Tribo Kawahiva: Brasil estabelece uma área para protegê-la

tribo

Finalmente uma boa notícia em termos de direitos indígenas: depois de meses de pressão internacional, o Ministério da Justiça brasileiro assinou o decreto que estabelece uma área protegida nas terras habitadas pela tribo isolada Kawahiva para impedir o desmatamento ilegal e a ameaça a sua sobrevivência.

Há alguns meses, a Survival International lançou uma campanha internacional em defesa dos Kawahiva, uma pequena tribo amazônica que não tem e não quer ter contatos com o mundo exterior e cuja sobrevivência é ameaçada por madeireiros ilegais, mineiros, fazendeiros e especuladores.

As terras ancestrais dos Kawahiva estão localizados na região de Mato Grosso, onde se registram as maiores taxas de desmatamento ilegais em relação ao restante do país. Nos últimos anos, a presença de intrusos em sua floresta tem feito os Kawahiva a adotarem um modo de vida nômade. É muito provável que alguns membros da tribo tenham sido mortos por invasores que penetraram o seu território em busca de recursos naturais, enquanto outras mortes estão ligadas a doenças introduzidas a partir do exterior, tais como a gripe ou sarampo, já que os Kawahiva não têm imunidade.

A campanha da Survival International mapeou a área geográfica em que vivem os Kawahiva e pediu a milhares de pessoas de diferentes países do mundo a enviarem um e-mail para o Ministro da Justiça do Brasil, Eugênio Aragão. Sua resposta veio no último 19 de abril, com a assinatura do decreto que institui a área protegida: um passo fundamental para garantir que os Kawahiva possam viver em paz, preservando a sua autonomia, as suas tradições e a integridade de sua comunidade. "É uma grande notícia", comenta Mark Rylance, ator da British Academy Award, que emprestou seu rosto e sua voz para a campanha em favor dos Kawahiva. "Temos ajudado a proteger um povo vulnerável e pequeno, que faz parte de nossa diversidade humana. Agora, eles têm uma chance de sobreviver ".

Agora, no entanto, é necessário que o Brasil assegure a plena aplicação do decreto, respeite-o e faça respeitar o direito das tribos a viver em sua própria terra, sem invasões externas, um ponto sobre o qual a Survival International está comprometida a partir de agora em assistir. "Obviamente, é muito gratificante ver que a pressão dos nossos adeptos deu resultado e congratulamo-nos com a decisão do Ministro da Justiça", disse Stephen Corry, diretor da Survival. "Mas, agora, vamos esperar para ver provas concretas: da aplicação prática do decreto à proteção do território Kawahiva pelas autoridades. Só então podemos comemorar essa vitória completamente, marcada apenas pelo poder de pessoas comuns e a pressão internacional”.

Leia também:

setaRELATORA DA ONU VISITA POVOS INDÍGENAS BRASILEIROS

setaCONHEÇA AS MENORES TRIBOS INDÍGENAS DO PAÍS

Fonte foto: mirror