Rock in Rio promove campanha para restaurar Amazônia

amazonia live

O Rock in Rio, maior festival de música e entretenimento do mundo, lançou o Amazônia Live, um projeto social da marca a ser realizado em edições do festival até 2019.

O objetivo da campanha é mobilizar a população a abraçar a causa do meio ambiente com o slogan “Mais do que Árvores, Vamos Plantar Esperança”.

De 1500 a 1977, cerca de 4,7% da Amazônia foi desmatada, segundo dados da Rede Amazônica de Informação Socioambiental Georreferenciada (Raisg). Nos últimos 36 anos, esse percentual subiu para 18%. O Brasil já perdeu, de acordo com dados coletados até 2013, 632 mil km2 de florestas, o que afeta o clima e o equilíbrio das chuvas e a vida de quem vive perto e, também, longe da floresta.

O Rock in Rio resolveu se engajar na questão por considerar a música uma linguagem universal capaz de emocionar as pessoas. O festival tem um pilar de sustentabilidade criado em 2011: “Por um mundo melhor”.

Objetivamente, a organização do evento inicia um movimento global de restauração da Amazônia chamando a atenção das pessoas para o consumo consciente dos recursos naturais e para a mudança de seu comportamento.

Roberto Medina, presidente do Rock in Rio, explica que “pela primeira vez estamos adotando globalmente uma mesma causa que será promovida em todos os países onde o Rock in Rio está, e não só, e se estenderá por várias edições do evento. Estamos garantindo o plantio de um milhão de árvores e, com a ajuda de marcas parceiras e dos fãs do festival, queremos chegar a cerca de três milhões de novas árvores na região. Com esta ação, vamos chamar a atenção do mundo inteiro para um problema urgente e mostrar que é possível plantar, sobretudo, esperança. Para se ter uma ideia da importância disso, segundo dados do ISA, uma floresta com três milhões de árvores transpira a cada dia cerca de 48 milhões de litros de água. Outro dado importante e que merece a nossa atenção é que a Amazônia tem 20% de toda a água doce do planeta e isso não pode se perder”.

A ideia começou em 2015, quando a Prefeitura de Manaus procurou a equipe do Rock in Rio para ajudar a chamar atenção para a importância da floresta no equilíbrio do planeta.

Além da campanha publicitária sobre a importância da floresta, o Rock in Rio promoverá o plantio de árvores, contando já com parceiros, como Itaú, Manaus Luz, Manaus Ambiental, Banco Mundial, Universidade Estácio de Sá, e Gol. O festival garantiu o plantio de um milhão de árvores e os parceiros se comprometeram com a causa elevando este número para 2,1 milhões.

Segundo Claudia Romano, diretora de responsabilidade social e parcerias da Estácio, a universidade vai doar 100 mil árvores, além de trabalhar na mobilização de seus alunos e colaboradores para fazerem o mesmo. “Se cada um plantar uma árvore já será um grande feito. Nossa missão de educar para transformar se expressa também na formação de profissionais e cidadãos conscientes e comprometidos”, disse.

O Banco Mundial e o ARPA (Programa Áreas Protegidas da Amazônia) também se comprometeram com a causa. “Estamos construindo uma parceria com o Banco Mundial, no âmbito do Programa Áreas Protegidas da Amazônia – ARPA, onde serão plantadas, no mínimo, 1 milhão de árvores junto ao Amazônia Live em áreas protegidas da floresta Amazônica”, garante Adriana Moreira, que trabalha para ambos os grupos.

Para o plantio, será usado um mix de sementes através de uma técnica, desenvolvida pelo Instituto Socioambiental (ISA) com o objetivo de reproduzir o processo natural da floresta, que aproveita a experiência de plantadores de árvores do Xingu-Araguaia. Essa experiência comprova que o melhor método para as árvores é serem plantadas as suas sementes diretamente no chão, no seu local definitivo. Tal ação visa a recuperar as nascentes e matas às margens dos rios, além de gerar renda de forma colaborativa e inclusiva para as comunidades locais.

Todo o processo poderá ser acompanhado durante os três primeiros anos do plantio por meio de relatórios técnicos e notícias que avaliarão a situação das árvores e da recuperação da floresta.

A ação é celebrada pelo ISA e pelos plantadores de semente. Segundo Rodrigo Junqueira, do ISA, "as melhores soluções são criadas de maneira compartilhada e em Rede. Este é o aprendizado do nosso grande parceiro, a Rede de Sementes do Xingu. Nós do ISA e os mais de 420 coletores de sementes estamos animados com o desafio de plantar um milhão de árvores no coração do Brasil. Mas também muito empenhados em levar o alerta sobre os riscos que a Amazônia está enfrentando neste momento e o papel de cada pessoa nas questões socioambientais”.

A Amazônia é responsável pelo controle climático global e pela renovação atmosférica da poluição. Preservá-la é preservar várias espécies animais e vegetais – incluindo a espécie humana.

Leia também: 

seta

TRABALHO ESCRAVO NO ROCK IN RIO

seta

BRASIL É REFERÊNCIA EM SEMENTES CRIOULAS PARA AMÉRICA LATINA

fonte foto: portaldomarcossantos