Recorde de aviões do céu, mais de 200 mil em somente um dia. Olha porque não é uma boa notícia

  • atualizado: 
Trafego aereo

Mais de 200 mil aviões cruzaram o céu no mês passado, em 13 de julho. É um recorde com o número máximo de vôos da história da aviação. Mas não há nada para comemorar.

Mais voos significa mais poluição do ar. A novidade foi dada pelo Flightradar24, um site sueco que trabalha com o rastreamento de aviões, e que registrou um total de 205.468 vôos em 24 horas. Cerca de 20 mil aeronaves estiveram no céu, ao mesmo tempo.

Antes de 13 de julho, apenas duas vezes no mesmo ano de 2018, os números ultrapassaram os ​​200 mil vôos em um só dia: 12 de julho e 29 de junho, quando pela primeira vez os 200 mil vôos diários foram ultrapassados.

E ainda não acabou. De acordo com Flightradar24, esse recorde pode ser excedido algumas vezes nos próximos meses de férias na Europa. O pico de tráfego nos últimos dois anos ocorreu no final de agosto. Em agosto passado, 24 de agosto, o maior número de vôos foi registrado, igual a 190.003.

O mínimo de cada ano ocorre no dia 25 de dezembro, já que quase todos os que viajam no Natal saem de suas casas nos dias precedentes, sem contar que as companhias aéreas reduzem ou eliminam uma série de vôos. Em 25 de dezembro de 2017, apenas 101.511 foram monitorados.

Como tudo isso afeta o meio ambiente e a poluição do ar?

O problema é revelado pela Aviation Environmental Report da Comissão Europeia, o Relatório Ambiental sobre a Aviação Europeia, publicado em 29 de janeiro de 2016 pela AEA, pela European Aviation Safety Agency (EASA) e pelo Eurocontrol.

Segundo o estudo, as emissões de óxidos de nitrogênio (NOx) no setor estão em constante crescimento. De 1990 até hoje eles duplicaram, enquanto que para 2035 é esperado um crescimento de 43%.
 
Estas são as mesmas emissões produzidas pelo setor automotivo. O aumento, no entanto, também afeta as emissões de dióxido de carbono (CO2). Este crescimento está ligado ao aumento exponencial do número de voos nos últimos 25 anos. Entre 1990 e 2014, o número de voos aumentou 80% e deverá crescer mais 45% entre 2014 e 2035, aumentando cada vez mais as emissões poluentes globais, o ruído ambiental e outros fatores.

Em termos de emissões, o dossiê fez um balanço calculando que o dióxido de carbono aumentou em cerca de 80% entre 1990 e 2014, e espera-se que cresça mais 45% entre 2014 e 2035, enquanto as emissões de óxido nítrico dobraram entre 1990 e 2014 e devem crescer mais 43% entre 2014 e 2035. De fato, a poluição do ar proveniente do tráfego aéreo na Europa aumentará em quase 50% nos próximos 20 anos.

Para dizer...no mínimo...perturbador: veja o vídeo:

Quanto mais progresso e primeiro mundo, mais danos e poluição. É preciso dar grande largada aos meios de transportes zero emissões como os movidos à energia solar.

Leia mais:

setaPOR QUE OS AVIÕES POLUEM TANTO?

setaAVIÃO SOLAR REALIZA VOO DO HAVAÍ À CALIFÓRNIA

setaUM AVIÃO SOLAR NA FLORESTA AMAZÔNICA