É caro ser vegano? Veja dicas para se alimentar bem e barato

  • atualizado: 
Vegano

Uma das justificativas utilizadas por quem resiste à mudança de alimentação baseada em alimentos vegetais, é que é muito difícil viver o veganismo, ou que é melhor comer carne, pois, ser vegano é complicado e sai caro. 

E, assim, ouvimos a frase:

- “Eu até seria vegano, mas sai muito caro se alimentar e viver dessa forma, e é difícil achar produtos desse tipo!"

Dessa forma, cria-se uma visão errônea de que o veganismo é algo inacessível ou elitista, por ser considerado para poucos, para aqueles que têm uma melhor condição financeira.

O veganismo na realidade é uma prática e uma opção de vida fundamentada em escolhas que não contribuam para o prejuízo da vida animal, optando por alimentos e produtos que sejam isentos da carne e derivados de origem animal e, também, se estendendo ao não uso de produtos que em sua fabricação tenha matéria-prima animal.  Além disso, quem vive essa prática, não participa de nenhuma atividade que envolva o sofrimento animal.

Para desmitificar que o veganismo é inacessível, caro e difícil de se viver foi feito este conteúdo.

O veganismo pode ser praticado por pessoas de todas as classes sociais e situação financeira.

Todos aqueles que partem para o veganismo têm por motivação e impulso o respeito à toda expressão de vida, amor aos animais e o sincero desejo de que todos vivam em paz!

Esse propósito de vida só requer vontade e criatividade, principalmente para sair do condicionamento cultural e tradicional da alimentação à base de carne e consumo de produtos de origem animal.

Fomos educados assim, sem ser revelado que o pedaço de carne que comemos era uma vida, antes de virar alimento e sem ser nos terem mostrado todo sofrimento que o ser, que virou comida, passou até chegar ao nosso prato.

Para viver o veganismo existem dificuldades, mas são superáveis, como em tudo na Vida.

Neste conteúdo serão apresentadas algumas formas de superar as dificuldades mais comuns, encontradas na vivência do veganismo.

O lado fácil de ser vegano é que existe uma infinidade de vegetais que a Natureza nos dispõe e que está ao nosso alcance.

A alimentação com base em vegetais nos oferece antioxidantes, muitas vitaminas, sais minerais, fibras, enzimas e proteína. Além, de terem valores no mercado bem mais baixos que a carne, que é produzida com as custas do sofrimento animal e com o uso de hormônios e outros produtos químicos, para torná-la mais atraente e macia.

À parte que, toda dor e terror vivido pelo animal na hora do abate, fica impregnado na carne, na forma de toxinas que são absorvidas pelo nosso organismo e isso tem um alto preço para nossa saúde, pois, até a Organização Mundial da Saúde reconheceu e existem vários documentos que comprovam isso.

Saiba mais sobre como ser vegano com saúde e de forma econômica, com o que será compartilhado a seguir:

1. Como fazer a transição

No começo, aqueles que mudam principalmente seus hábitos alimentares deixando de comer carnes, ovo, maionese, manteiga, queijo e tomar leite, sentem durante a transição a falta do paladar desses alimentos.

Isso ocorre e é natural, devido aos anos de condicionamento e hábitos arraigados mas, existem formas de superar isso e driblar essa situação, vejam algumas delas:

Grãos, sementes, legumes, verduras, com criatividade e pesquisa, são transformados em alimentos semelhantes aos de origem animal: queijo, salsicha, iogurte, linguiça, presunto, ovo, manteiga, leite, maionese, bife, hambúrguer, coxinha, nuggets, chocolate e muito mais, tudo com ingredientes vegetais!

Além desse alimentos serem mais puros, baratos e saudáveis, são muito versáteis como ingredientes, para uma infinidade de receitas que são substitutivas de refeições com ingredientes de origem animal.

GreenMe tem uma seção especial sobre vegetarianismo e veganismo com informações, receitas e orientações para viver o veganismo ou vegetarianismo, sem dificuldades.

Existem, também, grupos no Facebook que contribuem para auxiliar quem pratica o veganismo, a fazê-lo de forma mais econômica, entre eles, tem o grupo Veganos Pobres do Brasil, que traz muitas receitas e orientações de como utilizar estes alimentos, sem ficar em falta com uma boa alimentação e , de quebra, sair barato para o bolso.

