5 dicas úteis para ajudar quem está enfrentando uma doença grave

Durante a vida acontece de ter que enfrentar desafios difíceis, direta ou indiretamente. Passar em primeira pessoa por situações difíceis requer muita força interior, mas estar ao lado de quem está passando por dificuldades, igualmente é complicado e muitas vezes nos faltam palavras que possam confortar e dar força durante situações delicadas.


Ficar ao lado daqueles que lutam contra uma doença grave, certamente não é simples.

Aqui vão algumas dicas úteis para ajudar aqueles que sofrem.

1. Aceitar o momento presente

Provavelmente a coisa mais difícil é aceitar o fato de termos uma pessoa muita cara em uma situação muito complicada, talvez seja até mesmo mais difícil do que enfrentarmos um problema grave diretamente, em primeira pessoa.

Existe uma frase que escutei em algum momento e não sei a autoria, que diz mais ou menos assim: é preciso ter força para aceitar as coisas que não podemos mudar, do mesmo modo que é preciso ter força para mudar as coisas que podemos mudar.

Com certeza estar perto de alguém que está sofrendo é já um gesto muito nobre, dar-lhe força e apoio para enfrentar um problema é essencial. No mais, nos casos sem soluções, como em doenças terminais por exemplo, resta aceitar a realidade da vida. Os gregos antigos já sabiam tudo: para evitar as tragédias da vida seria preciso evitar a própria vida.

2. A liberdade de expressão

Deixemos sempre as pessoas que estão sofrendo, livres para expressar o que gostariam de dizer, ainda que suas palavras possam ser duras. Podemos dizer palavras de conforto na hora certa, mas ao mesmo tempo seria melhor não interromper demais os discursos daqueles que estão sofrendo. A rara habilidade de escutar será uma demonstração de empatia total porque somente a aceitação e a expressão de suas próprias emoções, pode ajudar as pessoas a superarem os momentos complicados de suas vida. Ouvir será uma ajuda preciosa para fazer fluir a dor de quem está sofrendo.

3. Sinceridade e cautela

Antes de compartilhar suas impressões, especialmente nos momentos mais delicados, não se esqueça de pedir permissão para falar. Seja sempre cauteloso, cuidadoso e extremamente sensível e espontâneo. Suas palavras e suas atitudes nunca devem soar como algo forçado. Além disso, um cuidado ainda maior deverá ser empregado para responder perguntas sobre o diagnóstico médico e a evolução do estado de saúde da pessoa enferma. Antes de falarmos sobre questões importantes de saúde, verifiquemos se a pessoa realmente quer saber e está pronta para ouvir tudo.

4. Conhecer a sua última vontade

É profundamente triste lidar com este tópico, mas se você for a pessoa mais próxima do doente, deveria conhecer as suas vontades no que diz respeito ao seu funeral, e se informar previamente sobre as implicações práticas e jurídicas a respeito da sua escolha.

5. Respeite o silêncio

Falamos sobre a capacidade de ficar perto daqueles que sofrem e de ouvir suas aflições, intervindo apenas no momento certo com palavras de conforto mas, o mais importante, talvez, diante de um doente terminal é respeitar o seu silêncio. Algumas pessoas podem preferir passar muitas horas do dia em silêncio e com ninguém ao redor. Observar estas vontades também faz parte da sua tarefa como apoiador. Você estaria igualmente perto do seu ente querido, mas de acordo com a vontade deste.

Fonte foto: huffpost.com