6 espécies que estão prestes a desaparecer por causa das indústrias do petróleo e do gás

  • atualizado: 
galo-sabio

As mudanças na lei sobre as espécies ameaçadas nos EUA colocam plantas e animais em risco em todo o país. Os republicanos, desde que Donald Trump está no cargo, estão tentando mudar o Ato das Espécies Ameaçadas - Endangered Species Act (ESA). Vejamos as espécies mais ameaçadas com as mudanças promovidas pelo novo governo estadunidense. 

 

De acordo com as novas propostas, a proteção seria limitada às espécies designadas como "ameaçadas" (um nível inferior ao risco de extinção), considerando os custos econômicos antes de defender uma espécie e dando menos importância às ameaças de longo prazo, como as mudanças climáticas.

Da sua parte, a administração de Trump tornou-se famosa por outras soluções desvantajosas para o meio ambiente. O presidente cancelou grande parte do Bears Ears National Monument, uma área protegida em Utah e já ordenou a redução de 47% do Grand Staircase-Escalante, dois parques importantes. Com apenas uma assinatura, ele proclamou a redução de dois monumentos nacionais retirando-lhes a proteção ambiental para que estes possam ser explorados para extração de petróleo e gás.

Mais de 1.600 espécies estão em perigo de extinção mas, 6 em particular, estão ainda mais ameaçadas por causa das modificações na Endangered Species Act, feitas para favorecer as multinacionais dos combustíveis fósseis.

1. 1. Urso-polar

foto

Ursus maritimus - O urso-polar - e outras espécies ameaçadas do Ártico - talvez enfrentem o maior risco com a nova abordagem de Trump. Os animais permaneceriam à mercê das mudanças climáticas se seus territórios fossem colocados nas mãos dos lobbies do petróleo.

2. 2. Sábio-galo

 galo sabio

Centrocercus urophasianus - Uma criatura maravilhosa que vive nos EUA e no Canadá. O que isso tem a ver com petróleo e gás? A maioria dessas aves vive em áreas protegidas e nas áreas públicas à espera de serem entregues aos petroleiros.

3. 3. Lobo-Cinzento

foto

Canis lupus - Desde quando fora reintroduzido no Parque Nacional de Yellowstone, em 1995, o lobo se espalhou pelo norte dos Estados Unidos. Mas, de acordo com a proposta de mudar o ESA, a sua proteção seria eliminada juntamente com a possibilidade desta espécie poder ser reintroduzida no sudoeste do país.

4. 4. Delta Smelt

smelt

Hypomesus transpacificus - Um peixe que vive no delta de alguns rios norte-americanos e que na lista vermelha da IUCN é classificado como fortemente em risco porque a sua população diminuiu em mais de 90% nos últimos 10 anos (três gerações têm cerca de 3 anos) e o declínio está ainda em andamento. Enquanto o ecossistema do delta de San Joaquim-Sacramento no norte da Califórnia fora substituído por fazendas e bancos, os habitats desses animais desapareceram. Segundo as alterações da ESA, os peixes receberão menos proteção.

5. 5. Salmão-prateado

salmao prateadoFoto: Smithsonian Institution

Oncorhynchus (=Salmo) kisutch - É uma espécie de peixe marinho e de água doce pertencente à família Salmonidae. O aquecimento da água, a destruição do habitat e a irrigação agrícola precipitaram as populações de salmão no noroeste, e as novas regras de Trump podem impedir qualquer recuperação.

6. 6. Urso-pardo

foto

Ursus arctos horribilis - Cerca de 700 ursos vivem na região de Yellowstone, outros 1.100 estão localizados perto do Parque Nacional das Geleiras. Mas aqueles que moram perto das Cascatas do Norte de Washington podem ter uma vida difícil. Está previsto um corte no financiamento para a proteção do local.

Sobre Animais em Extinção, talvez te interesse ler também:

setaESQUALENO EM COSMÉTICOS: BATONS, BASES E PROTETORES SOLARES COM ÓLEO DE TUBARÃO

setaACARI-ZEBRA: PEIXINHO ALVO DE TRÁFICO ILEGAL QUE RISCA A EXTINÇÃO POR CAUSA DA USINA BELO MONTE

setaO INSETO MAIS RARO DO MUNDO NÃO ESTÁ EXTINTO. CONHEÇA SUA EXTRAORDINÁRIA HISTÓRIA