A bateria que desafia a obsolescência programada e dura 400 anos (VÍDEO)

Mya Le Thai

Uma bateria que pode ser recarregada centenas de milhares de vezes está por vir: a Universidade da Califórnia desenvolveu um dispositivo que pode durar até 400 anos, que promete revolucionar a eletrônica, mas especialmente o meio ambiente, trazendo para o mercado algo que vai derrotar a obsolescência programada e permitir uma redução drástica na decomposição do lixo eletrônico, feito de objetos superpoluentes.

A bateria é feita de fios nanométricos, milhares de vezes mais finos do que um cabelo humano, e altamente condutores com uma grande área de superfície para o armazenamento e a transferência de elétrons. Para evitar problemas devido à sua extrema fragilidade, os pesquisadores da UCI revestiram um nanofio de ouro de dióxido de manganês e “preso” à montagem em um eletrólito que consiste em um gel semelhante ao acrílico, polimetil-metacrilato (PMMA). A combinação é confiável e resistente à ruptura.

Mya Le Thai, a estudante de doutorado que liderou a pesquisa, fez à bateria mais de duzentos mil ciclos sem detectar uma mínima perda de capacidade.

"Mya estava trabalhando, cobriu tudo com uma camada muito fina de gel e começou os ciclos de carga e descarga - disse Penner, presidente do departamento de química do Instituto. Constatou-se que simplesmente usando este gel, poderia-se ter centenas de milhares de ciclos sem perda da capacidade."

Dispositivos deste tipo geralmente "morrem" após um máximo de 7.000 ciclos, os pesquisadores apontaram então que a melhoria é surpreendente.

Tal bateria poderia realmente contribuir para reduzir a poluição, visto que baterias, em geral, representam um grande problema ambiental. Também é candidata à derrotar a validade prevista nos produtos eletrônicos, desde que consiga se colocar no mercado. Tomara!

Os resultados foram publicados na American Chemical Society’s Energy Letters.

Leia mais sobre inovações:

CONHEÇA ALTAS TECNOLOGIAS A FAVOR DA BIODIVERSIDADE BRASILEIRA

E-KAIA: A ENERGIA QUE VEM DAS PLANTAS E CARREGA BATERIAS

PESQUISAS REVELAM QUE A BATATA É FONTE DE ENERGIA ELÉTRICA