MENINGITE → Quando Devemos REALMENTE nos Preocupar [Informações Importantes]

  • atualizado: 
meningite

Você sabe quais são os sintomas da meningite e quando é necessário tomar uma providência? Vamos tratar disso aqui neste texto pois, a meningite pode afetar pessoas de todas as idades e, é importante que você saiba reconhecer quando há perigo.

A meningite é uma inflamação das meninges (membrana que envolve o cérebro e a medula espinal) que pode ter causas diversas - pode ser ocasionada pelo uso de medicamentos, pela existência de tumores no cérebro, casos em que se trata de uma meningite não infecciosa ou, as meningites infecciosas, causadas por vírus, fungos ou bactérias, e têm diferentes graus de periculosidade.

É importante saber distinguir os tipos de meningite e as causas que as originam pois, deste conhecimento vai depender o que você fará, na emergência.

Quais são os sintomas de meningite?

Os primeiros sintomas de meningite podem ser inespecíficos:

● sonolência
● dor de cabeça
● falta de apetite

Depois de 2 ou 3 dias a pessoa com meningite poderá apresentar:

● náusea
● vômito
● febre
● palidez
● fotossensibilidade

Também são sinais típicos da meningite:

● Rigidez do pescoço (a pessoa não consegue encostar o queixo no peito e, quando o tenta fazer sente uma dor violenta na cabeça e coluna)
● Rigidez ao estender as pernas

Os dois sintomas acima indicam a ocorrência de processo inflamatório nas meninges (por isso a dor na cabeça e coluna aos movimentos que alongam essas regiões) e o exame diferencial, a partir daqui, é a análise do líquido espinal para constatação de infecção bacteriana.

Em lactentes você deverá suspeitar de meningite quando os sintomas forem:

● choro constante
● irritabilidade
● sonolência
● falta de apetite
● inchaço das fontanelas (moleira)

Nos casos muito graves de meningite, os sintomas típicos piorarão em poucas horas e também poderão aparecer manchas avermelhadas ou arroxeadas na pele derivadas de micro-hemorragias superficiais.

Estes casos requerem HOSPITALIZAÇÃO URGENTE.

Os diferentes tipos de meningite

meningite

Meningite viral

A meningite de origem viral, ou meningite asséptica, é a forma mais comum de meningite. Em geral se desenvolve de forma tranquila e o processo não dura mais de 7 a 10 dias. Os agentes virais mais comuns para que ocorra esta inflamação viral das meninges são: vírus da gripe, herpes e os enterovírus.

Meningite bacteriana

A meningite bacteriana é a forma mais grave. Esta meningite costuma ser causada pelas bactérias Streptococcus pneumoniae, Haemophilus influenzae ou Neisseria mengitidis. Outras bactérias, como a Listeria monocytogenes, Staphylococcus aureus e Streptococcus do grupo B, também podem ser a causa, mas não são tão comuns como as três primeiras citadas.

Meningite fúngica

Ocorre, principalmente, em pessoas imunodeficientes e pode ser muito grave porém, não é contagiosa. Este tipo de meningite ocorre por ação dos fungos Cryptococcus e Coccidioides.

Prevenção (vacina)

A melhor forma de se prevenir o contágio, quando há um surto de meningite, é a vacinação. O calendário de vacinação de crianças e adolescentes já prevê algumas das vacinas contra meningite e, em casos específicos, há campanhas extensivas à população e a grupos de risco.

A vacinação se faz contra os tipos conhecidos de meningite bacteriana (a vacina contra influenza já prevê um dos tipos) dentre os quais é a meningite meningocócica, causada pela bactéria Neisseria meningitidis, a mais perigosa.

O azar é que esta bactéria tem 13 sorogrupos diferentes e 8 destes são causa das epidemias de meningocócica.

O calendário oficial de vacinação do Ministério da Saúde prevê a vacinação de crianças. A vacinação de outros grupos etários ou de risco será indicada pelo posto de saúde - informe-se mais aqui.

Estas vacinas estão disponíveis no calendário de vacinação da criança do Programa Nacional de Imunização (PNI/MS):

a) Vacina Pentavalente: protege contra meningite e outras infecções causadas pelo H. influenza tipo b. Também confere proteção contra a difteria, tétano, coqueluche e hepatite B.

b) Vacina BCG: protege contra as formas graves de tuberculose (miliar e meníngea).

c) Vacina meningocócica conjugada C: protege contra doença invasiva causada por N. meningitidis do sorogrupo C.

d) Vacina pneumocócica conjugada 10-valente: protege contra doenças invasivas e outras infecções causadas pelo S. pneumoniae dos sorotipos 1, 4, 5, 6B, 7F, 9V, 14, 18C, 19F e 23F.

Na proximidade de meningite, o que fazer

As meningites bacterianas são todas contagiosas e requerem isolamento tanto da pessoa doente quanto de seus familiares. O protocolo de saúde pública indica que deve ser realizado controle de liquor (líquido espinal) para aquelas pessoas que têm febre alta, dores de cabeça e dificuldade de movimentar o pescoço e, observação para todos os outros, assintomáticos.

Alguns conselhos caso alguém na sua casa esteja com meningite

Em qualquer caso de meningite é preciso maior cuidado higiênico tanto para evitar contágios (isolamento, fervura das roupas de cama e uso, desinfecção do chão e ambiente, desinfecção de talheres, copos, etc) como para prevenir que as pessoas acometidas sejam contagiadas por nós (no caso dos imunodepressivos ou daqueles que têm meningite viral).

Tratamentos para meningite

As meningites bacterianas são tratadas em isolamento hospitalar com antibióticos e corticóides.

Nas meningites virais faz-se o tratamento dos sintomas (dor, febre) e saram com repouso e boa hidratação.

As meningites fúngicas são muito perigosas para os imunodeprimidos, seu tratamento é sintomático e antifúngico porém, muito frequentemente são causas de óbito.

Especialmente indicado para você:

setaSAÚDE: 5 INDICADORES DO NOSSO CORPO

setaUSO DE ANALGÉSICOS E ANTI-INFLAMATÓRIOS AUMENTAM O RISCO DE PROBLEMAS CARDÍACOS

seta20 DICAS PARA BAIXAR O COLESTEROL RUIM