Variante inglesa do coronavírus pode causar mais mortes e piores sintomas, diz estudo

Variante inglesa do coronavírus pode causar mais mortes e piores sintomas, diz estudo

Pesquisadores britânicos analisaram a variante B117  do coronavírus (a variante inglesa) e detectaram que ela é 61% mais mortal do que coronavírus original em pessoas mais velhas.

O estudo em questão foi divulgado pela revista científica Nature, no último dia 15. Ele enfatiza que a variante B117 é mais transmissível e pode causar a Covid-19 com sintomas mais graves.

Esse estudo mostra que a nova variante do coronavírus aumentou o risco de morte de 17% para 25% em homens com mais de 85 anos e de 13% para 19% em mulheres na mesma faixa etária.

Pessoas com idade inferior a 85 anos, contaminadas pela nova variante, também foram analisadas e constatou-se aumento substancial na taxa de mortes. Contudo, em pessoas com idade abaixo de 70 anos, o risco de morte permaneceu abaixo de 1%.

Segundo informações do DW Brasil foram analisadas mais de 2,2 milhões de casos positivos de coronavírus e mais de 17,4 mil casos de mortes por Covid-19 na Inglaterra, entre setembro de 2020 e fevereiro de 2021.

Mais transmissível e mais mortal

Um outro estudo, dessa vez realizado por pesquisadores da Universidade de Exeter, na Inglaterra, chegou à porcentagem de 64% de aumento no número de mortes pela B117.

O que se sabia até o momento é que a variante inglesa era mais transmissível do que a original. Agora é preciso redobrar os cuidados, pois ficou comprovado que a variante britânica é ainda mais mortal.

Mesmo proibindo voos vindos do Reino Unido, o Brasil não ficou livre dessa nova variante, pois muitos casos já foram detectados no país.

Pesquisas dizem que as vacinas são eficientes contra a nova variante, mas até que todos possam ser vacinados, o ideal é continuar com as medidas preventivas.

Talvez te interesse ler também:

Voltaremos a nos abraçar? Por quanto tempo se sobrevive sem abraço?

É verdade que a vacina de Oxford é causadora de mortes na Europa?

Ser contra o lockdown é diferente de ser contra a máscara

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *