©NakNakNak/Pixabay

Não alimente sagui (e nenhum outro animal selvagem). Veja o porquê

Não alimente sagui (e nenhum outro animal selvagem). Veja o porquê

Você conhece o sagui? Provavelmente, já deve ter visto algum na sua cidade. São muito simpáticos e, por isso, atraem a atenção dos humanos. Entretanto, trata-se de uma animal silvestre que precisa ser tratado como tal.

O sagui é um primata endêmico da região Sudeste do Brasil que tem invadido as cidades porque a extensão de matas disponíveis para a espécie vem diminuindo drasticamente a cada ano. Por causa disso, muitas pessoas tentam domesticar o animal alimentando-o e aproximando-se dele para realizar fotos e vídeos. Mas essa atitude pode acarretar riscos para tanto para ele quanto para nós.

Segundo o G1,  um grupo de especialistas em primatas da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) criou um guia de uso responsável de imagens de primatas. O material, que foi divulgado pela Sociedade Brasileira de Primatologia, traz diretrizes de boas práticas para coibir imagens fora de contexto nas redes sociais.

Não publicar nem compartilhar fotos. Proteja os animais

Os guias da Sociedade Brasileira de Primatologia sugerem não publicar nem compartilhar fotos de primatas em contato direto com seres humanos.

Caso se faça algum registro, deve-se observar uma distância mínima de sete metros. Os profissionais que trabalham diretamente com os primatas devem usar  equipamentos de segurança e, caso façam uma fotografia, devem utilizar legendas esclarecendo o contexto em que ela foi tirada.

O problema da aproximação entre as espécies é a transmissão de doenças dos primatas para os seres humanos, como hepatites virais (tipos A e E), raiva e herpes simplex, que para nós não gera grandes riscos mas pode ser fatal para eles. Uma atitude como morder uma banana e dar o pedaço para um sagui pode ser letal para o animal, caso o vírus humano lhe seja transmitido.

Junk food

Um outro problema em alimentar animais silvestres, de acordo com a explicação da bióloga Patrícia Alexandrini, responsável pelo setor de alimentação do Zoológico de São Paulo, à Superinteressante é que:

“Esse hábito desacostuma os bichos a exercer suas habilidades de conseguir o alimento, já que comer o que o humano oferece não exige esforço. Sem contar que uma comida inadequada pode provocar o desbalanceamento do metabolismo do animal”.

Para agravar a situação dos animais, há quem lhes dê alimentos totalmente inadequados, como pão e chocolate. No caso específico dos macacos, eles podem desenvolver doenças tipicamente humanas, como diabetes e obesidade.

Muita gente fica preocupada em o animal estar passando fome. Mas, como explica o primatólogo Fabiano Melo, do Instituto Muriqui, é raro que um animal esteja passando necessidades alimentares na natureza.

Se você julgar que um animal silvestre está em situação de sofrimento, acione o Corpo de Bombeiros ou a Polícia Ambiental.

Talvez te interesse ler também:

O que fazer se você encontrar um animal silvestre na sua casa

Leão-marinho puxa menina pra água, veja por quê não se deve alimentar animais selvagens

Tailândia: Doguinho pede comida com uma tigela na boca e viraliza

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

2 comentários em “Não alimente sagui (e nenhum outro animal selvagem). Veja o porquê”

  1. Avatar

    Saguis são dóceis , dar bananas é o suficiente , proibido tirar fotos ou fazer vídeos com o animal ? Esse já é mais um motivo de gravar e tirar fotos , que na qual eu não vejo nenhum problema , o único problema que vejo é pessoas criando saguis como pet e pessoas tentando alimentar eles com pão , bom na floresta que tem perto de casa tem muitos saguis , não vejo eles agressivos ou se comportando de forma estranha , são dóceis e brincalhões , aliás isso faz termos a responsabilidade de estar sempre atentos para protegê-los de pessoas que possa tentar roubar para criar em casa , saguis são um amor , essa matéria aqui o trata como um vilão sendo que não é .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *