Minas Gerais vai receber 84 mil mudas nativas e exóticas de Mata Atlântica

Minas Gerais vai receber 84 mil mudas nativas e exóticas de Mata Atlântica

O Conexão Mata Atlântica, junto com o Instituto Estadual de Florestas de Minas Gerais (IEF/MG), está plantando 84 mil mudas nativas e exóticas na Zona da Mata mineira com o objetivo de reflorestar a Mata Atlântica da região.

O projeto já plantou 60 mil mudas e vai finalizar a ação em março deste ano em propriedades que trabalham de forma integrada lavoura/pecuária/floresta (ILPF). Elas também podem trabalhar com agrofloresta e outros arranjos produtivos, desde que alinhadas aos objetivos da iniciativa, informa o jornal Tribuna de Minas.

Sustentabilidade

De acordo com o IEF, espera-se que com o manejo florestal sustentável sejam alcançados vários benefícios, como captura e manutenção de estoques de carbono, proteção e incremento da biodiversidade, capacitação de produtores rurais e uso sustentável da água e do solo.

O diretor-geral do IEF, Antônio Malard, explica que:

“Essa ação está contemplada dentro do Projeto Conexão Mata Atlântica, considerado modelo de restauração e recuperação em Minas Gerais e que está sendo aplicado em 18 propriedades rurais cadastradas. Todo o projeto abrange 175 propriedades rurais na Zona da Mata mineira, que são atendidas com cercamento de nascentes, doação de mudas, plantio e também capacitação dos produtores rurais”.

As 175 propriedades rurais da Zona da Mata inscritas na iniciativa somam 1.621,74 hectares atendidos.

Embora o plantio das 84 mil mudas ocorra na Zona da Mata mineira, o Conexão Mata Atlântica é uma iniciativa dos governos federal e dos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro, com apoio do Fundo Global para o Meio Ambiente (Global Environmental Facility – GEF), do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e da Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec).

Talvez te interesse ler também:

Quando plantar árvores pode fazer mais mal do que bem

Itanhaém: multas recebidas por danos ambientais serão revertidas em projetos de preservação

Helicônias: variedades e espécies

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *