Cacique Raoni vai à Europa pedir apoio contra ameaças à Amazônia

  • atualizado: 
Cacique Raoni

Em virtude das últimas medidas adotadas pelo presidente Jair Bolsonaro, o cacique caiapó, Raoni Metuktire, decidiu ir até a Europa para conseguir ajuda contra as ameaças que as terras indígenas da Amazônia estão enfrentando.

A viagem do cacique Raoni Metuktire à Europa tem como objetivo solicitar apoio contra a exploração das terras indígenas e arrecadar fundos para a preservação do Parque Nacional Indígena do Xingu. Esses fundos deverão ser usados para sinalizar os limites da reserva e também para comprar drones e equipamentos para vigiar a região, protegendo contra possíveis incêndios.

De acordo com a notícia publicada no site do Instituto Humanitas Unisinos, a visita do líder indígena à Europa levará três semanas, nas quais estão agendados encontros com chefes de Estado, celebridades, com o presidente da França Emmanuel Macron e com o Papa Francisco.

Assim como estamos acompanhando, os povos indígenas vivem um momento de apreensão e angústia, com as medidas adotadas pelo presidente Jair Bolsonaro. A mais recente é a de abertura da exploração da região amazônica pelos Estados Unidos, ampliando as atividades de mineração e agropecuária em terras indígenas. Segundo Bolsonaro, a demarcação das terras indígenas inviabiliza projetos de desenvolvimento da Amazônia.

No início do seu mandato, Bolsonaro transferiu a responsabilidade pela demarcação das terras para o Ministério da Agricultura, mas a Comissão do Congresso aprovou na semana passada o retorno dessa responsabilidade para a Funai (Fundação Nacional do Índio). O parecer aprovado pela Comissão do Congresso precisa ainda da aprovação da Câmara e do Senado, bem como a volta da Funai para a responsabilidade do Ministério da Justiça.

O cacique Raoni

Sobre o cacique Raoni Metuktire, ele tem 87 anos e é conhecido mundialmente por lutar pela preservação dos povos indígenas e da Amazônia. Essa notoriedade também foi conseguida com o apoio do cantor Sting, que viajou por 17 países com o cacique, lutando pela proteção dos povos Xingu.

Outros três líderes indígenas do Xingu acompanharam Raoni nessa viagem. Após o encontro com o presidente Emmanuel Macron e o ministro do Meio Ambiente, na França, os líderes indígenas deverão seguir para a Bélgica, Suíça, Luxemburgo, Mônaco e Itália.

Esperamos que o objetivo dessa viagem seja alcançado, pois além da preservação das terras indígenas e da Amazônia, os fundos que eles pretendem adquirir também serão destinados para a saúde e a educação nas comunidades Xingu. Com isso eles poderão obter conhecimentos suficientes que os ajudarão a extrair e comercializar os produtos que eles próprios retirarem da natureza, sem causar danos a ela e trabalhando de forma digna.

Talvez te interesse ler também:

EUROPA, SÓ COMPRE DO BRASIL PRODUTOS QUE RESPEITEM A NATUREZA, ALERTAM MAIS DE 600 CIENTISTAS

NÃO PRECISAMOS PLANTAR SOJA. TEMOS A NOSSA ROÇA, MANDIOCA, MILHO, PESCA, CAÇA

MELIPONICULTURA: CRIAÇÃO DE ABELHAS SEM FERRÃO QUE GERA RENDA ÀS COMUNIDADES TRADICIONAIS DO AMAZONAS

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!