Música agrada ao corpo e à mente

Música agrada ao corpo e à mente

Quase todo mundo adora ouvir música, mas isso pode traduzir-se em algum benefício fisiológico para a saúde? Daniel Levitin, psicólogo proeminente que estuda a neurociência da música na Universidade McGill, em Montreal, e seus colegas, publicaram uma meta-análise de 400 estudos no jornal Trends in Cognitive Sciences, sugerindo que a resposta é sim.

Em um estudo revisado, os pesquisadores estudaram pacientes que estavam prestes a passar por uma cirurgia. Os participantes foram aleatoriamente designados a ouvirem música ou a tomarem drogas anti-ansiedade. Os pesquisadores rastearam os níveis de ansiedade, bem como os de cortisol, o hormônio do estresse. Os resultados? Os pacientes que ouviram música tiveram menos ansiedade e menores níveis de cortisol, do que aqueles que tomaram drogas. Levitin alertou que este é apenas um estudo, e mais estudos precisam ser feitos para confirmar os resultados, mas aponta para um uso medicinal poderoso para a música.

Outros estudos demonstram que a música é capaz de atuar em quatro domínios humanos: temperamento, estresse, imunidade e interações sociais. Além disso, certas músicas podem elevar a produção de imunoglobulina A e a de células brancas que atacam invasores como bactérias e germes.

Durante o período de gestação, a música também ajuda a acalmar o bebê, que a partir da 21ª semana o bebe começa a ouvir e processar as vibrações sonoras, o que faz com que o bebê interaja com os sons, a voz da mãe e o mundo à sua volta.

Todos esses benefícios proporcionados pela música, fizeram com que esta arte se transformasse em uma ferramenta para a cura de diversos problemas, onde o ritmo, a harmonia e a melodia vêm utilizados para a reabilitação física, mental e social do paciente, visando uma melhor qualidade de vida. A musicoterapia é indicada às pessoas com dificuldades motoras, autistas, pacientes com deficiência mental, paralisia cerebral, dificuldades emocionais, pacientes psiquiátricos, gestantes e idosos.

Fonte foto: freeimages.com