Carros: ter ou não ter? Eis a questão

Carros: ter ou não ter?

Nosso planeta está passando por diversas mudanças climáticas e a emissão por combustíveis fósseis – notadamente a gasolina – fez com que os automóveis se transformassem nos vilões da vez. Mas com tantos incentivos nacionais à fabricação de carros, e com o excessivo trânsito nas cidades, fica sempre a pergunta: devemos ter carro ou não?

Carros: não ter!

É claro que, de cara, temos de pensar em diversos fatores negativos a respeito dos automóveis: trânsitos permanentemente engarrafados nas grandes cidades, queima de combustível, acidentes, falta de verdadeira mobilidade urbana, individualismo, entre outros.

Além disso tudo, ainda temos o alto custo da manutenção do veículo: combustível, impostos, seguros, garagem, estacionamento...Clique aqui para calcular quanto custa manter um carro.

Carros: ter!

Poder ir e vir quando e aonde quisermos, com quem quisermos, dirigir - muitos gostam! - comodidade, sem falar que o carro é uma paixão para muitos e um sonho de consumo para outros muitos.

A bicicleta como alternativa

A bicicleta, então, tem surgido como a alternativa bacana das grandes cidades, sendo incentivada como meio de transporte sustentável. Enquanto o carro é o vilão do momento, a bike é o must!

Na capital francesa, o próprio governo tem incentivado financeiramente as pessoas a se dirigirem ao trabalho de bicicleta, prezando pela saúde e longevidade da população – além de auxiliar o próprio sistema de saúde a não ficar tão sobrecarregado, já que menos pessoas ficam doentes, seja pela atividade de pedalar, seja porque há menos gases nocivos à saúde na atmosfera.

Entretanto, os partidários do deslocamento sobre quatro rodas, chamam a atenção para o fato de as bicicletas serem ótimas em curtas distâncias, mas impraticáveis para cobrir trajetos muito longos.

Alternativas

Existem algumas possibilidades hoje que tentam deixar o carro um pouco menos agressivo ao meio ambiente. Por exemplo, é sabido que os carros brasileiros tem péssima eficiência no consumo de combustível, então, o Greenpeace tem feito uma campanha, para tirar nossos carros “da idade da pedra”. Se o esforço der certo, isso servirá para diminuir as emissões nas grandes cidades, ajudando no quadro geral.

Além disso, há as caronas solidárias – quando um dono de carro dá carona a seus colegas ou amigos e, assim, em vez de 4 automóveis, temos apenas 1 transportando pessoas. A palavra-chave é compartilhamento em iniciativas como o car sharing, que tem virado moda no mundo todo.

E não nos esqueçamos do Borajunto, aplicativo para dividir o táxi e dar aquela força seja para o trânsito, para o ar que respiramos que para o bolso do freguês.

Carros: ter ou não ter?

Talvez, a resposta mais interessante à questão do uso do carro – apesar de a bicicleta ter vantagens claras – seja: equilíbrio. É isso mesmo. Carros elétricos, em breve, serão uma realidade no Brasil – em muitos lugares já o são –, então, isso nos levará a outras questões, como o volume do tráfego e outras. Então, é importante que quem desejar ter o seu carro, preste atenção a alguns aspectos: utilizar combustíveis oriundos de bioenergia, como o álcool; apenas sair de carro em situações específicas, optando por transportes coletivos, ou, pelo menos, por táxis, na maior parte das vezes; ser solidário, oferecendo carona a amigos e colegas... em suma: ter bom senso sobre o uso deste veículo. Assim, você estará exercendo cidadania e fazendo sua parte por um futuro melhor para todos.

Leia também:

EUA: chegou ao fim o “caso de amor” com o automóvel?

Ir para o trabalho caminhando ou pedalando melhora a saúde mental

Fonte foto: freeimages.com