Bronzeamento artificial: um problema de saúde pública

Bronzeamento artificial

A cada ano um dado preocupante alerta os pesquisadores do Instituto Internacional de Pesquisa de Prevenção, na França, e do Instituto de Europeu de Oncologia, na Itália. Eles analisaram cerca de 27 estudos sobre câncer de pele e uso de camas de bronzeamento artificial entre 1981 e 2012, e concluíram que o bronzeamento artificial implicou num aumento de 20% do risco de ter um melanoma (um tipo de câncer de pele), sendo que se o usuário tiver menos de 25 anos, as chances dobram.

Um estudo publicado no British Medical Journal associa 794 mortes causadas por câncer de pele todo ano na Europa ao uso de equipamentos de bronzeamento, sendo destes 498 homens e 296 mulheres. Os pesquisadores também alertam que a prevenção ocorre somente evitando a exposição a essa prática e afirmam que a prática para menores de 18 anos deve ter controle rígido.

Com uma das maiores taxas de câncer de pele da Grã-Bretanha, inclusive entre jovens, a cidade de Liverpool tenta fechar o cerco contra o bronzeamento artificial. O uso da técnica na cidade é muito maior do que na média do país, mas as autoridades locais têm dificuldade de fiscalizar o serviço.

No Brasil, onde o corpo bronzeado é sinônimo de saúde e beleza cresce o uso indiscriminado de câmaras de bronzeamento artificial, alertando os dermatologistas para o aumento dos casos de câncer de pele. A Sociedade Brasileira de Dermatologia condena a prática, e assim como na Europa, aqui a dificuldade na fiscalização é também um obstáculo. O dermatologista Jackson Machado Pinto, coordenador anual da Sociedade Brasileira de Dermatologia, afirma que "é uma prática extremamente nociva à saúde da pele, que deveria ser proibida no país". As câmaras de bronzeamento artificial são compostas por estruturas de acrílico transparente que permitem a passagem de raios ultravioleta emitidos por uma série de lâmpadas. As câmaras não possuem padrões de fabricação e qualidade e a dificuldade de fiscalização e normatização do uso gera um alto risco para os usuários.

Portanto, antes de procurar por um bronzeamento artificial, porque o verão acabou, pense duas vezes se vale a pena uma pele bronzeada ou um alto risco à sua saúde.

Fonte foto: freeimages.com