Cigarros eletrônicos são seguros, mas não ajudam a parar de fumar

Cigarros eletrônicos não ajudam a parar de fumar

Os cigarros eletrônicos seriam seguros, mas não ajudariam a parar de fumar. É o que se deduziu de um estudo realizado por várias universidades italianas e publicado na revista PLoS One.

O e-cig só poderia ser considerado útil se conseguisse fazer com que o seu usuário desse um adeus definitivo aos cigarros normais. Mas, ao contrário, dizem os especialistas, os cigarros eletrônicos não ajudam aqueles que continuam com os cigarros tradicionais, e muito menos ajudam a reduzir o número de cigarro consumido diariamente.

Dois pontos bons, no entanto, para os e-cigs são: aqueles que já deixaram de fumar e optam por fumar apenas os cigarros eletrônicos é mais provável que não voltem mais a fumar o cigarro normal. Além disso, os impactos sobre o físico do fumante do e-cig são muito menores em comparação com o fumante tabaco.

Estes são os primeiros resultados do estudo realizado pelas: Universidade de Chieti, Pescara ASL, Fundação Universidade d'Annunzio, ASR-Abruzzo, Universidade de Catania, da Universidade de Milão e do Instituto de Pesquisa Farmacológica Mario Negri, Universidade Sapienza de Roma, Universidade de Turim, "Parthenope" Universidade de Nápoles, Lanciano ASL Chieti Vasto, Universidade Católica do Sagrado Coração, em Roma.

O ESTUDO 

Para a investigação foi considerada uma grande amostra de fumantes com diferentes hábitos de fumar: 236 fumantes de e-cig (todos ex-fumantes), 491 fumantes tradicionais e 232 fumantes de ambos os tipos de cigarros. 

Depois de um ano, 61,9% dos que haviam parado de fumar cigarros tradicionais e passaram a fumar os eletrônicos, continuaram a se abster de tabaco; enquanto entre os fumantes tradicionais e aqueles que fumavam ambos os tipos de cigarros, somente 20% alcançaram a meta da abstinência.

"Vê-se, portanto, - concluem os autores - que a retirada ou cessação de fumar permaneceu significativa entre os e-smokers, ao passo que a adição de e-cigaretes não aumentou a probabilidade de abandonar ou reduzir o consumo de cigarro”.

O cigarro eletrônico, em suma, provavelmente serve pouco ou nada para aqueles que querem parar de fumar. Por outro lado, se confirmada em um estudo mais aprofundado a sua segurança, pode ser uma alternativa para os ex-fumantes não voltarem, nunca mais, a fumar tabaco.

Leia também: 

Cigarro eletrônico faz mal? Nova pesquisa

Por que o cigarro é mais perigoso do que há 50 anos? Veja o que está por trás da sua indústria