Conheça o Projeto Peixe-Boi Marinho de Alagoas para a preservação desse animal

Projeto Peixe-Boi Marinho de Alagoas

O peixe-boi, que vem a ser o mamífero aquático que corre mais risco de extinção no país, encontrou um belo refúgio. Fica na Costa dos Corais, bem no estuário do Rio Tatuamunha, na cidade de Porto de Pedras, em Alagoas, região Nordeste do Brasil.

Essa iniciativa tomou forma graças à coragem e empenho do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Aquáticos – CMA – que tem associação ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio – e estabeleceu, na área do Tatuamunha um cativeiro especial de readaptação da iniciativa intitulada Projeto Peixe-Boi Marinho.

O Projeto Peixe-Boi Marinho

O projeto tem como objetivo promover o resgate de animais que estejam debilitados e que foram resgatados, logo após encalhes ocorridos no litoral do Nordeste. A sede do projeto fica em Itamaracá, uma belíssima ilha em Pernambuco.

Depois da recuperação plena, os animais são conduzidos ao Tatuamunha, para ser readaptados à natureza. Embora a iniciativa, como um todo, tenha três décadas de existência, a recondução ao ambiente passou a ocorrer desde 1994.

Entraves iniciais do Projeto Peixe-Boi Marinho

Em um primeiro momento, o projeto gerou tensão, pois os pescadores ribeirinhos, que subsistiam da pesca passaram a não poder mais desempenhar suas atividades, por conta do peixe-boi e sua proteção.

Contudo, felizmente, uma bela solução foi encontrada: os pescadores passaram a ser aliados dos animais, fazendo turismo de observação, em um total de 20 condutores e 22 remadores, devidamente credenciados.

Conhecendo o peixe-boi

Um peixe-boi adulto pode atingir 4 metros de comprimento e pesar de 400 kg a 600 kg. Vive em média de 50 anos. A gestação, de apenas um filhote, ocorre de 13 a 14 meses.

Regras para o turismo no reduto do peixe-boi

Os turistas, que pagam R$ 35 pelo passeio podem tirar fotos no ambiente, mas sem flash, para não importunar os animais. No estuário do Tatuamunha pode até acontecer de em alguma das visitas, nenhum animal ser avistado. Mas a paisagem exótica do manguezal compensa qualquer imprevisto!

Fonte foto: photography.nationalgeographic.com