Clamídia: causas, sintomas e tratamentos

  • atualizado: 
Clamídia

A preocupação com as doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) não dever vir à tona somente no Carnaval, esta época tão animada e festiva, que com o "beija-beija", sempre nos faz lembrar destes tipos de doenças. Uma dessas doenças é a Clamídia que é bastante popular e nem sempre causa sintomas, mas quando estes ocorrem são bem incômodos e podem deixar sequelas graves, como por exemplo a infertilidade tanto em homens quanto em mulheres.

Nesse artigo falaremos mais sobre o que é Clamídia, quais as causas, sintomas, tratamentos e prevenção.

1. O que é Clamídia?

Clamídia é uma doença sexualmente transmissível que infecta homens e mulheres que praticam sexo com uma ou mais pessoas sem os devidos cuidados necessários.

Ela também pode ser transmitida ao bebê durante o parto normal ou pelo contato com pessoas, toalhas, roupas e utensílios contaminados.

Chlamydia é o nome dado a um parasita intracelular que produz células que se reproduzem rapidamente e existem três tipos:

  • Chlamydia trachomatis que é a mais comum e causa infecção de urina e nos olhos;
  • Chlamydia psittaci que causa uma doença respiratória transmitida por araras, papagaios e periquitos chamada "psitacose";
  • Chlamydia pneumoniae que causa doenças respiratórias transmitidas por "micoplasmas", assim como a Pneumonia.

2. As Causas da Clamídia

A Clamídia é uma infecção causada pela bactéria Chlamydia trachomatis (bactéria exclusiva do ser humano) durante a prática do ato sexual (vaginal, anal e oral) sem preservativos, e também pela contaminação do bebê durante o parto normal ou então pelo contato com partes contaminadas.

Segundo o Dr. Dráuzio Varella, a Clamídia é uma das causas de infertilidade em homens e mulheres.

A infecção pode se espalhar pela uretra, ânus, faringe e pode até ser responsável por doenças pulmonares.

Mulheres grávidas que passam por parto normal podem transmitir Clamídia para o bebê que poderá desenvolver conjuntivite e/ou pneumonia devido ao contato da criança com a vagina da mãe no momento do parto.

Além do parto, as infecções nos olhos também podem ocorrer se a pessoa tiver contato com partes sujas e contaminadas, como mãos, toalhas e até mesmo moscas que pousam nos lugares de contaminação e transmitem de um local para outro.

3. Os Sintomas da Clamídia

Segundo as pesquisas, 75% das mulheres e 50% dos homens não apresentam sintomas quando estão infectados. Quando eles ocorrem, entre 1 a 3 semanas, são relatados como:

  • Ardor ao urinar;
  • Secreção genital anormal;
  • Dor durante a relação sexual.

Nas mulheres, além desses sintomas, também podem apresentar dores no abdômen e costas (inferior), náusea, febre e sangramento fora do período menstrual. Já os homens podem ter coceira ao redor da abertura do pênis, dor e inchaço nos testículos.

A prática do sexo anal receptivo pode desencadear uma infecção no reto causando dor, secreções e sangramentos. E no caso do sexo oral pode ocorrer infecção da garganta causando até mesmo uma faringite bacteriana.

Os sintomas podem se agravar quando a Clamídia afeta as vias reprodutivas ocasionando infertilidade e doença inflamatória pélvica que é mais comum nas mulheres. Outra complicação é quando ocorre a gravidez ectópica, que é quando o embrião se forma fora do útero.

4. Os Tratamentos da Clamídia

O diagnóstico da Clamídia se dá após a realização do exame de urina, secreção uretral e material colhido por esfregaço da uretra e do colo do útero, no caso das mulheres. O médico também irá solicitar o exame para detectar anticorpos anticlamidia (IgM).

Recomenda-se que esses exames sejam realizados uma vez por ano, principalmente em mulheres sexualmente ativas com 25 anos ou menos e também em grupos de risco e na primeira consulta de mulheres grávidas.

Após a realização dos exames, comprovado o caso de clamídia o tratamento consiste em medicação prescrita pelo médico especialista como antibióticos (azitromicina, doxiciclina, eritromicina, minociclina) para se tomar em dose única.

Tanto a pessoa infectada quanto o (a) parceiro (a) envolvido, se for o caso, deverão realizar o tratamento e recomenda-se que não tenham relações sexuais por um período de no mínimo 7 dias ou até os sintomas desaparecerem.

Em casos mais graves como infertilidade, pode ser necessária a realização de cirurgia.

5. Prevenção: Como Evitar Clamídia

Para prevenir qualquer tipo de doença sexualmente transmissível, inclusive a Clamídia, é recomendado a prática se sexo seguro com o uso de preservativos confiáveis e em bom estado, não só no sexo vaginal, mas principalmente anal e oral trocando sempre o preservativo caso haja variação de modalidade e parceiro(a).

A melhor maneira de prevenir doenças é ter consciência do próprio corpo e não o expor ao praticar sexo com múltiplos parceiros. Deixe para desfrutar desse momento de prazer com alguém em quem realmente confia, preferencialmente alguém com quem tem um relacionamento monogâmico longo e que tenha feito o teste para saber se tem alguma doença sexualmente transmissível.

Ao sinal de qualquer um dos sintomas mencionados, procure imediatamente um médico para que ele solicite os exames necessários e inicie o tratamento o quanto antes.

Sexo bom e saudável é aquele que é praticado com segurança e sabedoria!

Talvez te interesse ler também:

TODOS OS SINTOMAS DO HIV E COMO TRATAR

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!