Por que os aviões poluem tanto?

aviões poluem tanto

Os aviões transportam centenas de pessoas e bagagens em altas velocidades, consumindo grandes quantidades de combustíveis fósseis. No processo, as companhias aéreas despejam grandes quantidades de poluentes perigosos em nossas casas e em nossa atmosfera todos os dias. Este grande dano, em grande parte invisível, continua crescendo a um ritmo acelerado.

Os aviões possuem três grandes problemas: são ineficientes, grandes e funcionam com combustíveis tóxicos. Um avião modelo A380 totalmente carregado, usa tanta energia quanto 3.500 carros de família, o equivalente a seis carros para cada passageiro. Um voo de longo percurso produz, em média, duas vezes mais emissões por milha percorrida por passageiro do que carros. Voos de curta distância produzem três vezes mais.

Aviões alcançam níveis extraordinários de consumo de energia e emissões de carbono pela queima de grandes quantidades de combustível tóxico. Este combustível produz, além de dióxido de carbono, de óxidos de hidrogênio, sulfatos e outras partículas poluentes, que amplificam o impacto da aviação no aquecimento global. O efeito combinado de todos esses poluentes multiplica o impacto do aquecimento global da aviação, tornando-a responsável por cerca de 5% da poluição climática global.

Apesar da taxação na emissão de poluentes da aviação na União Europeia e da notícia da produção de gasogênio pela British Airlines, o panorama da aviação em matéria de redução de pegada de carbono não parece muito promissor.

A British Airlines planeja abastecer seus voos de Londres a Nova Iorque, a partir de 2017, usando lixo. De acordo com o executivo Jonathan Consell, da British Airways, o resultado do processo é um “combustível muito puro, de alta qualidade”, que pode reduzir a emissão de gases causadores de efeito estufa em até 95% - isso sem considerar a prevenção de emissão de metano pelo lixo em aterros sanitários.

Apesar de parecer nova, a produção de gasogênio já foi uma tecnologia popular sete décadas, durante a Segunda Guerra Mundial, por conta da escassez de petróleo, em muitos lugares passou-se a utilizar o gasogênio como combustível para carros e outros veículos. Os veículos eram movidos pela queima dos gases obtidos através da queima da lenha num ambiente com pouco oxigênio. E é isso que será feito com os resíduos sólidos, após removidos os resíduos tóxicos e também os recicláveis. Os gases obtidos a partir desse processo serão convertidos em combustível líquido, através do processo de Fischer-Tropsch – que permite a produção de combustíveis líquidos, como gasolina, querosene, diesel e lubrificantes, a partir de monóxido de carbono e hidrogênio.

A iniciativa é realmente louvável, mas a meta de utilização de combustíveis renováveis na aviação, no Reino Unido, é de apenas 30% até 2050. Enquanto isso, com quanto menos avião pudermos nos locomover, melhor!

Fonte foto: wikipedia.org