Ministério do Meio Ambiente
Ministério do Meio Ambiente

Ricardo Salles vira notícia no mundo e já tem petição online contra o “sinistro” do Meio Ambiente

Ricardo Salles, o “sinistro” do Meio Ambiente, virou destaque internacional, porque na sexta-feira, 22, o Supremo Tribunal Federal, STF, por decisão do decano Celso de Mello, relator do Inquérito 4831 (caso Moro/Bolsonaro), disponibilizou à imprensa e à população, as imagens e a gravação da reunião ministerial ocorrida em 22 de abril.

No vídeo, Ricardo Salles sugere ao Presidente Jair Bolsonaro e aos demais presentes, para aproveitarem a pandemia do novo coronavírus para “passar reformas infralegais de regulamentação, simplificação” e “todas as reformas que o mundo inteiro” estaria cobrando dele, mas que a legislação brasileira de proteção ambiental é contrária.

Salles sugere:

“Então, para isso, precisa ter um esforço nosso aqui enquanto estamos nesse momento de tranquilidade no aspecto de cobertura de imprensa, porque só fala de Covid e ir passando a boiada e mudando todo o regramento e simplificando normas. De IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), de ministério da Agricultura, de ministério de Meio Ambiente, de ministério disso, de ministério daquilo. Agora é hora de unir esforços para dar de baciada a simplificação”.

Salles finaliza afirmando que o governo federal “não precisa de Congresso”, porque tem “muita coisa que é só, parecer, caneta, parecer, caneta”.

A fala do ministro repercutiu muito mal e gerou críticas de parlamentares e ambientalistas no Brasil e no exterior.

Repercução internacional

O jornal argentino Clarín descreveu Salles como um “aliado do agronegócio brasileiro” e enfatizou sua intenção de aproveitar o momento da pandemia para emplacar flexibilizações fora das atenções do país.

O jornal britânico The Guardian também repercutiu o conteúdo da reunião ministerial.

A BBC News diz que:

“o vídeo também revelou intenções mais amplas dentro do ministério, como o ministro do Meio Ambiente sugerindo que o coronavírus era uma boa oportunidade – com a imprensa olhando para o outro lado”.

Na França, o Le Parisien publicou que o ministro do Meio Ambiente deseja aproveitar a “oportunidade” da pandemia da Covid-19 para enfraquecer regras que “notoriamente atendem à preservação da Amazônia”.

O jornal Reuters também repercutiu a notícia.

A ativista sueca Greta Thunberg reagiu às declarações do ministro do Ricardo Salles afirmando queNosso futuro é apenas um jogo para eles”.

Fora Salles Criminoso: petição on line

Aqui no Brasil também foi intensa a repercussão nos jornais escritos e falados e foi criada uma petição online no site change.org,  “Fora Salles Criminoso” com mais de 85 mil assinaturas em 24 horas.

Clique AQUI para assinar.

Ricardo Salles tentou defender seu comentário na reunião dizendo que

“Sempre defendi a desburocratização e simplificação das normas, em todas as áreas, com bom senso e dentro da lei. O emaranhado de leis irracionais dificulta os investimentos, a geração de empregos e, portanto, desenvolvimento sustentável no Brasil “.

É hora de ir passando a boiada. Veja o vídeo com trecho da fala de Salles na fatídica reunião ministerial de 22 de abril:

Talvez te interesse ler também:

Crimes comuns, ambientais e de responsabilidade: entidades entram com representação contra Ricardo Salles

Frente de ex-ministros do Meio Ambiente contra Ricardo Salles, em defesa da biodiversidade brasileira

Em entrevista, Ricardo Salles diz que Chico Mendes é irrelevante

Sobre Juliane Isler

Juliane Isler
Juliane Isler, advogada, especialista em Gestão Ambiental, palestrante e atuante na Defesa dos Direitos da Mulher

Veja Também

Madeira ilegal e glifosato em esquema de escravidão moderna em MG

De acordo com o Ministério Público do Trabalho, conforme publicação em sua página no Instagram, …