Romã: uma fruta cheia de símbolos, significados e mistérios

Romã: uma fruta cheia de símbolos, significados e mistérios

A romã além de ser um fruto com várias propriedades, benefícios e utilizações na alimentação, possui diversas simbologias e significados.

Esta fruta é comumente associada à riqueza e à prosperidade. Tem até simpatia de final de ano com a romã para atrair dinheiro.

Existem várias versões dessa simpatia, mas a maioria delas consiste em pegar um nota de dinheiro, colocar sementinhas de romã dentro da cédula, dobrá-la e deixá-la na carteira durante o ano todo.

Ao acabar o ano, pode usar essa nota no ano seguinte e jogar a sementinha na terra, para que ela prospere e vire uma árvore.

Além de significar abundância, a romã tem vários outros significados.

Conheça mais sobre as simbologias e os mistérios que envolvem esta fruta maravilhosa.

Sobre a fruta romã

A romã é fruto da romãzeira (Punica granatum), árvore nativa da Pérsia, atual Irã, onde a cerca de 2000 anos vem sendo cultivada. Também é típica, desde a antiguidade, da Grécia, Síria, Chipre e Ásia Menor.

Com o passar do tempo, a romã foi sendo distribuída para outros países, da Ásia às Américas, até chegar ao Brasil, trazida pelos portugueses.

A fruta é arredondada do tamanho de uma laranja, e seu sabor é levemente ácido, indo para o azedo.

A casca da romã é firme e avermelhada, com uma pequena coroa em sua extremidade.

Com seus troncos retorcidos e folhas brilhantes, a romãzeira pode alcançar até oito metros de altura.

Em seu interior, a romã tem os seus preciosos grãos carnudinhos, que ficam vermelhos, quando a fruta está madura.

Símbolos, significados e mistérios da romã

A romã é uma fruta milenar, que com seus vários simbolismos, aparece em várias culturas como:

Na Bíblia

Quando os judeus saíram do Egito e chegaram à terra prometida, tiveram certeza que era a terra que Jeová destinava à eles ao encontrarem uma romã, como prova da fertilidade da região.

Na Mitologia Grega

A romã era fruta consagrada à Afrodite, a deusa do Amor.

Era comum as mulheres gregas dessa época, consumirem a romã em rituais religiosos para evocar a fertilidade.

Na mitologia grega, Deméter, a deusa da terra e da colheita, teve sua filha Perséfone raptada por Hades, deus das profundezas, que a levou para viver com ele no inferno.

Demeter inconformada pediu ajuda a Zeus (senhor dos deuses), que por sua vez disse a Hades que libertasse Perséfone.

Hades não atendeu o pedido de Zeus e ainda deu à Perséfone uma romã, fruta da união.

Como a Perséfone acabou comendo dos grãos dessa fruta, não pode mais se ver livre de Hades.

No Judaísmo

O rei Salomão, durante o seu reinado, mandou esculpir a imagem dessa fruta no alto das colunas de seu templo, onde hoje se encontra o Muro das Lamentações, em Jerusalém.

Era para esse lugar que os judeus levavam as romãs e outros alimentos sagrados, com a finalidade de comemorar a Festa de Pentecostes.

Segundo o Judaísmo, a romã possui 613 sementes, que é o mesmo número de mandamentos escritos na Torá – o Livro Sagrado dos Judeus.

Na Roma Antiga

Para os romanos, a romã representava a ordem e a nobreza, e sempre fazia parte das refeições em cerimônias e banquetes.

Nos casamentos em Roma, era tradição os noivos usarem coroas feitas de ramos de romãzeira.

Na Maçonaria

A romã é considerada pelos maçons como uma das obras da natureza, tanto é que nas lojas maçônicas, a romã aparece em cima de duas colunas, representando a união entre o Céu e a Terra.

Para os maçons, cada grão de romã possui carne (polpa), sangue (suco) e ossos (sementes).

E de acordo com os ensinamentos da Maçonaria, os grãos da romã simbolizam a união, a solidariedade, a ligação e a humildade que devem prevalecer entre os membros dessa ordem.

No Cristianismo

A romã aparece em várias pinturas religiosas que retratam Maria e o menino Jesus, como o famoso quadro “La Madonna della Melagrana”, de Botticelli, contendo a imagem de Cristo com uma romã aberta na mão, símbolo de grandeza espiritual.

No catolicismo é tradição consumir romãs no dia 6 de janeiro, dia consagrado aos Reis Magos, como forma de conexão espiritual e devoção religiosa.

Romã na alimentação

Essa fruta com diversos simbolismos, de sabor sui generis e aspecto diferenciado pode ser consumida de várias formas:

  • in natura
  • saladas
  • sobremesas
  • sucos
  • bebidas alcoólicas

Uso medicinal da romã

Os benefícios da romã são muitos. O suco desta fruta é rico em fósforo e vem sendo usado como remédio desde os tempos antigos.

Na Índia, muitas vezes as mulheres tomavam o suco de romã a fim de assegurar a fertilidade e combater a esterilidade.

O poder curativo da romã se deve às suas propriedades:

  • anti-inflamatórias
  • antibióticas
  • rejuvenescedoras
  • digestivas
  • anticancerígenas

Devido a essas propriedades, o uso terapêutico e medicinal da romã, em geral se dá na forma de chá de sua casca, que pode ajudar a:

  • reduzir a pressão arterial
  • promover a melhora de problemas de garganta
  • prevenção e tratamento de distúrbios cardiovasculares
  • regular o fluxo menstrual
  • tratar problemas gástricos e intestinais

Com todos esses simbolismos elevados e acentuado poder curativo, só falta agora saborear essa fruta!

Que tal aprender a fazer o seu suco?

Confira a receita em:

Suco de romã. A receita mais simples explicada passo a passo

Talvez te interesse ler também:

Na romã o segredo para salvar o intestino da colite e Doença de Crohn

Maçãs e suas simbologias: todos os significados do fruto proibido

Abelha: símbolo de fertilidade, riqueza e muito mais. Todos os significados

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *