Depressão se combate comendo Ômega 3

Depressão se combate comendo Ômega 3, mas só se você for mulher

Depressão, um dos problemas mais comuns em nossos tempos e que pode ser prevenida ou tratada de diferentes maneiras. Nós sempre optamos pela mais natural, incluindo uma dieta saudável, que forneça ao corpo tudo o que ele precisa para ficar em forma, tanto física como psicologicamente. Entre as substâncias que garantem o bem-estar, o Ômega 3 ocupa um dos primeiros lugares.

Um estudo realizado no Instituto Menzies na Austrália e publicado no American Journal of Epidemiology, monitorou mais de 1.300 pessoas entre 26 e 36 anos e confirmou os benefícios destes ácidos graxos essenciais, em particular, para o sexo feminino. Todos os participantes receberam questionários nos quais tinham que informar a frequência com que comiam certos alimentos e também algumas variáveis ​​relacionadas ao estilo de vida, como fumo, álcool, atividade física, etc.

O que interessava aos pesquisadores era ver a quantidade de peixes consumidos pelos participantes e entender a associação com a ocorrência ou não de depressão. Assim, observou-se que aqueles que comiam peixe (alimento ricos em Ômega 3), pelo menos duas vezes por semana, geralmente seguido de uma dieta saudável, haviam uma redução de 25% no risco de depressão. Esse benefício, no entanto, era válido apenas para as mulheres.

Por quê? A resposta não é clara nem mesmo para os pesquisadores, “a interação entre hormônios sexuais e ácidos graxos Ômega 3 pode fornecer uma explicação diferente. Com certeza esses resultados serão somados ao crescente corpo de dados que mostram os benefícios do consumo de peixe para a saúde mental das mulheres”, disseram os pesquisadores australianos.

Já um outro estudo precedente havia demonstrado que uma ajuda válida para a depressão poderiam ser o Ômega 3 e o Ômega 6, uma vez que estas substâncias ajudam a produzir a serotonina, o chamado hormônio da felicidade. Liberado portanto o consumo de peixe se você costuma comê-lo. Mas se você for vegetariano ou vegano, saiba que existem fontes vegetais dos ácidos graxos essenciais como a semente e o óleo linhaça, nozes e cereais, vegetais de folhas verde, algumas algas e leguminosas.

Fonte foto: freeimages.com

Sobre Daia Florios

Daia Florios
Ingressou no curso de Ecologia pela UNESP e formou-se em Direito pela UNIMEP. É redatora-chefe e co-founder de GreenMe Brasil.
Anteriores Dia das mães: faça você mesmo 10 presentes com materiais reciclados
Próximo Nestlé explora água em Minas Gerais sob suspeitas da sociedade

Veja Também

Pare de usar calcinha e cueca e veja o que acontece com o seu corpo 

Essa é uma peça de vestuário que acompanha as pessoas em, praticamente, todos os momentos. …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *