Relógio Biológico e Prêmio Nobel de Medicina 2017: uma evidência de que devemos cuidar do planeta

  • atualizado: 
Prêmio Nobel de Medicina 2017

Uma pesquisa sobre o relógio biológico fez com que os norte-americanos Jeffrey C. Hall, Michael Rosbash e Michael W. Young levassem o Prêmio Nobel de Medicina 2017. Eles conseguiram isolar o gene responsável por controlar o nosso ritmo circadiano que regula funções vitais como sono, os hormônios e até o nosso comportamento. E o que isso tem a ver com cuidar do planeta? Tem tudo a ver!

Quem nunca ouviu falar que gostaria de "retardar o seu relógio biológico" para voltar no tempo, envelhecer mais devagar, viver mais ou ter mais saúde?

Os cientistas conseguiram mostrar como o gene que regula o nosso ritmo biológico (ou ritmo circadiano) codifica uma proteína que durante a noite se acumula para ser degradada durante o dia e, como uma quebra deste ritmo pode prejudicar nosso metabolismo, causar cansaço, doenças e até depressão.

"As descobertas explicam como plantas, animais e humanos adaptam seu ritmo biológico de forma que seja sincronizado com as revoluções da Terra", lê-se no release da premiação.

Trata-se de uma pesquisa muito importante que comprova a necessidade da nossa boa união com um sistema maior, mostra a complexidade das interações ambientais com os mecanismos internos de cada um de nós, seres vivos.

Muitos de nós já sabíamos e sentíamos tais interações mas a importância da ciência em comprovar tais evidências, abre muitas portas, inclusive para o tratamento de várias doenças e distúrbios que podem ter mais sucesso no tratamento, se se considera a importância do nosso relógio biológico.

No mais, este prêmio nos lembra sobre a importância de cuidarmos do planeta em que vivemos pois, se a rotação da Terra influencia nossa saúde e até nossos ânimos, precisamos entender que somos todos Um.

"Nos padrões da medicina atual, os relógios biológicos podem determinar o tempo de vida de um indivíduo. Além disso, as ações do planeta são determinantes para a longevidade, padrão de vida e auto-cura. A partir das pesquisas dos três americanos, abre-se um novo caminho para entender fenômenos relacionados à saúde, bem como a influência da rotação da Terra sobre os seres vivos. É mais um alerta para a importância do cuidado com o nosso Planeta", afirmam Rodrigo Berté, diretor da Escola Superior de Saúde, Biociências, Meio Ambiente e Humanidades do Centro Universitário Internacional Uninter, e Vera Lúcia Pereira dos Santos, coordenadora geral dos cursos de pós- graduação EAD da Área da Saúde do Centro Universitário Internacional Uninter.

No ano passado, o Prêmio Nobel de Medicina também foi dado a uma pesquisa muito interessante sobre a teoria da "reciclagem" das células. Leia aqui:

YOSHINORI OHSUMI VENCE O NOBEL EM MEDICINA COM SUA TEORIA DA "RECICLAGEM" DAS CÉLULAS

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!