Itanhaém: multas recebidas por danos ambientais serão revertidas em projetos de preservação

Itanhaém: multas recebidas por danos ambientais serão revertidas em projetos de preservação

O Ministério Público Federal disponibilizará para Itanhaém, cidade do Litoral Sul do estado de São Paulo, uma verba de R$715 mil, que possibilitará a reforma da uma ala do Centro de Educação Ambiental e de Pesquisas do Estuário do Rio Itanhaém-CEA e a instalação de mais de 200 lixeiras ao longo da orla do município, além de outras ações ecológicas.

Todas essas ações fazem parte do Projeto “Praia Viva, Oceanos Limpos”, coordenado pela Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente.

Conforme divulgado pela Prefeitura de Itanhaém, este montante é um repasse ao município oriundo das multas aplicadas pelo MPF às empresas da região que causaram prejuízos ambientais ao oceano.

O que é o Projeto Praia Viva, Oceanos Limpos

Este  projeto é um empreendimento ecológico e ambiental que visa, principalmente, a preservação dos oceanos e está dividido em quatro segmentos:

Educando para a Praia e o Oceano

Que consistirá na instalação de mais de 200 lixeiras circulares de madeira plástica (ecológica e sustentável) no trajeto da orla marítima do município, tendo o trabalho de conscientização e informação para a população.

Educando com a Limpeza de Rios e Mangues

Nesta etapa, acontecerá a reforma de uma ala do CEA, para se tornar a sede do projeto. Também está previsto a aquisição de barcos de alumínio, motores de popa e de um veículo do tipo pick-up para a servir ao trabalho e atividades da Secretaria de Planejamento e Meio-Ambiente.

Ainda nesta etapa, acontecerá a compra de mobiliário e equipamentos de informática, além de materiais a serem usados no trabalho e produção referentes à educação e conscientização ambiental.

Também terá ações voltadas à limpeza dos mangues e margens dos rios, aliada à conscientização das comunidades ribeirinhas.

Abordagem para Educar

Esta etapa será para a aquisição de equipamentos, a instalação de mais lixeiras em áreas com tráfego de embarcações e marinas (portinhos) e ocorrerá em paralelo com a 4ª etapa.

Educando o Turista

Essa ação é uma extensão da 3ª etapa, sendo voltada para a conscientização dos visitantes da praia da cidade e dos usuários de embarcações.

Todas estas ações estão previstas para ocorrer ao longo de 18 meses, estando este tempo sujeito à prorrogação, conforme as circunstâncias.

É preciso mais ações para salvar os oceanos

Outras cidades estão sendo ou serão contempladas com este recurso financeiro voltado à preservação ambiental.

Fazemos votos que este e outros projetos ecológicos similares se viabilizem com sucesso, pois há anos especialistas vêm nos alertando sobre a necessidade de ações rápidas para salvar os oceanos.

Talvez te interesse ler também:

Amazônia será um pesadelo de degradação, sugere novo estudo

A vida das plantas: elas falam, sentem e ajudam umas às outras

A Amazônia não é o pulmão do mundo mas é o coração pulsante da Terra

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *