

Já houveram outros casos semelhantes, ao de Angela e sua gata Missy, de animais que sentiram o câncer de seus tutores antecipadamente.

Quando gatos e outros animais se comportam assim, pode ser um aviso que existe um desequilíbrio na parte do corpo que eles se aproximam, tocam e cheiram, com muita frequência.

Os animais têm uma percepção aguçada!

Quem tem animais, é provável que já tenha comprovado isso.

Talvez te interesse ler também:

LIÙ, O CÃO QUE DIAGNOSTICA O CÂNCER ANTES DOS SINTOMAS

CÂNCER DE MAMA: FATORES DE RISCO, SINTOMAS E O AUTOEXAME

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!