Peecycling: reciclar a urina para fertilizar os tetos verdes de Amsterdã

Peecycling: reciclar a urina para fertilizar

Coletar e reciclar urina para fertilizar os telhados verdes de Amsterdã. Este é o novo projeto nascido na Holanda para obter fósforo, substância encontrada na urina e essencial para o crescimento das plantas. A ideia nasceu da consideração de que as reservas de fósforo no nosso planeta estão diminuindo rapidamente: algumas campanhas pedem doações em dinheiro, outras em comida, por que não pedir doações em urina?

Waternet criou um projeto demonstrativo para a coleta de urina. Chama-se Peecycling e é composto de uma série de mictórios públicos. As urinas serão coletadas, para delas serem extraídas as substâncias benéficas para as plantas, e depois de tratadas serão usadas para fertilizar os telhados verdes na cidade.

A agricultura em breve poderá experimentar uma escassez de fósforo. Na opinião dos criadores do projeto é necessário ir em busca de alternativas com base na reciclagem e respeito pelo planeta. Além disso, a coleta de urina poderia economizar aos agricultores o alto preço dos fertilizantes.

Waternet decidiu dar vida a uma verdadeira instalação para o tratamento de urina, cuja construção começou em setembro. O projeto inclui pontos de coleta apenas a partir dos mictórios públicos de Peecycling. A coleta da urina de 1 milhão de pessoas poderia levar à produção de 1.000 toneladas de fertilizantes ao ano.

O projeto poderia ser exportado em outras partes do mundo. Trata-se apenas de ir em busca de alternativas econômicas e naturais para fertilizantes comuns e que permitam economizar e respeitar o meio ambiente. Os telhados verdes de Amsterdã, para florescerem a todo vapor, precisam de grandes quantidades de nitrogênio, potássio e fósforo.

O fósforo poderia começar a esgotar-se a partir de 2030. Waternet espera obter com a reciclagem da urina, a quantidade de fertilizante necessário para os jardins públicos e telhados verdes da capital holandesa. Um produto de descarte, como a urina, poderia portanto, e em breve, se transformar em um fertilizante de baixo preço.

Estamos torcendo para que a moda pegue também no Brasil que além do mais, sofre pela escassez de banheiros públicos! O que você acha da ideia?

Fonte foto: Waternet