Peixe-boi reintroduzida à natureza está grávida: filhote deve nascer em junho

O peixe-boi-da-amazônia (Trichechus inunguis) é uma espécie ameaçada de extinção que, graças ao Programa de Reintrodução de Peixes-bois-da-Amazônia, pode ter uma chance de sair dessa situação.

As principais causas da extinção da espécie são a captura acidental em redes de pesca e a caça ilegal, proibida no Brasil desde 1967.

Uma fêmea “Baré” que chegou ainda filhote ao Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC), em Manaus, foi reintroduzida à natureza e, agora, está grávida. Ela foi solta em 2018 na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (DRS) Piagaçu-Purus, no município de Anori, a 173 quilômetros da capital amazonense, informa a Cultura Amazônica.

A pesquisadora do LMA do Inpa Vera da Silva confirmou a gravidez da fêmea Baré, que foi resgatada, reabilitada e reintroduzida na natureza, comprovando que os procedimentos adotados pela equipe de pesquisadores se mostraram eficazes.

“Esta gravidez mostra que o animal está bem, adaptado e integrado nessa população de peixes-bois. Isso para nós é uma grande satisfação, e é mais uma etapa na garantia da conservação dos peixes-bois-da-amazônia”, explica a líder da equipe.

A previsão é de que o filhote nasça em junho, período de cheia no rio Purus, segundo o coordenador do Programa de Reintrodução de Peixes-bois da Amazônia, o biólogo Diogo Souza, visto que a reprodução da espécie está relacionada ao ciclo hidrológico da Amazônia.

O nascimento do peixe-boi está coordenado à cheia das águas, por ser o período de maior abundância de alimentos. Em seu habitat, ele se alimenta de plantas aquáticas e, em cativeiro, de verduras.

Souza comenta ainda que:

“Conseguimos verificar a eficácia das etapas de resgate, reabilitação e soltura. Claramente o animal está adaptado à natureza, e futuramente contribuirá para o aumento da população da espécie. Nossa equipe e os moradores das comunidades da Reserva ficaram bem felizes com a gravidez da Baré. Isso dá ânimo para continuar com este trabalho, que é árduo e complexo, mas que atende a uma causa tão nobre”.

Outros indícios do êxito do programa são a adaptação do peixe-boi-da-amazônia ao pulso de inundação dos rios e a interação com indivíduos selvagens da espécie, bem como a ausência de contato com seres humanos.

Ajude a preservação da espécie

Uma campanha virtual para arrecadar recursos para o monitoramento dos peixes-bois-da- amazônia que serão reintroduzidos na natureza este ano foi lançada virtualmente pela Ampa, com o objetivo de levantar  R$ 35 mil.

Quem tiver interesse em ajudar o programa pode dar a sua colaboração até 19 de abril, através da plataforma do Kickante. Há recompensas para os apoiadores.

O Inpa realiza pesquisas e ações de conservação para a espécie na Amazônia há cerca de 40 anos. Em 2008, órgão implantou o Programa de Reintrodução de Peixe-bois da Amazônia.

Talvez te interesse ler também:

A única girafa branca fêmea do mundo, acaba de ser morta por caçadores, junto com seu filhote

Cabra-gnu, macaco-de-orelhas-vermelhas e leopardo-das-neves, os novos símbolos da extinção de animais

Encontrado ouriço muito raro e ameaçado, que só existe no Brasil. Descoberta traz esperança

Fonte foto

Sobre Gisella Meneguelli

Gisella Meneguelli
É doutora em Estudos de Linguagem, já foi professora de português e espanhol, adora ler e escrever, interessa-se pela temática ambiental e, por isso, escreve para o GreenMe desde 2015.

Veja Também

Desaparecido há 100 anos, este camaleão foi revisto em seu habitat

Furcifer voeltzkowi é o nome desta espécie de camaleão que não era vista há 100 …