Óleo do Nordeste, o desastre continua: praias, mangues, rios contaminados. São quase 1000 localidades

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Já se passaram mais de 100 dias desde que as primeiras manchas de óleo apareceram na costa do Nordeste.

Desde então, cerca de 1000 localidades, em nove estados nordestinos, no Espírito Santo e Rio de Janeiro, já foram afetadas pelo óleo, que atingiu vários biomas e áreas de proteção ambiental.

De acordo com um registro recente divulgado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), são 939 localidades aonde fragmentos ou manchas de petróleo cru já chegaram, informa o site Amazonas 1.

O balanço do Ibama é de que 17 locais ainda apresentam manchas de óleo, o que representa mais de 10% de contaminação, outros 493 têm fragmentos da substância e 429 já são considerados limpos.

O Ibama identificou que 158 animais ficaram oleados, a maioria deles tartarugas e aves marinhas, e peixes foram encontrados mortos.

Investigações

As primeiras manchas de óleo foram registradas em 30 de agosto, no litoral da Paraíba, espalhando-se rapidamente para os demais estados do Nordeste (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe). Em setembro, a substância chegou ao Espírito Santo e Rio de Janeiro.

Em outubro, a Petrobrás disse que o óleo retirado das praias para análise não era produzido no Brasil e que, provavelmente, a sua origem era da Venezuela. Em novembro, a Operação Mácula, da Polícia Federal, levantou a hipótese de que um navio grego, o petroleiro Bouboulina, teria derramado o óleo na costa brasileira. Entretanto, a empresa responsável pela embarcação, a Delta Tankers, negou a suspeita alegando não haver provas da responsabilidade do Bouboulina no caso.

No início deste mês, o comandante de Operações Navais da Marinha, Leonardo Puntel, confirmou que ainda não é possível identificar o agente causador do vazamento do óleo. Segundo o G1, em uma audiência no Senado, ele teria dito:

“Todos os esforços estão sendo feitos. No momento, nós temos indícios apenas, não temos ainda provas”.

Venezuela, Grécia… agora África

Para incrementar ainda mais esse enigma, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) alega que a origem do óleo é africana. Segundos estudos do órgão, o petróleo encontrado no litoral brasileiro teria se deslocado da região sul do mar da África, em abril, chegando à costa brasileira, em setembro.

Essa hipótese foi explicada pelo pesquisador do Inpe que atua no Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA) da crise do óleo, Ronald Buss de Souza, que fez uso de modelos estatísticos que consideraram correntes marítimas, vento e ondas. O estudo aponta que o óleo chegou ao Brasil de forma submersa; entretanto, não se sabe se fruto do derramamento de uma embarcação.

O Inpe não descarta, todavia, a possibilidade de o material estar estocado no fundo do oceano, já que uma parte do óleo pode estar presa a sedimentos no fundo do mar. Souza conta que:

“A gente tem uma hipótese principal de que esse derrame aconteceu a partir de abril deste ano, e as manchas só chegaram ao País, em subsuperfície, de maneira difícil de ser detectada através de imagem de satélite, em setembro”.

Enquanto isso, praias, mangues, rios e áreas de proteção ambiental contaminados. Animais mortos e sufocando. Toda uma biodiversidade em risco.

O tempo passa e ainda seguimos sem respostas para esse que é o maior desastre ambiental já ocorrido no litoral brasileiro. 

Talvez te interesse ler também:

O ÓLEO DO NORDESTE NO PARAÍSO DOS LENÇÓIS MARANHENSES

ÓLEO NO NORDESTE: O QUE DE PIOR AINDA ESTÁ POR VIR?

ÓLEO NO NORDESTE: CIENTISTA DA USP, ESPECIALISTA EM DANOS AMBIENTAIS, DIZ QUE ‘ESTAMOS SENDO FEITOS DE TOLOS’

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
É doutora em Estudos de Linguagem, já foi professora de português e espanhol, adora ler e escrever, interessa-se pela temática ambiental e, por isso, escreve para o GreenMe desde 2015.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Instagram
Siga no Facebook