Pacientes com mal de Parkinson poderão escrever à mão

Parkinson

Um dos grandes problemas que as pessoas com Parkinson enfrentam é conseguir escrever à mão. Por causa dos tremores ininterruptos e o avanço da doença, estes pacientes começam a apresentar um problema chamado micrografia, ou seja, a diminuição da letra até ela se tornar ilegível e a pessoa não conseguir mais escrever. Mas pesquisadores ingleses desenvolveram uma caneta especial para tais pacientes.

Pensando na qualidade de vida dos portadores da doença de Parkinsonpesquisadores ingleses criaram ARC, uma caneta especial que neutraliza os tremores da mão, enquanto se escreve.

A caneta que promete ser uma grande aliada dos pacientes com Parkinson, principalmente daqueles que ainda estão no início da doença ou num estágio intermediário, e não tem rigidez da musculatura da mão, muito comum nos caso mais avançados da doença. A ideia partiu do desejo que muitos pacientes têm, de conseguirem viver o mais normal possível, mesmo com uma doença degenerativa como essa.

Entenda o que é o Parkinson

Parkinson ou Mal de Parkinson é uma doença degenerativa e progressiva cerebral, que causa tremores em todo corpo, tirando a capacidade do seu portador de viver uma vida normal, não podendo caminhar e nem se movimentar com firmeza e sem a ajuda de alguém. Nos estágios mais avançados da doença, a pessoa tem dificuldade de engolir, perde as expressões faciais, não consegue mais se movimentar e perde a motrocidade fina, como por exemplo, não conseguir comer, abotoar uma camisa ou escrever. 

Como a caneta ARC funciona

A caneta ARC vibra enquanto o paciente escreve e essas vibrações relaxam os músculos da mão e os estimulam, eliminando a rigidez inicial ou já avançada e a caneta possui uma ponta que desliza mais facilmente no papel, dando mais firmeza e uma letra mais próxima da letra que a pessoa possuía antes do diagnóstico da doença.

 

Estudos desenvolvidos pelo grupo de pesquisadores com alguns pacientes de Parkinson, mostraram que a caneta é realmente eficiente e ajuda a melhorar a letra em até 86%. No Parkinson, a micrografia é muito comum, começando com os tremores mais lentos e avançando cada vez mais.

Por enquanto a caneta ARC ainda está em fase de testes para modificações e melhorias, e para chegar ao comércio precisará de mais algum tempo de pesquisas e investimentos para se tornar realmente viável no uso dos portadores de Parkinson.

Leia também: Design de comunicação para ajudar pessoas com Alzheimer

Fonte foto: dopasolution.com