O esmalte que você usa é tóxico?

esmalte unha

Seu esmalte é tóxico? O The New York Times acaba de revelar os resultados de uma investigação que envolve a indústria de cosméticos, os salões de beleza e os produtos utilizados pelas mulheres para maquiagem, a partir do esmalte.

Alguns ingredientes utilizados nos produtos para unhas, têm sido relacionados a câncer, abortos, doenças pulmonares e outras doenças. Fala-se sobre as doenças que afetam as pessoas que trabalham em salões de beleza.

O The New York Times conta a história de duas mulheres norte-americanas que trabalham em salões de beleza e que costumam usar produtos para as unhas, como o esmalte, no trabalho. Uma das mulheres sofreu um aborto espontâneo, a outra concluiu a gravidez, mas o bebê está passando por sérios problemas de desenvolvimento.

Entre aqueles que trabalham como manicure nos Estados Unidos, histórias como estas seriam, infelizmente, muito comuns, tanto que os trabalhadores mais velhos aconselham as mulheres em idade fértil a ficarem longe das misturas de esmaltes, vernizes e solventes diariamente usados em salões  de beleza.

Os ingredientes presentes nos esmaltes, estariam cada vez mais presentes em estudos científicos, relacionando-os ao aparecimento de doenças graves, aos seus efeitos negativos sobre a fertilidade das mulheres, ao risco de aborto e ao desenvolvimento da criança durante e após a gravidez.

Entre os funcionários dos salões de beleza, prevalecem as doenças respiratórias e as doenças de pele. Sinal de que as substâncias encontradas nos produtos que estes utilizam, certamente não são bons para a saúde. O problema não é exclusivo de quem trabalha como manicure, mas também para quem trabalha como cabeleireiro e maquiador, profissões de risco de aumento da taxa de morte por doença de Hodgkin, de gerar crianças com baixo peso ao nascer e de contrair mieloma múltiplo, uma forma de câncer.

As conclusões, no entanto, ainda são insuficientes, em parte porque as pesquisas realizadas neste campo ainda são limitadas. Poucos estudos, de acordo com o The New York Times, incidem especificamente sobre os operadores dos salões de beleza.

Teme-se, sobretudo, o efeito cumulativo ao longo do tempo de exposição aos produtos químicos perigosos. A lei federal norte-americana que regula a segurança dos cosméticos, tem mais de 75 anos e não obriga as empresas a fornecerem informações sobre a segurança do produto com a Food and Drug Administration (FDA). A lei proíbe os ingredientes prejudiciais para os usuários, mas não contém disposições para avaliar os efeitos dos produtos químicos antes da sua chegada às prateleiras para venda e uso.

O lobby da indústria tem se oposto à adoção de regras de controle mais rigorosas, e as empresas dizem que seus produtos contêm pequenas quantidades de substâncias químicas identificadas como potencialmente perigosas e que, portanto, não constituem uma ameaça. 

No entanto, segundo o jornal, as consequências negativas para a saúde, pelo contato frequente com os produtos cosméticos da indústria de beleza, são evidentes.

Quais seriam as substâncias tóxicas presentes nos esmaltes?

A pesquisa identificou um trio de substâncias tóxicas.

1. Tolueno: de acordo com a Environmental Protection Agency, a superexposição ao Tolueno pode causar irritação nos olho e no nariz, cansaço, fraqueza, confusão, tonturas, dores de cabeça, ansiedade, fadiga muscular, incapacidade de dormir, dormência, erupções cutâneas, e, em casos mais graves, danos no fígado e nos rins.

2. Dibutilftalato (DBP): dibutil ftalato, que a União Europeia proibiu, em 2003, pode causar irritação dos olhos e do nariz, estômago e trato respiratório; a exposição prolongada e em outras concentrações, pode ser prejudicial para a reprodução e o desenvolvimento humanos.

3. Formaldeído: O formaldeído pode causar irritação e erupções cutâneas. 

Os funcionários da indústria de cosméticos, porém, têm negado que os produtos químicos listados como perigosos, possam levar a problemas de saúde. Eles argumentam que o DBP, o tolueno e o formaldeído são seguros sob as presentes condições de utilização, nos Estados Unidos. 

Em suma, a indústria de cosméticos norte-americana se defende, como seria de esperar, e não pensa sobre os riscos para a saúde dos trabalhadores que entram em contato com essas substâncias todos os dias.

Um manicure ocasional estaria a salvo, mas e os riscos de saúde para aqueles que utilizam esmaltes, solventes e adesivos para unhas, por muitas horas e durante anos? 

Enquanto isso, nós vamos sempre valorizando a beleza natural, o cabelo natural e a autoestima que vem de dentro. 

Leia também: 

Alisantes para cabelos e formaldeído, substância causadora de câncer

 

10 coisas que fazem uma mulher bonita, mesmo sem maquiagem

Consulte aqui o relatório da EPA "Protecting the health of nail salon workers".