Kelly Thomas
Kelly Thomas

Experimento faz pessoas tetraplégicas andarem

Algo que era um milagre parece que está perto de se tornar realidade!

Uma reportagem do Fantástico, programa dominical da Rede Globo, mostrou a história da jovem Kelly Thomas, uma amazona competidora em rodeios, e de Jeff Marquis, um esportista, alpinista e esquiador.

Ambos ficaram tetraplégicos em acidentes. O diagnóstico dos médicos foi de que eles nunca mais voltariam a andar. Entretanto, um experimento deu a eles a chance de não somente ficarem em pé, como, agora, já estão conseguindo andar, mesmo que a passos lentos.

Esse “milagre” trata-se de ciência. Uma pesquisa, empreendida por investigadores do Centro de Lesões de Medula Espinhal da Universidade de Louisville (Estados Unidos), foi capaz de “ensinar” a medula danificada a dar comandos para membros paralisados. Após anos de investigação, os pesquisadores apresentaram o resultado de suas pesquisas em Nova York, onde, em uma praça, Kelly e Jeff mostraram que estavam andando.

De acordo com a pesquisa, a medula ainda continua a controlar o movimento dos membros lesionados. A coluna vertebral tem 33 vértebras e, entre elas, passa a coluna espinhal, responsável por conectar o cérebro a todos os órgãos e músculos do corpo.

Quando um trauma lesiona a coluna, a pessoa pode perder parte dos movimentos ou até todos os movimentos do corpo.

Os pesquisadores desenvolveram um estimulador elétrico epidural cujos eletrodos, com pequenos choques, estimulam a medula a passar comandos para as pernas e os pés se movimentarem. Isso significa que a medula pode ser ensinada a fazer o corpo andar.

Os dois pacientes contam que ficam exaustos quando fazem os exercícios para andar. Mas o esforço vale a pena: a recompensa é a liberdade de poder andar com as próprias pernas após tanto tempo.

Kelly já está conseguindo andar sozinha. Já Jeff está aos poucos andando com ajuda.

Essa notícia é absolutamente incrível!!! É uma grande felicidade quando a pesquisa científica ajuda tanta gente!

Talvez te interesse ler também:

O PRIMEIRO PARQUE AQUÁTICO DO MUNDO, DEDICADO À PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

Sobre Gisella Meneguelli

Gisella Meneguelli
É doutora em Estudos de Linguagem, já foi professora de português e espanhol, adora ler e escrever, interessa-se pela temática ambiental e, por isso, escreve para o GreenMe desde 2015.

Veja Também

Covid e vacina, milhões de mortes e microchip: será que a profecia do Bill Gates vai se cumprir?

Em 2015, o empresário Bill Gates disse, em uma conferência para o TED em abril, …