Outro ganho com a mudança de hábito é que aprendemos a lidar e a conhecer melhor os alimentos e seus nutrientes e ter mais critérios para nos alimentarmos de forma saudável, consciente, equilibrada e, até, econômica.

E não param aí as vantagens, vamos descobrindo sabores, aromas, cores, formas e benefícios de uma variedade enorme de alimentos: ervas, especiarias, raízes, óleos vegetais, farinhas integrais, grãos, sementes, nozes, brotos, etc.

2. Os melhores alimentos são também os mais baratos

foto

Alimentos integrais, frescos e caseiros são mais baratos que refeições industrializadas e fast-foods

Embora, nesta lista tenha alguns alimentos caros, se soubermos planejar o consumo, nosso orçamento e variar, de forma a alternar os ingredientes em nosso cardápio, é possível incluir os que são considerados mais sofisticados, em nossa alimentação.

A inclusão desses alimentos mais caros é possível, sem afetar nosso orçamento doméstico, porque estes produtos rendem, têm alta durabilidade e, costumeiramente, não são consumidos e utilizados em grandes quantidades, não havendo necessidade de comprá-los com frequência, podendo, até estocá-los, desde que respeitando o modo de conservação e armazenamento.

Geralmente, algumas sementes, nozes e cereais são mais caros, mas, sabendo planejar e organizar o consumo e o orçamento, dá para tê-los em nosso cardápio alimentar.

Lista de alguns alimentos vegetais ricos em nutrientes e versáteis, pois a partir deles, é possível produzir uma infinidade de receitas e montar nosso cardápio alimentar:

  • cereais (gramíneas): arroz, ervilha, cevada, centeio, trigo, amaranto, linhaça, quinoa e diversos outros
  • leguminosas: feijões, ervilha, amendoim, grão de bico, lentilha e muito mais
  • legumes: berinjela, pepino, pimentão, jiló, abóbora, chuchu e tantos outros
  • verduras: rúcula, espinafre, alface, salsa, alho poró, agrião, escarola e muito mais
  • frutas: banana, morango, manga, maracujá, abacaxi, laranja, pêssego, amora, carambola, pera, maçã, tomate (embora utilizado como legume) e uma diversidade de outras frutas
  • raízes de vegetais como beterraba, cenoura, mandioca, mandioquinha, nabo, rabanete, batata doce e outras
  • frutas-secas, nozes: coco, castanha-do-Pará, castanha-de-caju, avelã, noz-pecã, macadâmia, pistache, entre outras.

Estes alimentos consumidos in natura ou preparados em receitas culinárias, contribuem para uma alimentação mais saudável e nutritiva do que comida pronta congelada, processada e cheia de aditivos industriais.

3. Como fazer um cardápio barato?

foto

Se for possível ter sua horta e seu pomar, é uma forma mais econômica, sustentável, saudável e orgânica de se obter alimentos puros e nutritivos.

Caso não seja possível, prefira comprar legumes, verduras e frutas em feiras, zonas cerealistas ou produtores locais, geralmente, sai mais barato que no supermercado.

Cultive o hábito de consumir alimentos crus, como frutas, verduras e alguns legumes, pois, além de conservarem intactos principalmente as vitaminas que são nutrientes sensíveis ao calor,  você economiza no gás e em outros ingredientes, se comparar com uma refeição cozida.

Existem muitos produtos veganos industrializados no mercado: queijo vegetal, "presunto", hambúrguer, iogurtes, gelatinas, sorvetes, salsichas, nuggets, "linguiças", margarinas, patês, pães, chocolates, leites e outros. Porém, os mais saudáveis e, em boa parte dos casos, mais baratos, são os caseiros. 

Vários produtos veganos, substitutivos de alimentos feitos da carne ou de origem animal, encontrados prontos para consumo são, realmente, mais caros, pelo custo de fabricação, matéria-prima e, por ainda, não ter um consumo em massa, como os produtos de origem animal. Porém, se foge da realidade do "nosso bolso", podemos obter esses alimentos de forma caseira, de acordo, com nosso orçamento financeiro.

Nosso site tem várias receitas para isso, é só pesquisar aqui.

E para saber informações de produtos veganos mais em conta, existe o grupo do Faceboook, Veganos Pobres do Brasil - Produtos que tem informações de produtos veganos variados, mais acessíveis e baratos é só pesquisar e se informar.

