Acari-zebra: peixinho alvo de tráfico ilegal que risca a extinção por causa da usina Belo Monte

  • atualizado: 
Acari-zebra

Um projeto gigantesco que gera uma série de controvérsias e muitos impactos. A construção da usina de, em Altamira (PA), que colocará a hidrelétrica entre as maiores do mundo, após a finalização das obras, tem modificado drasticamente a vida dos moradores locais, principalmente das tribos indígenas do Xingu. Há, nesse cenário, uma outra população afetada: a de peixes acari-zebra, que podem entrar em extinção, nos próximos anos, em decorrência da construção e funcionamento de Belo Monte.

Para evitar essa perda ambiental, pesquisadores do IBAMA, Pará e Amazonas estão congelando o sêmen dessa espécie para evitar a extinção completa do peixe que é o mais ameaçado entre os 2400 catalogados no Projeto Amazon Fish.

A iniciativa é parte dos condicionantes estipulados pelo IBAMA para que a obra possa continuar. O projeto é pago pela Norte Energia, operadora de Belo Monte. O principal objetivo do congelamento dos sêmens é preservar a variabilidade genética, fazendo a reprodução em cativeiro.

O peixe acari-zebra (Hypancistrus zebra), que, sofre com os impactos de Belo Monte, principalmente, porque houve diminuição da vazão de rios, facilitando a captura dele. A construção acabou ainda com o ciclo sazonal de cheia e seca. A falta de inundação da floresta diminui consideravelmente os alimentos na água para os peixes.

Outra ameaça ao acari-zebra é o tráfico de animais. Atualmente, as maiores apreensões no Brasil acontecem em Manaus, na capital do Amazonas. Apesar de terem comercialização proibida desde 2004 e estarem na lista da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Fauna e da Flora Selvagens Ameadas de Extinção – Cites – o peixe é alvo de muitas pescas ilegais.

O projeto que visa evitar a extinção dos acari-zebras reintroduziu, recentemente, 150 peixes na Volta do Xingu e entregou 330 ao laboratório da Universidade Federal do Pará (UFPA), no entanto essa reintrodução é criticada por muitos especialistas, que dizem que é muito arriscado devolver essas espécies à natureza, nesse ambiente de danos ambientais. Além disso, peixes de cativeiro tendem a ser mais vulneráveis, pois têm a imunidade mais baixa e são mais facilmente capturados.

Sobre outros animais em extinção, leia também:

MORRE O ÚLTIMO RINOCERONTE-BRANCO-DO-NORTE MACHO DO MUNDO

#POLARBEARDAY: É ASSIM QUE O HOMEM ESTÁ FAZENDO COM QUE O URSO-POLAR DESAPAREÇA DA TERRA

O INSETO MAIS RARO DO MUNDO NÃO ESTÁ EXTINTO. CONHEÇA SUA EXTRAORDINÁRIA HISTÓRIA

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!