Do leite materno a solução para o problema das superbactérias

Amamentar

Encontrar uma solução para o problema das superbactérias resistentes aos antibióticos é um dos grandes desafios da medicina moderna. Como já dissemos várias vezes neste site, algumas bactérias se tornaram resistentes ao tratamento farmacológico tradicional e é urgente encontrar uma solução rápida para garantir a saúde pública.

Um estudo britânico afirma que uma possível solução para a resistência aos antibióticos estaria em uma proteína encontrada no leite materno. A proteína seria capaz de matar a maioria das bactérias resistentes e também têm demonstrado eficácia contra vírus e fungos.

Ao nascer, os bebês são muito vulneráveis ​​a patógenos, mas graças a amamentação, recebe proteção contra muitos vírus e bactérias. Os anticorpos são passados da mãe para os filhos, mas é não só isso. Ao que parece, as crianças que durante os primeiros seis meses de vida tomaram leite materno, também têm reduzidos os riscos de desenvolver asma e alergias.

Mas voltando à notícia, a equipe de pesquisa no National Physical Laboratory da University College de Londres, vem focando seus estudos em torno a uma determinada proteína chamada lactoferrina presente no leite materno. Esta proteína funciona de uma maneira muito especial e seria capaz de penetrar as membranas celulares das bactérias, causando-lhes, assim, a sua morte. A mesma coisa a proteína consegue fazer com vários tipos de vírus e fungos, graças a um pequeno fragmento (menos do que um nanômetro de largura) identificado pelos investigadores como o responsável ​​pela sua propriedade antimicrobiana.

A grande novidade porém consiste no fato de que a lactoferrina se demostrou também ativa contra as estirpes bacterianas resistentes aos antibióticos. Os ataques desta substância são tão rápidos e precisos que os cientistas acreditam ser difícil para os agentes patógenos consigam criar uma resistência em tão pouco tempo assim.

Esta descoberta abre a porta para um esquema que imite o modo de ataque da proteína, a fim de desenvolver tratamentos para os agentes patogênicos que se tornaram resistentes aos antibióticos.

O leite materno é realmente uma dádiva da natureza, um recurso muito valioso e sempre fonte de novas surpresas! Será que virá a ser a arma do futuro contra as superbactérias?

Leia também:

LEITE MATERNO: UM SUPERALIMENTO. AMAMENTAR É BOM PARA A MÃE E PARA O BEBÊ

ALEITAMENTO MATERNO EM SP: PERMITIR É LEI, CONSTRANGER É PROIBIDO‏