As incríveis imagens aéreas que mostram o desaparecimento de rios glaciais na Islândia

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Imagens que dão vozes aos rios glaciais da Islândia, cada vez mais ameaçados pela construção de novas usinas hidrelétricas. O fotógrafo e artista norte-americano Chris Burkard em seu novo livro At Glacier’s End explora os sistemas fluviais da geleira islandesa, contando através de imagens, paisagens que parecem de outro mundo.

As fotografias foram tiradas de um pequeno avião e referem-se à uma perspectiva sugestiva.

“Os rios glaciais da Islândia são pinturas abstratas da natureza, diz Burkard – Parece óbvio que rios tão selvagens e maravilhosos sejam protegidos, mas a dura realidade é que muitos foram represados, principalmente para fornecer energia às usinas hidrelétricas. Existe um movimento massivo de conservação para preservar esses rios, mas será que terá sucesso?”

Já há algum tempo, Chris Burkard vem contando sobre a beleza das áreas mais remotas da Islândia. A sua primeira experiência ele a definiu como ‘visceral’. Mas o livro, como dissemos, não fala apenas sobre o charme da topografia islandesa: os rios que Burkard capturou por mais de sete anos estão desaparecendo, para dar espaço às barragens construídas para aumentar a energia hidrelétrica do país.
Rios da Islândia

Durante sete anos, o fotógrafo documenta o que está acontecendo e como a paisagem está mudando. Nascido e criado entre Los Angeles e San Francisco, ele escolheu uma carreira que lhe permitiu explorar o mundo.

“Comecei a ir a lugares que eu sabia que alimentariam minha alma de uma maneira diferente, porque eu precisava me encontrar”, disse Chris à CNN.

Todas as paisagens que ele viu mudaram ao longo do tempo de maneira negativa e na maioria das vezes, devido à presença cada vez mais massiva do homem. Então, quando o piloto de Burkard, Haraldur Diego, começa a falar sobre o futuro incerto dos rios islandeses, devido ao crescente número de usinas hidrelétricas no país, o trabalho do fotógrafo muda o ambiente.

Até o momento, Burkard viajou pelo país mais de 40 vezes, mas levou anos para dar vida a este livro.

“A primeira vez que sobrevoei os rios, eu estava lá na época errada do ano. Era primavera e não havia água fluindo. Aprendi que esses rios, como uma aurora ou a lua, são cíclicos”, disse ele.

A Islândia é frequentemente elogiada por sua liderança em energia renovável, com 65% de sua produção proveniente de fontes geotérmicas. Além disso, 20% são provenientes de energia hidrelétrica, com altos custos para o meio ambiente. A imponente e controversa usina hidrelétrica de Kárahnjúkar, concluída em 2009, alimenta apenas uma fundição de alumínio, mas requer cinco barragens em dois rios, incluindo a barragem de Kárahnjúkar, a maior do gênero em toda a Europa.

“Eu sei que meu trabalho também causa emissões, mas é necessário documentar o que está acontecendo. A Islândia é mágica. De muitas maneiras, isso me assombra. Isso me mantém acordado à noite, me faz pensar que as gerações futuras não serão capazes de ver tanta beleza. Sinto que esta é minha pequena contribuição para esse tipo de obra de arte”.

O livro de Chris Burkard está disponível neste link

Talvez te interesse ler também:

Por que deveríamos abolir as usinas hidrelétricas?

Morte de animais e destruição de vegetação nativa: os impactos da energia eólica

Usinas Hidrelétricas e a Inundação da Amazônia – é Preciso Isso?

Fonte e fotos: CNN

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
greenMe.com.br é uma revista brasileira online, de informação e opinião Editada também na Itália como greenMe.it
Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Instagram
Siga no Facebook