Grécia diz não à Gucci: Acrópole não é lugar de desfile

  • atualizado: 
Desfile-Acropole

História e cultura não têm preço. A marca italiana Gucci teve um pedido negado pelo ministério de Cultura da Grécia para realizar um desfile na Acrópole de Atenas.

Os jornais gregos dizem que a grife teria oferecido cerca de 2 milhões de euros para o restauro de obras, 50 milhões de direito de imagem e 30 milhões pela publicidade como pagamento para realizar um desfile de apenas 900 segundos no local.

Mesmo com tanto dinheiro, o sedutor pedido foi recusado. Sedutor porque como se sabe, a Grécia está no sétimo ano de uma crise econômica que já comeu 25% do seu PIB.

A explicação de Lydia Koniordou, ministra da Cultura da Grécia, é de que: “Nós temos que defender a importância da Acrópole. Símbolo mundial da democracia e da liberdade”.

Dimitris Pantermalis, diretor do museu Acrópole, segue coro com Koniordou. “O valor e o caráter do Acrópole é incompatível com um evento desse tipo. Nós não precisamos de publicidade. O simbolismo do monumento seria rebaixado, usando-o apenas como fundo para um desfile de moda”, defende.

A resposta da Gucci

Gucci negou, em nota, à imprensa grega as informações publicadas por alguns jornais gregos. Entretanto, a marca confirma que realizou uma reunião com as autoridades gregas para sondar a possibilidade de um projeto de cooperação cultural a longo prazo, de acordo com a Isto É e com o italiano la Repubblica.

Não é a primeira vez que as paisagens gregas são desejadas para servirem de pano de fundo. A cantora Jennifer Lopez, em 2008, quis fazer uma sessão fotográfica em um monumento e, uma vez mais, o governo grego recusou a oferta comercial.

Com a Grécia não se barganha!

A Grécia vem há alguns anos enfrentado uma grave crise econômica, o que poderia ser visto por muitas celebridades e marcas como uma chance de barganhar com o governo da Grécia. Entretanto, segundo um editorial do jornal grego Kathimerini comentado do jornal italiano la Reppublica, conceder a Acrópole seria uma humilhação e a história da Grécia não está à venda, mesmo o Estado grego estando praticamente falido.

Ou seja, em momentos de crise, ou melhor, sobretudo, em tais momentos, é fundamental que os governos matenham a memória e valorizem a dignidade de seu povo.

A foto se refere a um desfile feito em 1951 pela Dior. Fonte Corriere della Sera.

Especialmente indicado para você:

HERMÈS HORROR: CROCODILOS CRUELMENTE ABATIDOS PARA VIRAREM PULSEIRAS DE RELÓGIO

CONHEÇA SANTORINI: ILHA GREGA DE BELEZA INCOMPARÁVEL E CULINÁRIA PECULIAR

MODELO RECRIA CAMPANHAS FAMOSAS PARA PROMOVER DIVERSIDADE

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!