Projeto pioneiro de odontologia sustentável é desenvolvido em Nova Friburgo

  • atualizado: 

foto

Um projeto pioneiro da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal Fluminense (campus Nova Friburgo) foi desenvolver a primeira estação de tratamento e reciclagem de resíduos de amálgama dental do Brasil.

A estação, que atende a todos os 95 consultórios da faculdade a separadores de amálgama/mercúrio, garante que 95% de resíduos do mercúrio sejam eliminados de forma ambientalmente correta.

O projeto da estação de tratamento foi desenvolvido junto com a instituição norte-americana Dental Recycling International (DRI). Essa parceria busca, ainda, uma atuação conjunta para desenvolver pesquisa e conhecimento para o manuseio seguro dos resíduos de amálgama, desde a separação até a reciclagem.

A preocupação com o descarte correto do mercúrio se deve a um percentual considerável desse elemento químico na utilização odontológica. 10% do mercúrio produzido no mundo são consumidos pela odontologia, que é responsável por quase 50% do descarte desse elemento químico nas cidades.

A preocupação com o correto descarte do mercúrio, que é altamente danoso para o meio ambiente e para a saúde, veio à tona após a assinatura do Tratado de Minamata, organizado pela ONU, que prevê a erradicação do mercúrio do planeta devido aos altos riscos ambientais e para a saúde provocados pelo componente.

O objetivo do projeto da UFF é garantir que os resíduos gerados pela remoção de restaurações de amálgama sejam descartados corretamente, evitando que acabem sendo despejados nas redes de esgoto. Todo o material recolhido, bem como qualquer outro que entre em contato com o mercúrio, será armazenado com segurança e enviado para a reciclagem.

Segundo Claudio Fernandes, Diretor do Núcleo Universitário de Normas Técnicas na Odontologia, "a odontologia é uma parte importante da vida brasileira e deve assumir uma responsabilidade ativa no desenvolvimento sustentável da sociedade". O projeto não é uma ação isolada. Ele é parte de uma cooperação para o desenvolvimento de uma odontologia sustentável que envolve outros parceiros, como a International Association for Oral Medicine & Toxicology (IAOMT) e a Prefeitura Municipal de Nova Friburgo.

Tomara que outras universidades brasileiras repliquem esse importante projeto da UFF, afinal, as pesquisas universitárias devem atender as demandas da sociedade.

Talvez te interesse ler também:

setaMERCÚRIO: AS PRINCIPAIS FONTES E OS 10 MOTIVOS QUE EXPLICAM A SUA TOXIDADE PARA O NOSSO ORGANISMO

setaCAMPANHA INSTRUI O QUE FAZER COM O LIXO ELETRÔNICO

Fonte foto: uff

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!