quimioterapia
quimioterapia

Tratamento contra o Câncer: como amenizar os efeitos da quimioterapia?

Quando se fala em câncer, a maior preocupação das pessoas é com relação aos efeitos colaterais que o tratamento pode causar, principalmente com a quimioterapia. No entanto, esses efeitos podem aparecer com mais ou menos intensidade, pois varia de pessoa para pessoa. Assim como o tipo de medicamento que será administrado e também diversos fatores que envolvem a alimentação e os hábitos de vida do paciente.

Por isso, separamos algumas dicas recomendadas por especialistas em oncologia e nutrição, para que essa fase seja passada de forma menos desagradável.

Quais os efeitos colaterais que a quimioterapia pode causar?

A quimioterapia é um tratamento que utiliza medicamentos anticancerígenos para destruir as células tumorais. No entanto, como ela não é aplicada apenas na região lesionada, a quimioterapia atinge todas as células do corpo, inclusive as normais. Isso porque, assim como as células cancerígenas, as células saudáveis também crescem e se dividem rapidamente.

Por este motivo, a quimioterapia pode causar algumas reações do tipo:

  • Fadiga;
  • Perda de cabelo;
  • Hematomas e hemorragias;
  • Infecções;
  • Anemia;
  • Náuseas e vômitos;
  • Perda de apetite;
  • Diarreia e constipação;
  • Inflamações na boca;
  • Problemas de deglutição;
  • Problemas neurológicos e musculares;
  • Alterações da pele e unhas;
  • Problemas renais;
  • Perda de peso;
  • Problemas de concentração;
  • Alterações no humor;
  • Alterações na libido;
  • Infertilidade.
 

Importante lembrar que nem todos os efeitos colaterais citados ocorrem ao mesmo tempo e com todos os pacientes que fazem o tratamento de quimioterapia. Isso porque vai depender das condições físicas do paciente, bem como do tipo de tratamento que será prescrito para ele. Converse com seu médico!

Como amenizar os efeitos da quimioterapia?

Antes de iniciar o tratamento, o paciente é encaminhado para uma nutricionista que avalia seus hábitos alimentares e passa uma orientação alimentar prescrevendo o que deve ser incluído e o que deve ser evitado, principalmente durante o tratamento.

Com base na opinião de alguns especialistas, separamos as principais dicas:

  • Alimentação – Dieta rica em fibras para reduzir a prisão de ventre e a retenção de fezes. Recomenda-se comer frutas como mamão, laranja, ameixa e uva; legumes, vegetais e cereais integrais; beber bastante água para auxiliar o papel das fibras de limpar o intestino.
  • Atividade física – O paciente pode e deve movimentar o corpo, pois isso ajuda a combater a dificuldade de evacuar. No entanto, deve-se respeitar o limite e optar por atividades moderadas como caminhadas leves e alongamento, pois o corpo está em processo de recuperação e não pode ser exposto às atividades muito intensas.
  • Diarreia – Também é possível que o paciente fique com o intestino solto ao invés de preso. Nesses casos, a recomendação é a de evitar alimentos gordurosos e muito condimentados. Sugere-se comer batata, cenoura, arroz, goiaba, maçã e caju. A ingestão de água de coco também ajuda a hidratar o corpo e a repor os sais minerais perdidos nas fezes.
  • Náuseas e vômitos – Esses são os sintomas mais comuns quando os pacientes estão fazendo quimioterapia e a recomendação aqui é para fazer refeições leves, fragmentadas e em pouca quantidade. Além disso, recomenda-se ingerir alimentos em temperatura ambiente ou frios, como sorvete ou gelatina. Quanto ao cheiro da comida, recomenda-se não ficar próximo quando ela estiver sendo preparada, bem como esperar que esfrie para que o cheiro não cause enjoo, pois até mesmo o prato preferido da pessoa pode causar náuseas nessa fase.
  • Pele, unhas e cabelos – Nessa fase a sensibilidade dessas partes aumenta ainda mais, fazendo com que elas enfraqueçam, ressequem e caiam. Os cuidados para elas envolvem o uso de chapéus, bonés, protetor solar. Deve-se evitar hidratantes com álcool e esmaltes tóxicos.
  • Imunidade – É importante lembrar que nesse período o paciente está com a imunidade muito baixa, devido aos medicamentos atacarem também as células “boas” do corpo. Por isso, recomenda-se que faça bastante repouso com noites bem dormidas de sono, evitar aglomerados de pessoas e qualquer tipo de estresse. Fale com o médico sobre o uso de probióticos para dar uma força na imunidade.
  • Saúde bucal – Um dos efeitos colaterais da quimioterapia é o ressecamento da boca, bem como o aparecimento de feridas e aumento da sensibilidade. Para não piorar a situação, recomenda-se o uso de uma escova bem macia e manter os dentes sempre limpos com escovação e uso do fio dental.
  • Vitaminas e outros medicamentos – Caso o paciente faça uso de vitaminas e outros medicamentos, pode ser necessário suspendê-los no período da quimioterapia, pois eles podem interferir em sua ação. O médico oncologista deve avaliar essa necessidade, bem como informar o que deve ser ingerido em conjunto para potencializar os efeitos do tratamento.
 

No mais, recomendamos que procure também uma rede de apoio, seja familiar, psicológica ou espiritual. O tratamento contra o câncer é sim uma batalha difícil, mas com o pensamento positivo, boas vibrações e hábitos saudáveis, tem tudo para dar certo. A quimioterapia é apenas uma fase que passará em poucas semanas, por isso, faça dela um momento de aprendizado e mudança tanto nos pensamentos, quanto no coração!

Talvez te interesse ler também:

CIENTISTA DE 15 ANOS INVENTA DISPOSITIVO PARA DETECÇÃO PRECOCE DO CÂNCER

FOSFOETANOLAMINA, SERÁ QUE A ‘PÍLULA DO CÂNCER’ FUNCIONA?

VISCUM ALBUM: A PLANTA MAIS UTILIZADA COMO TRATAMENTO COMPLEMENTAR AO CÂNCER

Sobre Eliane A Oliveira

Eliane A Oliveira
Formada em Administração de Empresas e apaixonada pela arte de escrever, criou o blog Metamorfose Ambulante e escreve para GreenMe desde 2018.

Veja Também

Covid e vacina, milhões de mortes e microchip: será que a profecia do Bill Gates vai se cumprir?

Em 2015, o empresário Bill Gates disse, em uma conferência para o TED em abril, …