Outra situação que pode encarecer uma refeição, e isso não é exclusividade só de veganos, é comer fora, em lanchonetes, fast-food e restaurantes. Por isso, se o orçamento está apertado, dê preferência pela comida caseira, além de saber a procedência e como é feito o alimento, vai ser bem mais nutritivo, econômico e barato.

4. Vidas não têm preço

foto

Mesmo que um alimento de origem animal tenha uma valor mais baixo, ele foi feito às custas do sofrimento, da dor e da vida de um ser vivo, que quer viver e sente como nós.

É só utilizar o bom senso, a razão e a compaixão, reflita:

Você gostaria de ficar preso e confinado durante anos, fazendo coisas forçadas e impostas?

Ser separado, à força de seus pares, filhos ou pais?

Sofrer todo tipo de agressão, humilhação e abuso contra à sua natureza e essência?

Perder sua real identidade, liberdade e individualidade?

Ser vítima de atos de crueldade e não ter como se defender ou falar?

Ser explorado, escravizado e abusado em sua integridade?

Ser morto como os animais, que são abatidos para serem utilizados como alimentos?

Uma Vida tem valor incomensurável!

Observação: Se existe dúvida do sofrimento que é imputado aos animais, em consequência dos humanos se alimentarem da carne e produtos de origem animal, e é necessário ver para crer para ter a comprovação.

Existem no Youtube e Netiflix vários documentários com fatos reais, sobre o que envolve a produção da carne e de alimentos feitos com matéria-prima animal.

Esses documentários foram produzidos, de forma séria, comprovando e mostrando o que é a engrenagem da produção da carne e alimentos derivados de animais.

Alguns destes documentários são: A carne é fraca e Terráqueos. Mas alerta e aviso: antes de ver estes documentários, é bom saber que muitas cenas mostram o sofrimento animal, é bem possível que não suporte ver e fique muito chocado com as imagens de crueldade.

Se só de imaginar estas cenas já é insuportável, reflita e questione porque come o alimento que resulta de tamanho sofrimento e tanta dor?

5. Saúde é riqueza!

Outro fator de relevante importância é que mesmo se um dos tantos produtos veganos for mais caro que um de origem animal, ainda assim, o valor vale à pena, pois, estaremos investindo em nossa saúde.

Excesso de alimentos processados ou enlatados à base de carne, embora mais acessíveis e, até mais baratos, promovem males à nossa saúde e, consequentemente, doenças e, ironicamente, os medicamentos custam muito caro ao nosso bolso.

Conclusão: Prejuízo na saúde e no bolso!

Preste atenção em seu corpo!

Se resolveu fazer a escolha de se tornar vegano, antes de tudo:

Parabéns! Estamos juntos, neste objetivo de não compactuar com o sofrimento animal!

Agora, preste atenção em seu corpo, pois assim como acontece com quem consome alimentos de origem animal, podemos cair no erro de só nos alimentarmos de alguns tipos de alimentos, ficando em falta com certos nutrientes, por isso, certos cuidados são importantes. Os principais são:

Alimente-se de forma variada, em suma, quanto mais colorida e natural for a refeição, mas completa e rica de nutrientes será.

Faça acompanhamento com um nutricionista e faça exames laboratoriais com frequência, além de também observar os sinais do corpo, pois alguns deles podem revelar que estamos em falta com certos nutrientes como proteína, ferro, vitaminas D ou B12, que são as mais comuns de ocorrer deficiência em nosso organismo.

Na internet existem vários médicos nutricionistas veganos, com canais no Youtube, um deles é o Alimentação sem Carne-Dr. Eric Slywitch, todos dão orientação à respeito de como seguir o veganismo, se alimentando bem e de forma balanceada.

Por vezes é necessário suplementação, principalmente da vitamina B12, que é um das mais deficientes, até no organismo de quem consome carne, devido ao estilo de vida, menos natural que o de nossos ancestrais, que, raramente, tinham esse problema como ocorre nas pessoas na atualidade.

foto

6. Paz no Espírito

A Paz no Espírito tem valor inestimável e incomensurável!

Comer sabendo que não se está sendo conivente com a engrenagem desse sistema industrial e capitalista que transforma vidas em objetos de lucro e exploração é uma verdadeira e imensurável riqueza, que o dinheiro não pode comprar e nem obter!

Viva o veganismo e comprove tudo que foi compartilhado neste conteúdo!
Sua escolha vai contribuir para salvar vidas!
Go vegan!

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!